Ultimamente, um comportamento de grande parte das marcas têm chamado muita atenção. Os gigantes do mercado estão mostrando adesão às causas sociais e se comprometendo com ações de apoio aos valores de seus clientes: é a nova – e muito bem-vinda! – tendência do marketing inclusivo

Demorou, mas chegou o momento em que a compreensão de toda a diversidade do ser humano exige campanhas diversificadas

A sociedade cansou de assistir a propagandas e consumir conteúdos que retratam apenas um único tipo de pessoa. Hoje, todos querem enxergar a si mesmos e sentirem-se representados nos meios de comunicação.

Se você também percebeu este movimento e quer se atualizar para fazer parte da transformação, chegou ao conteúdo certo! Nesta postagem falaremos sobre os princípios do marketing inclusivo e mostraremos os benefícios que essa humanização na comunicação pode trazer para sua empresa!

Você vai ler sobre:

  • O que é marketing inclusivo;
  • Os princípios básicos do marketing inclusivo;
  • Exemplos de marcas que já utilizam marketing inclusivo.

O que é marketing inclusivo?

Marketing inclusivo é o direcional de criar conteúdos que reflitam toda a diversidade da sociedade. É sair do padrão, daquilo que dominou a mídia ao longo de muitos anos para retratar outros corpos, culturas e vivências.

Naturalmente, isso quer dizer um incluir no conteúdo minorias sociais, raciais, questões de gênero, diferentes corpos, cultura, entre outros aspectos. Não com o objetivo de simplesmente se aproveitar da hype, mas para trazer visibilidade e levar uma mensagem positiva para o mundo! 

E pode ter certeza que isso não é somente discursinho: trata-se de uma demanda real do consumidor de hoje em dia! Segundo uma pesquisa recente publicada pela Salesforce, 90% dos consumidores acreditam que é responsabilidade das empresas tornar o mundo um lugar melhor.

Some esta informação à demanda de hiper personalização da jornada de compra e verá que o marketing inclusivo é a nova regra para participar da transformação que estamos vivendo.

Então, que tal se juntar ao time e usar seu branding para inspirar e motivar todo tipo de pessoas? Vem com a gente: dê uma olhada em cinco princípios básicos do marketing inclusivo a seguir!

 5 Princípios básicos do marketing inclusivo

Como boas intenções não são tudo na vida, vamos ensiná-lo o caminho para participar desse movimento e criar uma campanha de marketing inclusivo

1. Tom do conteúdo:

O tom de um conteúdo é, de modo geral, o estilo dele. A cara do material, incluindo o sentimento que ele quer passar, suas características e opções estéticas. Comunica além do sentido das palavras.

Basta pensar que, conforme o seu tom, um conteúdo com o mesmo tema que outro pode soar ofensivo, enquanto o outro não.Para definir o tom do conteúdo duas noções são fundamentais:

  • Objetivos daquele material;
  • Características da persona.

Buscando estas referências em seu planejamento, o tom mais adequado deve ficar mais claro para você.

2. Linguagem:

A linguagem já diz mais respeito ao modo como você fala cada coisa. É a escolha das palavras, frases, gírias, referências, metáforas… Tudo que compõe o conteúdo e comunica as informações que você deseja passar. 

Mas isso também não é algo de outro planeta! Afinal, você provavelmente não conversa da mesma maneira com seu namorado(a) e com o pessoal da empresa, certo?

Isso acontece pois a linguagem deve ser adaptada conforme o grupo social que desejamos atingir. Novamente, é uma questão de conhecer as personas e se comunicar como elas.

Um ponto importante de ressaltar acerca da linguagem no marketing inclusivo é pensar a própria língua de maneira crítica. 

Atualmente, sabemos que inúmeros termos que eram aceitos antigamente têm uma origem nefasta. São expressões de cunho racista, homofóbico, machista e outras construções ofensivas da linguagem! 

Elas devem ser eliminadas do seu vocabulário imediatamente. Por isso, a melhor solução é criar um guia de redação contendo todas as expressões problemáticas que você identificar. Sempre seguida de uma alternativa adequada para que possa ser substituída.

3. Representatividade:

Está aí uma palavra que temos ouvido bastante. Representatividade na arte, no mercado, no ensino. O fato é que, agora, reconhecemos a importância e o impacto de um indivíduo se ver representado nas grandes mídias da sociedade.

Quando nos identificamos com alguém, criamos esperança e nos inspiramos para atingir uma realidade possível. Por esse motivo é tão importante buscar diversificar os modelos positivos de representação das pessoas.

Quanto mais incluída a pessoa se sente, mais confortável e vinculada à marca ela fica. Hoje em dia, personalização é tudo – e isso não pode ser alcançado se o lead não se enxergar dentro da sua marca.  

É uma questão de pertencimento e inclusão, ou seja: tudo que o novo marketing precisa promover!

4. Contexto:

Contexto é tudo! Uma frase ou um conteúdo lançado em diferentes épocas ou nichos comunicará coisas completamente diferentes. Logo, estar ligado à realidade das personas é – novamente – tão importante.

Você precisa saber o que ela pensa, como ela age e o que está acontecendo ao redor dela naquele momento. Isso serve para buscar referências potentes que causem uma identificação instantânea e positiva – mas, também, para tocar em pontos sensíveis para aquela comunidade e gerar recusa ao invés de aproximação. Portanto, cuidado!

5. Desconstrução de estereótipos:

Se tem uma coisa que ninguém mais aguenta são os estereótipos já tão batidos em nossa sociedade!

O asiático inteligente, a mulher maternal e cuidadosa, o homem todo poderoso, o corpo perfeito…

Não é que eles sejam proibidos, mas devem ser usados com muita cautela e reflexão. O ponto é que toda essa necessidade da recuperação de um marketing inclusivo surgiu justamente pela insistência nesses estereótipos durante anos. 

Insistir neles é reforçar uma mensagem que, em muitos casos, já soa ultrapassada e incômoda para boa parte dos consumidores.

Tente não resumir pessoas e grupos aos lugares mais comuns. Explore novos modelos de representatividade e observe como você passará a atingir pessoas mais reais – com as quais suas personas possam se identificar de verdade

Exemplos de marketing inclusivo que fizeram sucesso

Além da teoria, queremos mostrar a você como esses conceitos funcionam na prática de algumas empresas que deram certo. É provável que você já tenha visto algum destes exemplos, mas vale a pena relembrar:

1. Nubank

Mais do que defender a causa e colocar um filtro equivalente nas fotos das redes sociais, a empresa precisa abraçar verdadeiramente aquilo que está defendendo! 

Um exemplo recente e interessante é o do Nubank, que fez muito mais do que mudar as cores pela diversidade sexual! A organização têm políticas internas que respaldam pessoas LGBTQIA+ e ainda oferece oportunidades profissionais para pessoas de todos os gêneros e sexualidades.

Na campanha lançada para celebrar o mês do orgulho LGBTQIA+, em junho, eles colocaram sua equipe em evidência. O foco foi exibir depoimentos sobre como é a rotina de um LGBTQIA+ dentro de uma empresa que o respeita. Confira:

2. Dove

Outro exemplo de marketing inclusivo foi realizado pela Dove na campanha do seu shampoo da linha “Reconstrução Completa”. 

No conteúdo, vemos a diversidade de mulheres – seja nos aspectos raciais, estéticos ou das preferências de cada uma para usar o cabelo que quiser! 

Veja o vídeo:

3. Cacique

O último exemplo que apresentaremos é o da marca de sutiãs plus size Cacique. A campanha surge em contraponto às campanhas da marca Victoria’s Secrets – que apelidou suas modelos de “angels” e mantém um padrão de corpo magro e manequins menores.

Na campanha “I’m no angel” observamos corpos de diferentes manequins, além de depoimentos de mulheres reforçando uma mensagem positiva acerca dos diferentes tipos de corpos. 

 

Os resultados de um marketing mais positivo e humanizado

Está vendo como os resultados são incríveis e emocionantes? Desse modo, a sua empresa pode ajudar a divulgar mensagens positivas, empoderar pessoas e tornar o dia de alguém mais agradável. 

O que poderia ser melhor do que melhorar as vendas ao mesmo tempo em que propaga respeito e segurança?

Este foi o tema de uma das falas mais emocionantes do RD Summit 2018. Aconteceu na palestra de Fernando Kimura, que fez um apelo ao marketing inclusivo e humanizado. 

Utilizando de recursos sensoriais e propondo reflexões profundas sobre o papel das marcas e do consumidor, Kimura conseguiu emocionar a plateia e reforçar uma valiosa lição de humanidade. 

Caso não tenha tido a oportunidade, vale a pena tirar um tempinho para assistir a esta fala:

Você entende, agora, como marketing inclusivo faz a diferença? Não apenas na vida da sua empresa, mas na do seu consumidor! 

Dessa maneira, você gera identificação, satisfação e felicidade. Ao se engajar mais com seus conteúdos, os clientes e usuários se sentirão inspirados a compartilhar o seu material e aumentar o alcance do seu Inbound.

Esperamos que você esteja motivado para levar essa corrente do bem adiante, investindo em um marketing mais positivo para a sociedade e para seus negócios. Uma vez que você tem a ideia, a intenção e o conhecimento de suas personas, nós temos o resto!

Clique aqui e leia um artigo sobre produção de conteúdo digital para colocar sua estratégia de marketing inclusivo em produção o mais rápido possível!

Até mais! 🙂

Contato