Uma imagem vale mais do que mil palavras. A imagem certa, com o conteúdo que a acompanha tem, de fato, um valor inestimável. Estamos falando dos vídeos para marketing digital. Eles são envolventes, fáceis de serem consumidos, oferecem senso de abordagem individual e podem ser rapidamente compartilhados.

Vídeos podem ser vistos milhares de vezes – ou apenas quantas vezes o consumidor achar necessário, mas no dispositivo que ele escolher e em seu local e horário preferidos. É um formato de conteúdo realmente muito atrativo. O vídeo não passa despercebido. Por isso, não pode ficar de fora de nenhuma estratégia de marketing.

Neste conteúdo, você lerá sobre:

  • O valor do vídeo para marketing digital
  • Como acertar na produção deste tipo de conteúdo de acordo com as etapas do funil de vendas

Para entender o valor dos vídeos para marketing digital, basta dar uma olhada em alguns números. Aqui, temos 81 estatísticas que provam a importância desta estratégia. Três delas, que foram levantadas neste conteúdo, traduzem de maneira pontual o que estamos tentando falar:

  • 15% dos usuários assistem a mais de três horas de vídeo diariamente (State of Video Marketing, 2017);
  • Os usuários retêm até 95% das informações em vídeo e apenas 10% em textos (WordStream, 2018);
  • 95% dos usuários assistem a um vídeo para entender melhor um produto ou serviço (State of Video Marketing, 2017);

São dados que mostram que esta tendência é certa. É preciso, apenas, jogar a isca: o mar de internautas está todo na rede, esperando por conteúdo novo e de qualidade. E a concorrência também sabe disso.

 

 

Como acertar na produção dos vídeos para marketing digital?

Você precisa saber produzir conteúdo para cada etapa do funil de vendas. Porque nós sabemos que o funil de vendas nada mais é do que o demonstrativo dos passos dados pelo usuário comum, até ele se tornar interessado por seu produto ou serviço, se tornar comprador e até mesmo defensor da marca.

Para exemplificar, vamos relacionar o funil de vendas a um jantar.

No topo dele, que é largo porque representa a chegada dos usuários, estão os vídeos virais, esta é a entrada. É o primeiro contato entre o visitante e a sua marca. É o momento de apresentar o conteúdo de atração. No meio, estão os vídeos instrutivos – que podem ser a refeição principal. O usuário não é mais um mero desconhecido, ele já voltou. E, no fundo, encontramos vídeos de demonstrações detalhadas do produto e estudos de caso, considerados, aqui, a sobremesa. É quando o lead qualificado está prestes a se tornar um consumidor do seu negócio.

Você pode estar se perguntando: o prato principal é o mais importante? Ou a entrada é a que exige menos cuidado? A sobremesa chama mais a atenção? A resposta é não para todas as perguntas.

Porque no marketing digital, assim como em uma refeição, queremos que tudo funcione, que os ingredientes harmonizem entre si. A verdade é que o vídeo para marketing digital é um verdadeiro banquete. Então, vamos caprichar nos detalhes.

 

 

Relacionando o vídeo com a etapa correta do funil de vendas

Se você quiser fazer um piquenique, provavelmente optará por um gramado muito verde com uma toalha, de preferência, xadrez. Se quiser provar de especiarias nunca antes imaginadas pensará, talvez, em um bar tailandês. Não importa qual a sua predileção ou necessidade: há espaço e ocasião para cada uma delas.

Os vídeos também possuem determinadas plataformas para serem lançados ou explorados. Eles podem estar nas redes sociais, sites, blogs ou, claro, no youtube. Mas é essencial saber casar a ocasião e o local ideal.

Você já sabe que a jornada de compra é o caminho que o visitante do seu site faz para finalmente se tornar um cliente e efetuar a compra. Ele passa por etapas importantes e bem delimitadas até decidir comprar:

  • Aprende e descobre;
  • Reconhece o problema;
  • Considera a solução;
  • Decide comprar.

Aprendizado (ou a entrada)

Na primeira etapa, do aprendizado e descoberta, você ainda não tem um cliente. Quem chega ainda é um completo desconhecido: ele não conhece sua marca ou empresa, muito menos seus produtos ou serviços.

O seu papel aqui é chamar a atenção. Ser visto e notado. No entanto, este não é propriamente o momento de você falar do seu produto. Nesse estágio, a sua função é ajudar o potencial cliente a descobrir o que ele precisa. E como fazer isso? Identificando alguma necessidade que ele possua e que, talvez, ainda nem saiba.

 

 

Qual a mensagem do vídeo?

É hora de motivar e produzir vídeos mais humanizados, de acompanhar o cliente para que ele perceba que não está só. Produzir conteúdos altamente informativos e abrangentes é parte fundamental desta etapa.

É o momento de produzir e divulgar vídeos virais, porque eles facilmente se tornam memes. Vídeos do tipo “perguntas e respostas” são também válidos e informativos. Aproveite para mostrar a autoridade da marca. Você ainda pode – e deve – divulgar as novidades do mercado.

Faça tudo isso em vídeo curtinhos: o ideal é não ultrapassar um  minuto. Cuide muito da aparência. Nós queremos que o cliente volte, então, use e abuse de animações e outros efeitos envolventes, ok?

 

 

Consideração (ou o prato principal)

É hora de reconhecer o problema. É o meio do funil. Aquele estranho que se tornou visitante ainda não é um cliente, mas ele voltou! Ele também já até desconfia que tem um problema, só não sabe bem qual é. E você está lá para auxiliar.

É hora de aprofundar o conteúdo no sentido de orientar. De reconhecer o problema e dialogar com a dor. Não é a hora de mostrar a solução, mas é o melhor momento para incentivar a conversão.

Até porque, se ele voltou e quer mais informações, talvez esteja disposto a trocar informações pessoais pelo conteúdo que ele busca. Ou, seja,transformar-se em lead.

Mas não esqueça: esta é ainda uma boa hora para criar vídeos que podem ser utilizados para leads que já se encontram nesta etapa do funil graças a outros tipos de conversão.  

 

Como pode ser o conteúdo, então?

Aqui entram os ensinamentos e a identificação com o foco no problema. Busque produzir vídeos com histórias de pessoas que passam pela mesma coisa. Procure especialistas para fazer webinars.

O foco está na produção de vídeos explicativos. Eles servem para aumentar o tempo de permanência no site. Neste sentido, produza vídeos que sugiram como fazer, o que é bom evitar, quais os passos para melhorar. Este é o caminho.

 

Decisão (ou sobremesa)

Chegamos ao fundo do funil. Agora, já podemos considerar a solução. O seu visitante já chegou, pediu a entrada  e terminou o primeiro prato. Você já tem a capacidade de saber como ele passou pelas primeiras experiências até aqui; já sabe do que ele mais gostou para chegar onde está.

Está prestes a saber se gostou da refeição inteira, que é o que você mostrou de conteúdo até aqui. Se ele aprovar, irá não apenas tornar-se um cliente, mas também recomendá-la. Você pode perceber a reação dele ao saborear o cardápio, mas ainda precisa que ele aprove a sobremesa.

Neste momento, ele já sabe o que quer e procura a melhor solução. O que chamou a atenção dele até aqui é o que pode definir a venda.

 

Fundo de funil: hora de vender o seu conceito

Que tal produzir vídeos institucionais? É quando você tem a chance de apresentar a marca e não o produto. É o momento de evidenciar o seu conceito para enfatizar os valores da marca. Qual o valor do seu produto para o cliente? (E não estamos falando de valor material).

É este conteúdo que deve ser oferecido em forma de vídeo. Mostre que você está comprometido: quais são os seus valores, sua missão.

 

É preciso convencê-lo a dar o último passo

Hora de ir direto ao ponto. Não pode mais existir dúvida sobre o que você está servindo. Vídeos comerciais já podem ser entregues. Mas, vá com cuidado: mesmo que este seja o momento da decisão da compra, o cliente ainda pode recuar frente a uma investida muito incisiva.

Há, também, a opção do vídeo review, que terá no roteiro temas como “formas de uso”, “principais vantagens”, “comparativo com soluções semelhantes”.

Deleite-o com vídeo os cases de sucesso. Quem comprou e gostou? Gostou do que? É hora de inspirar. Então, aposte em vídeos para marketing digital com depoimentos de clientes que podem contar a experiência de uso e as melhores práticas.

Outra boa jogada neste estágio são os tutoriais de produtos/soluções. Você também pode produzir vlogs ou vídeos ao vivo. É o momento de expor detalhes bem específicos da sua empresa, marca ou produto. Apresente novos recursos, se for preciso.

 

Relação próspera e duradoura com o cliente

Quando você escolhe informar por vídeo, mostra que está atuante no mercado, que não quer e nem ficará para trás.

Demonstra ao seu potencial cliente que você sabe o que ele quer. Você o compreende e entrega o conteúdo no formato que ele deseja. A relação entre vocês fica muito mais justa e eficiente e, se acertar no melhor conteúdo para cada etapa do funil, terá motivos para brindar, porque ela poderá ser ainda próspera e duradoura.

 

 

Já está convencido da eficiência do vídeo para marketing digital?

Nós estamos. Mesmo não tendo dúvidas da eficiência do vídeo para marketing digital, ainda não faz ideia de como começar? Não se preocupe, nós podemos ajudar:  a Gummy possui uma divisão interna especializada neste formato. Fale conosco!

diversificar a produção de conteúdo

Gostou deste conteúdo? Então, é hora de brindar! Aproveite para conferir também algumas ideias criativas para inovar na produção de conteúdo. Até a próxima! 🙂

Contato