Você já conheceu uma pessoa que não gostasse de ouvir, ler ou assistir histórias? Seja em filmes, livros ou, mais recentemente, podcasts e plataformas de streaming, o ser humano se encanta e se prende por boas narrativas. E uma estratégia de marketing incrível leva esse nosso interesse natural em conta. Por isso, no artigo de hoje vamos dar alguns exemplos de storytelling para transformar o seu Marketing de Conteúdo!

Neste conteúdo, você lerá sobre:

  • Por que investir no storytelling?
  • Como usar o storytelling no Marketing de Conteúdo?
  • Exemplos de storytelling para marcas

Por que investir no storytelling?

Histórias são utilizadas há milênios para explicar regras, leis e aprendizados. É só pensar nas parábolas da Bíblia, nas lendas do Folclore ou nas fábulas de Esopo. A maioria delas conta com uma moral, algum ensinamento que você pode tirar depois que elas acabam.

Isso serve também para o Marketing Digital. Com uma boa narrativa, você pode educar seu público com conteúdos informativos, aumentar sua autoridade de marca contando sobre a história do seu negócio ou, então, utilizar gatilhos emocionais para fazê-lo tomar uma decisão de forma mais rápida.

Mas, atenção: storytelling não significa dar uma volta nos seus leitores. Pelo contrário, quanto mais verdade e transparência você passar em seus conteúdos, mais engajamento eles podem conseguir.

E, atualmente, quando as pessoas querem cada vez mais interação e diálogo com as marcas, tudo isso faz muita diferença!

Ou seja, storytelling não significa inventar uma história da carochinha, mas sim utilizar algumas técnicas para produzir materiais mais interessantes e que solucionem as dores das suas personas.

Além disso, está cada vez mais simples conseguir informação objetiva. O próprio Google tem otimizações que permitem que o usuário encontre suas respostas sem nem ao menos precisar entrar em uma página específica.

Por isso, é importante oferecer um diferencial, algo que conecte quem está escrevendo com as pessoas que estão lendo. E aí, obviamente, entram as histórias: que emocionam, guiam e fazem rir.

Como usar o storytelling no Marketing de Conteúdo?

Ok, você já entendeu que narrativas são importantes. Só que parece o tipo de coisa que exige o conhecimento de um publicitário genial ou, então, de um roteirista de cinema? Calma!

Storytelling parece algo muito complexo, mas a verdade é que a maioria de nós já tem a estrutura de uma história praticamente decorada. Basta alguns exercícios para conseguir perceber isso e colocar em prática nos conteúdos para marketing digital da sua empresa.

Para começar, é importante lembrar que o storytelling é baseado em uma fórmula. Contamos histórias há tanto tempo que a maioria delas segue a mesma jornada.

Já temos vários exemplos de storytelling no dia a dia. Veja só:

Engajamento

No começo da história, você precisa dar o contexto dela e envolver o leitor. É o famoso “era uma vez”. Aqui, entra a apresentação do personagem, o lugar onde tudo se passa e as demais amarras da história.

Exemplo: Natália é uma gerente de marketing em uma empresa de tecnologia. Ela tem 33 anos e trabalha na área há mais de 10. Sua vida e seu trabalho se confundem, mas ela gosta muito do que faz.

No Marketing de Conteúdo, essa é a parte que gera a identificação do leitor. Logo, tente adequar o seu personagem ou narrativa para que ela seja o mais parecida com o seu público-alvo em termos de contexto de vida, idade, área de trabalho, entre outros.

A criação de personas ajudará muito nesse exercício. Então, se a sua empresa ainda não fez isso, é um dos primeiros passos para aproveitar as técnicas de storytelling!

Conflito

Depois da parte inicial, vem a hora do conflito, o primeiro momento em que “algo acontece” na história. É um novo desafio na vida do personagem, algo que o faz questionar o que vinha fazendo até então.

Exemplo: o time de Natália é pequeno e consegue apenas atuar em ações de rotina, sem olhar para a estratégia de maneira mais ampla. Isso está impactando nos resultados da empresa e ela está ficando preocupada.

Se você já trabalha com personas, percebeu que essa é a parte em que a dor delas aparece. No Marketing de Conteúdo, o conflito pode ilustrar algo que já aconteceu com seus possíveis clientes ou que eles temem que aconteça.

Tensão

A tensão é o clímax da história, algo que serve de gatilho emocional e faz o leitor continuar atento. É como se fosse o desenrolar do conflito.

Exemplo: na última semana, a diretoria avisou que a geração de leads vem caindo e a equipe de Marketing precisa pensar em ações para conquistar mais oportunidades urgentemente.

Para o Marketing de Conteúdo, esse é o momento de mostrar o que pode acontecer caso a dor do leitor não seja sanada de maneira eficaz.

Resolução e fechamento  

Na parte final da sua história, o personagem encontra as respostas para as questões que apareceram nos atos anteriores. O leitor, depois de acompanhar ansiosamente a jornada do nosso herói, finalmente pode respirar um pouco mais aliviado.

Exemplo: depois de muita pesquisa, Natália percebeu que precisa investir em novas formas de produzir conteúdo, além de colocar sua equipe para executar as tarefas de maneira mais estratégica. Ela passou a utilizar técnicas mais eficazes nos seus materiais ricos, redes sociais e no site – o que fez a geração de leads dar um salto!

Se você está usando o storytelling para vender um produto ou serviço, é nesse momento que a sua empresa pode aparecer. Aqui, você pode surgir com uma solução para os problemas do leitor, uma ajuda para superar os desafios e obter sucesso!

Essa fórmula pode ser aplicada em blogposts, eBooks, infográficos, cases de sucesso, vídeos animados, entre outros formatos. Basta ter criatividade e muito conhecimento sobre quem são seus atuais e futuros clientes.

Exemplos de storytelling para marcas

Quer entender melhor como isso funciona na prática para as empresas?

Confira alguns exemplos de storytelling de marcas famosas que aplicaram os conhecimentos citados acima em suas campanhas de maneira muito inteligente!

1 – Always: Tipo Menina

Uma das campanhas mais famosas da empresa Always desconstrói a maioria dos comerciais de absorvente ao questionar a forma como as mulheres são vistas pela sociedade. Ela é surpreendente e utiliza elementos que passam veracidade para emocionar e gerar reflexão. Tudo isso associada à mensagem da marca!

2 – Nextel: #NãoAoRótulo

Outra empresa que conseguiu criar uma campanha surpreendente foi a Nextel. Ao reunir diversas personalidades famosas falando sobre suas dores na televisão e na internet, a empresa conseguiu fisgar a atenção do público.

Gerou engajamento e empatia, ao mesmo tempo em que reforçou um desejo da Nextel: se aproximar mais das pessoas físicas, já que a empresa geralmente é lembrada como uma prestadora de serviço para pessoas jurídicas.

3 – Google Search: Reunion

Essa é uma campanha do Google na Índia que você pode assistir com legendas em inglês. Vale a pena: nela, a neta de um senhor de idade usa a ferramenta de pesquisa para encontrar um amigo de infância do avô.

O Google aparece de forma natural, em contextos comuns, mas serve como a resolução de um conflito de anos. É uma maneira inteligente de inserir sua marca em campanhas sem precisar falar dela o tempo todo – e pode nos ensinar muito para aplicar no Marketing de Conteúdo!

_

Gostou dos nossos exemplos de storytelling? Eles são de grandes empresas, mas você não precisa ter um orçamento milionário para aplicar essas técnicas no seu Marketing Digital.

Além do Marketing de Conteúdo, é possível construir branded content usando os stories do Instagram, threads no Twitter e tantas outras plataformas…O importante é engajar o seu público com a marca, agregando valor aos seus serviços e reforçando a autoridade da empresa na área!

Se você já aplicou exemplos de storytelling na sua estratégia digital, compartilhe com a gente nos comentários! Vamos adorar ter novas referências para mostrar aos nossos leitores.

Obrigada e até a próxima!

 

Contato