A produção de vídeo é uma das tendências que aparece com mais frequência e destaque em eventos de Marketing Digital, matérias sobre mídia ou estudos que envolvem o comportamento do usuário na Internet.

Tanto falatório não é por acaso.

Os números não mentem.

No Brasil, há 149 milhões de usuários virtuais, segundo a pesquisa Global Digital Report 2019 divulgada pela Hootsuite. Deste total, 98% assistem a vídeos online e dedicam, em média, 3h26m por dia a esta atividade. Vídeos também são o formato que mais “prende” a atenção do consumidor, segundo estudo do Hubspot.

Pensando nisso, para ajudar marcas e agências a investir tempo e dinheiro em campanhas efetivas, compilamos tudo que é necessário saber sobre produção de vídeo para Internet.

Chegou até aqui e precisa entender o essencial sobre vídeo marketing antes de avançar? Acesse! 

Está pronto? Vem com a gente para:

  • Entender o que tornou o vídeo o formato certo para performar bem
  • Saber mais sobre o processo de produção de vídeo interativo
  • Conhecer os diferentes tipos de vídeo para estratégias de conteúdo
  • Definir o momento certo para produzir o seu primeiro vídeo

Produção de vídeo: por que virou uma megatendência?

Por quase 50 anos, a produção de vídeo e áudio aconteceu de acordo com uma constante quase matemática. Típicas estratégias de marketing incluíam peças publicitárias na TV, chamando a atenção para um produto ou serviço. Elas eram veiculadas num horário cujo público-alvo tendia a estar ligado na programação. Quem não lembra da clássica “Compre Baton”?

Embora os comerciais tenham se tornado mais sofisticados e menos apelativos, em se tratando da execução da ideia, pouco mudou. 

  • Agências de publicidade inchadas;
  • Verbas proporcionais à cada emissora;
  • Planos de mídia;
  • Pedidos de inserção;
  • Alto custo de produção;
  • Autorização de direitos de imagem;
  • Trilha sonora.

Porém, conforme os millennials assumem a dianteira do mercado consumidor, esse cenário tem se transformado.

O comportamento do consumidor millennial

Nascidos entre 1980 e 2000, os millennials estão se tornando importantes agentes econômicos. Já que, até 2025, devem representar 75% da força de trabalho global.

Mas o que isso tem a ver com ascensão do vídeo como formato ideal para alcançar bons resultados com campanhas de marketing? Tudo! 

Os millennials foram a primeira geração a crescer conectada. Se você chegou até aqui e tem mais de 25 anos, cresceu ouvindo o som do modem 56Kbps acessando ao provedor.

Porém, conforme se disseminavam as tecnologias para acesso e se aperfeiçoaram as interfaces de navegação, você e a sua geração passaram a dedicar mais tempo à Internet. Certo?

Isto representou um duro golpe nas emissoras e agências de publicidade tradicionais. Os millennials não apenas assistem menos à televisão, mas também dividem a sua atenção entre diversas mídias. 

Afinal, onde está o público? Na Internet? O acesso é via mobile? Quais são as redes sociais e os sites mais acessados?

São muitas as variáveis que exigem estratégias atualizadas para que as marcas alcancem seus públicos. E ao mesmo tempo em que isso representa um desafio, também se trata de uma oportunidade.

Até os anos 90, uma marca de brinquedos cujo público fosse meninos até 16 anos, deveria anunciar no intervalo do programa infantil mais visto para alcançar a visibilidade necessária. Mas só uma grande empresa poderia comprar estes espaços publicitários.

Hoje, não há programas infantis nas manhãs das emissoras abertas. Tampouco seria fácil encontrar um menino dessa idade em frente a TV. No entanto, qualquer empresa pode criar um anúncio no Facebook ou publicar um vídeo no Instagram Stories.

Os Millennials – e os mais jovens – estão online! E toda marca pode conversar com eles.

Ou seja, na esteira da Transformação Digital e da transição demográfica, se desencadeia uma mudança no comportamento do consumidor.

E para aproveitar essa nova realidade, agências, profissionais de marketing e organizações de todos os portes devem considerar a produção de vídeo para Internet. Pois é o formato preferido pelos usuários e indispensável para a tomada de decisão desses consumidores.

O vídeo marketing é o melhor formato para vender 

Para entender o potencial de uma estratégia que inclua a produção de vídeo, é preciso explorar as discussões anteriores e falarmos sobre o impacto do formato sobre as vendas.

Um dado muito revelador indica que nos Estados Unidos, em 2018, 81% das empresas produziram vídeos para Internet. Porém, em 2019, a expectativa é de que o crescimento seja ainda maior. Conforme os dados da Hubspot, o índice deve chegar a 87%.

A preferência dessas empresas por vídeos online é justificada pelo retorno que esses conteúdos possibilitam. Muitas vezes superiores aos veiculados na televisão, como pode ser visto na pesquisa publicada pelo Google:

Você pode estar pensando que os números dizem respeito apenas aos anúncios. Na verdade, pasme: 83% dos usuários aceitam divulgar vídeos criados por uma marca

Porém, isso não é tudo! Ao analisarmos estudos sobre a perspectiva de consumo, identificamos alguns números impressionantes.

Confira alguns deles no vídeo motion a seguir:

 

Diante de todos estes dados apontando para o crescimento do vídeo como um formato efetivo para as estratégias de marketing digital, está na hora de sair da zona de conforto e começar a sua produção de vídeo!

Isso porque as marcas e agências que aperfeiçoarem seus esforços agora sairão na frente.

Mas, afinal, como iniciar a produção de vídeo para marketing digital? Continue lendo para entender todo o processo.

 

Como iniciar a produção de vídeos para Marketing Digital?

Nesse ponto, certamente você já entendeu porque a produção de vídeo é uma megatendência para obter resultados com Marketing Digital e porque ficar atento a ela.

Agora, apresentaremos informações práticas para você adotar o formato no seu negócio!

Para isso, destacamos as melhores práticas de produção de vídeo para Internet que conhecemos, testamos e aprovamos aqui na Gummy.

Antes de qualquer coisa, como todo esforço de comunicação, é preciso planejar o vídeo.

Nesta etapa, é fundamental entender:

  • Qual é o objetivo do vídeo?
  • Em qual etapa da jornada de compra ele será utilizado? 
  • Como será o vídeo, na prática?
  • Qual a técnica mais eficiente para impactar as personas?
  • Há orçamento e insumos para esse tipo de produção?

Uma vez respondidas essas questões, comece a produzir vídeos para marketing digital!

processo de produção de vídeos

 

1- Briefing

Tenha em mente que a qualidade do material será um reflexo do briefing. Já que essa etapa servirá para guiar todo o processo de produção mais adiante.

Por isso, ela deve conter o maior volume de informações possível e as referências necessárias. Tais como os responsáveis pelo desenvolvimento do roteiro, as datas de gravação, as personas alvo, dentre outros. 

Os principais fatores que devem estar contemplados em um bom briefing para produção de vídeo são:

  • Propósito: para que estratégia esse vídeo está orientado?
  • Direcional: o que deve conter – ou não – nesse material?
  • Persona: qual é o público para o qual o vídeo se destina?
  • Problema: qual tipo de dor o conteúdo deve resolver?
  • Etapa do funil: em que momento da jornada o usuário está?
  • Objetivo: o que se pretende atingir com o vídeo produzido?
  • Referência: em qual fonte é possível se basear na criação?
  • Observação: ao que é preciso estar atento, especificamente?

É importante que, além de possuir informações simples e claras, o briefing seja bastante objetivo. Isso facilita a compreensão de todos os envolvidos no projeto e garante que eles estejam na mesma página.

Com essa etapa pronta, você pode alcançar diversos benefícios, tais como:

  1. Maximizar a participação de mercado do produto que sua empresa oferece;
  2. Reduzir os gastos com com treinamento de profissionais e suporte ao cliente;
  3. Otimizar ou fazer da imagem da marca uma autoridade em determinado tema;
  4. Minimizar o turnover de colaboradores, os engajando em novas atividades.

Não sabe como fazer? Clique aqui e encontre um modelo de briefing para vídeo marketing.

 

2- Pré-produção

No processo de planejamento, o roteiro é um documento importante e que contém todas as informações ligadas ao vídeo propriamente dito. Ele apresenta:

  • Registro de falas, movimentações, personagens e ordem em que cada ação acontece;
  • Divisão de cenas e descrição das necessidades em cada uma (locação, câmera, enquadramento etc);
  • Escolhas técnicas que fazem parte da concepção do vídeo.

Isso serve para que o material seja compartilhado entre a equipe. Assim, é possível garantir que todos os envolvidos saibam exatamente o que fazer.

Como exemplo de um recurso interessante para roteiros, podemos citar o storyboard. Ele visa contar histórias envolventes para deixar o material mais atrativo. Afinal, desde criança, todo mundo gosta de um bom conto! 

Quando observamos um personagem resolver seus conflitos e alcançar bons resultados, nos motivamos. Isso gera conexões e desenvolve o chamado rapport, tão necessário para acelerar o processo de compra.

Lembra quando a Pepsi juntou Beyoncé, Britney Spears e P!nk numa campanha genial?

https://www.youtube.com/watch?v=W7jkygJ_QNo

Para gerar esse efeito, a empresa utilizou figuras populares da mídia e música de impacto. Por si só, esses elementos já agregam bastante valor. Entretanto, a empresa deu um passo além: criou uma narrativa, caracterizando as cantoras como gladiadoras à serviço de César.

Com a reviravolta das guerreiras ao som de “We Will Rock You”, o material surpreende e termina mostrando o refrigerante gelado, como um privilégio conquistado com sua luta.

 

3- Produção de vídeo

Nessa etapa, faça uma lista dos equipamentos necessários para a produção de vídeo.

Há casos em que a lista será enxuta, como aqueles nos quais o vídeo resulta da gravação da tela do computador. Ainda assim, vale conferir se a máquina utilizada oferece o recurso necessário e garantir cuidados com a pós-produção – inclusão de trilha, lettering etc.

Em outros, serão necessárias ferramentas mais avançadas, como câmeras, iluminação e até mesmo softwares (para vídeos motion). Certifique-se de ter um profissional para a execução do vídeo ou, se preferir, terceirize o trabalho com uma produtora especializada.

Além disso, lembre-se também de assegurar que suas locações estarão disponíveis. Afinal, você já pensou no prejuízo de mobilizar uma equipe inteira para a gravação e encontrar o espaço ocupado? Quem avisa, amigo é!

Finalmente, garanta que todos os envolvidos tenham acesso ao roteiro e às informações necessárias para a execução das tarefas. Isso acaba incluindo detalhes sobre planos de câmeras, interações entre os participantes e conteúdos a serem desdobrados no material.

 

4- Finalização

Terminada a captação, é hora de fazer do material filmado um vídeo para marketing digital completo. Por isso, muita atenção à esta etapa! 

A edição é a oportunidade de consertar pequenos erros durante as gravações e dar brilho ao material, fazendo com que ele se destaque.

Não existe uma fórmula mágica para finalizar a edição de um vídeo. Porém, há alguns passos básicos que você deve considerar nessa etapa:

  1. Importe a gravação para o software de edição da sua preferência;
  2. Recorte as partes desnecessárias, ou que você não pretende usar;
  3. Organize os frames de acordo com uma sequência lógica ideal;
  4. Complete com imagens adicionais para ilustração, caso necessário;
  5. Faça a mixagem do som a trilha sonora mais adequada ao formato;
  6. Coloque legendas para proporcionar acessibilidade ao seu vídeo;
  7. Renderize e exporte para a plataforma de vídeo da sua escolha.

Leve em conta, ainda o canal no qual o vídeo será distribuído. Isso porque, dependendo do formato, ele precisa estar salvo no sentido vertical.

É válido lembrar que o tempo também conta! Em alguma plataformas, há limite de 1 minuto.

 

Bônus: Otimização SEO no YouTube

Para fechar com chave de ouro, basta garantir que o material seja encontrado e consumido. 

Já que o YouTube é a plataforma favorita para upload, vamos falar um pouco sobre como levar seus vídeos ao topo das buscas nesta plataforma.

Começando pela relevância e valor agregado do conteúdo. Diferente do algoritmo do Google, que escaneia os textos publicados na web, no YouTube, o formato não permite esse tipo de identificação.

A plataforma utiliza critérios próprios para identificar a qualidade dos conteúdos subidos e posicioná-los de forma coerente à busca dos usuários.

Assim, os fatores considerados pelo YouTube giram em torno de engajamento e otimização de metadados – ou seja, descrições do vídeo. 

Estes indicadores são, por exemplo, o tamanho do vídeo e a qualidade da imagem. 

 

Engajamento

Em relação ao engajamento, podemos destacar métricas como:

  • Número de visualizações;
  • Número de compartilhamentos;
  • Likes e dislikes;
  • Quantidade de comentários;
  • Retenção de usuários;
  • Total de assinaturas após a visualização.

O engajamento é, sem dúvidas, o fator que mais influencia nas buscas do streaming

Portanto, para colocar seu canal no topo das pesquisas, incentive e possibilite interações com os consumidores.

Faça perguntas durante os vídeos que inspiram comentários, compartilhamentos e inscrições no canal através de recursos visuais e falados.

cta ebook vídeo

Otimização de metadados

Fora isso, não se esqueça de que seu vídeo também conta com diversas inserções de texto (ou dados que descrevem o conteúdo). Conheça alguns exemplos:

  • Nome do arquivo que será upado;
  • Título do vídeo no canal do YouTube;
  • Legendas disponibilizadas;
  • Sinopse do vídeo;
  • Descrição e nome da empresa;

Utilize tags inteligentes para garantir que seu vídeo seja encontrado por quem busca informações sobre um determinado tema.

Em todos esses itens, os práticas de SEO são válidas no YouTube. Isso significa que você deve planejar cada um desses campos para conter as keywords foco.

Finalmente, uma boa tática de otimização SEO para YouTube é a estruturação das thumbnails. Elas são a “capa” do seu vídeo, ou seja, a imagem estática que aparece antes de dar o play. Sem dúvida, são fundamentais para que o visitante decida se irá clicar ou não no material.

Junte estas dicas a um conteúdo de qualidade e voilà! 

Com certeza, você terá o vídeo dos sonhos, na medida certa para impressionar suas personas e alavancar as vendas. 

Não deixe a desejar na otimização. Clique aqui saiba mais detalhes de como funciona SEO para YouTube!

 

Tipos de vídeo para marketing digital e suas funções

Como você já deve ter percebido, há uma infinidade de tipos de vídeo que podem ser utilizados no Marketing Digital. 

Enquanto alguns devem abordar características do produto, outros ensinam como usá-lo ou apresentam temas ligados indiretamente à solução. Cada um deles possui um uso apropriado dentro do funil de vendas. 

Clique aqui saber mais sobre qual é o formato de vídeo ideal em cada etapa do funil.

É o caso de avaliar seus objetivos e ver qual melhor se encaixa. Listamos alguns, a seguir: 

Vídeo animação

Excelente para definir conceitos e temas no topo e meio de funil, o vídeo animação, também conhecido como Motion Graphics, é aquele feito com técnicas 2D ou 3D. 

É muito popular nas estratégias de Marketing Digital, pois une eficiência e praticidade. 

Isso não significa, porém, que envolva menos técnica – pelo contrário! Mas a sua produção oferece algumas facilidades, principalmente quando se trata de logística e custo x benefício. 

O vídeo animação pode ser produzido por um único profissional especializado, inclusive. Basta que tenha conhecimento e um ótimo software para edição.

Desse modo, você pode pular as etapas de deslocamento e gravação, entre outras. Assim como também evitar custos com atores e aluguel de equipamentos. Na prática, isso representa uma grande economia de tempo e recursos.

Além disso, as animações são ideais para empresas de software, tecnologia ou que possuem pouca atratividade visual. Isso porque, com elas, é possível descrever a solução de forma didática e agradável, fugindo do óbvio.

Com boa aceitação, elas transformam a explicação de um produto complexo em materiais ricos e engajadores, facilmente consumíveis e compartilháveis. 

Leia mais sobre vídeo animação, aqui.

Vídeo institucional

Esse é o tradicional vídeo para apresentar uma empresa ou instituição. Funciona como um cartão de visitas, voltado ao reforço de branding no fundo de funil.

Os vídeos institucionais costumavam ser vídeos longos, falando apenas do negócio e apresentando as informações sobre sua trajetória, seus objetivos etc.

Com o tempo, mudaram as exigências dos consumidores. Os profissionais de Marketing entenderam a necessidade de transformar esse conteúdo em algo com maior apelo emocional. Gerando maior identificação e conectando a marca com seu público-alvo.

Hoje, eles são mais curtos e priorizam engajamento, como tudo no Marketing Digital. 

Ao invés de trazer informações cruas e redundantes sobre o negócio, são usadas táticas de storytelling e outros formatos criativos. O intuito é apresentar a história da empresa de forma relevante e, por que não, motivadora para quem assiste.

Você pode ver exemplos e mais detalhes, neste post!

 

Vídeo aula

A vídeo aula (ou tutorial) é aquela que instrui o seu visitante. Pode ser ensinando a usar sua solução ou qualquer outro assunto de interesse das personas.

Afinal, quem nunca se viu numa situação em que correu para o Google, a fim de descobrir o passo a passo de como executar uma ação? Da troca de chuveiro até “como dar um nó de gravata”, o fato é que quase todo mundo já foi salvo por esse recurso.

Esse tipo de material pode ser utilizado em qualquer fase do funil de vendas, tudo depende do seu objetivo.

É possível que seja um conteúdo de topo, quando se trata de um assunto relacionado ao nicho de atuação. Mas também pode ser de meio ou fundo, quando estiver voltado à demonstração de uso do produto.

Ou seja: é um material absolutamente versátil, de acordo com o foco do seu planejamento.

Quando você oferece meios de alcançar resultados através de vídeos, as chances de que um visitante fique inspirado e compre o seu produto são maiores.

Outra dica sobre o uso de vídeo aula é criar minicursos online. Depois de pronto, basta disponibilizá-lo e usar formulários para o registro de leads na base.

Veja um guia sobre como produzir e roteirizar vídeo aulas!

Confira outros formatos eficientes no eBook “Como gerar conteúdos com vídeo”.

As alternativas são diversas e, com o formato na etapa certa da jornada, o seu potencial é ainda maior. 

A dica é: enxergue os vídeos como uma extensão de sua produção de conteúdo. Assim, você agrada à todos os gostos e maximiza a geração de oportunidades de venda.

Leia também sobre como utilizar vídeos para vendas.

 

Formatos de vídeos mais queridos pelo público

Fonte: Hubspot

Apesar das redes sociais proporcionarem maior visibilidade para os conteúdos em vídeo, esses canais não são as melhores opções para upload. Nesse sentido, a preferência continua sendo o YouTube, o qual se mantém como o favorito por 87% das empresas. 

Um ponto a ser considerado sobre o Vídeo Marketing é, também, a sua rápida evolução. 

Isso porque marcas e produtoras de vídeo que acompanham essas mudanças têm tudo para obter resultados concretos. 

Por outro lado, aqueles que seguem tendências devem manter-se cada vez mais alertas para não encontrar dificuldades no futuro.

Para você ter ideia de como o vídeo evolui, no YouTube, existe uma demanda crescente de vídeos otimizados para execução vertical. Atendendo, portanto, a uma necessidade cada vez maior de consumo mobile. 

Está aí algo para ficar de olho e levar em conta na produção de vídeo daqui para frente!

Em suma, o potencial do Vídeo Marketing até apenas começando a ser explorado. Some isso ao fato de que os custos com a produção de vídeo estão diminuindo e essa perspectiva fica ainda maior. 

Sendo assim, se você ainda não utiliza vídeos em sua estratégia de conteúdo, atenção!

No próximo tópico, separamos dicas preciosas para incentivar você a dar um passo adiante na produção de vídeos para Marketing Digital. Continue lendo!

Veja também: Por que os vídeos e podcasts estão bombando no Marketing Digital?

E agora, como começar a produzir para marketing digital?

Os benefícios da produção de vídeos para Marketing Digital são realmente incríveis. 

Mas você deve estar se perguntando: “Como eu faço para entrar nessa? Devo produzir internamente ou contratar uma produtora de vídeo?”.

Calma, não entre em pânico! 

Entendemos que produzir vídeos de uma hora para a outra não é algo tão simples.

Como já vimos, isso exige uma série de processos e etapas que apenas profissionais qualificados podem executar. Afinal, roteiro, edição, operação de câmeras… Nada pode ser improvisado, se você espera por resultados de qualidade.

Uma das opções disponíveis é montar um departamento interno para a produção de vídeos. Outra, é a contratação de uma produtora de vídeo especializada em Marketing Digital.

Terceirizando essa demanda, você tem garantia de excelência e não precisa mais se incomodar com questões como cronograma, execução e ferramentas a serem utilizadas.

Nesse cenário, a terceirização torna o investimento mais seguro e assertivo. Pois não sobrecarrega a sua empresa com novas demandas ou corre o risco de errar a mão, criando materiais sem engajamento.

Portanto, se você não se sente confortável em produzir seus próprios vídeos, busque ajuda especializada e faça parte da tendência que mais cresce na atualidade!

Está esperando o quê? Entre em contato com a gente!

Para continuar lendo sobre produção de vídeos para Marketing Digital, baixe também nosso eBook “Como gerar resultados com Vídeo Marketing”.

Se você curtiu esse post, deixe sua opinião nos comentários!

Entender o que você está achando do blog é fundamental para trazermos conteúdos cada vez melhores 🙂

Até a próxima!

Contato