Ferramentas para criação de vídeos online

Ferramentas para criação de vídeos online

Para ser bem sucedido a frente do departamento de Marketing, você precisa se atualizar constantemente. Diante disso, imaginamos que você já esteja com o olhar voltado para a tendência do vídeo marketing e as ferramentas de vídeos para essa produção.

Como o assunto está em alta (inclusive, temos vários conteúdos sobre vídeos aqui em nosso blog), muitos estão se aventurando em criar seus próprios vídeos e diversificando a produção de Inbound. É justamente pensando nesse pessoal que decidimos criar um post para apresentar algumas das melhores ferramentas de vídeos disponíveis no mercado. 

Você vai ler sobre:

  • 3 ferramentas de vídeos para você utilizar em sua empresa;
  • Como potencializar a criação audiovisual com ferramentas de vídeos;
  • A importância de criar vídeos de qualidade.

O potencial do audiovisual com ferramentas de vídeos

Com o avanço das tecnologias digitais, o vídeo se tornou um verdadeiro divisor de águas para as estratégias de Inbound. 

Não adianta mais investir apenas em conteúdos tradicionais do Marketing Digital – como blogposts e redes sociais.

O consumidor de hoje exige um passo além: você precisa produzir conteúdos que façam jus ao dinamismo e interatividade dos nativos digitais. A prova disso é o dado de que 68% dos consumidores prefere se informar sobre um produto através de vídeos curtos.

Vídeos estes que podem estar em diferentes formatos, para abranger todas as etapas da jornada de compra. 

Conforme a mesma pesquisa da HubSpot, estes são os formatos que os leads desejam consumir:

  • 39% quer mais vídeos explicativos;
  • 20% gostaria de assistir mais virais;
  • 12% preferem os demos;
  • 10% gostam de vídeo blogs;
  • 9% prezam pela interatividade no conteúdo em vídeo;
  • 6% querem ver mais tutoriais de softwares.

Certamente, a demanda por vídeos é grande e o investimento por parte das empresas também: 87% já está produzindo esse tipo de material – e a perspectiva é que o número cresça cada vez mais. 

Nesse cenário, você precisa de muita qualidade para chamar a atenção e ter diferencial competitivo.

É um trabalho para profissionais capacitados-  e que precisa das ferramentas certas para proporcionar bons resultados. Afinal, boas ideias com execuções medíocres são apenas desperdício do seu potencial.

Não deixaremos você cair nessa: se estiver buscando ferramentas de vídeos para deixar suas produções cada vez mais incríveis, está no lugar certo! 

Sem mais delongas, conheça nossas sugestões para fazer a diferença na execução de sua estratégia de Marketing. 

3 ferramentas de vídeos para criação de conteúdo online

A concorrência é grande. Quase todo mundo pode produzir conteúdo em vídeo, basta ter um smartphone que já é possível gerar muito material. 

Entretanto, o diferencial está em conferir ao material um aspecto profissional, que faz com que ele se destaque diante dos demais.

O segredo para alcançar esse efeito está em dois ingredientes:

  1. Profissionais especializados em produção de vídeo, capazes de planejar e executar a produção audiovisual com maestria;
  2. Ferramentas de vídeos para dar aquele toque final e gerar resultados com mais qualidade.

Caso já tenha os profissionais certos à disposição, é hora de olhar para as ferramentas de vídeos que irão potencializar o seu trabalho! Vamos lá?

1. Collaj

Collaj é uma das ferramentas de vídeos mais utilizadas tanto para criação, quanto para a edição do material. Ele funciona em diferentes sistemas operacionais, podendo ser utilizado tanto em Windows quanto em Macs.

Seu design é projetado para ser simples: qualquer pessoa da equipe é capaz de utilizar o software e alcançar resultados interessantes. Por meio dele é possível criar vídeos de gravação da tela, webcam, áudio – ou tudo ao mesmo tempo!

Além disso, também é possível gravar vídeos multi-stream com integração de slides em Power Point.

Entretanto, este não é um software gratuito. Sua versão demonstrativa permite gravar e editar somente até dois minutos de vídeo. 

Por isso, se quiser o máximo de suas ferramentas de vídeos, é válido considerar o investimento e adquirir a versão que mais se encaixa para sua empresa.

Veja um vídeo demonstrativo do software em funcionamento:

https://www.youtube.com/watch?v=AImObKKyptU – INSERIR VÍDEO

2. Soapbox

Se a grana estiver curta e um investimento como o Collaj fora de cogitação, talvez o Soapbox seja a melhor opção.

Ele é uma ferramenta gratuita que funciona através de uma extensão para Google Chrome. Com isso, você consegue criar e editar vídeos profissionalmente direto do navegador, em qualquer laptop. 

Apesar dos resultados serem bons, é um software indicado para pessoas sem conhecimento da linguagem. Logo, pode ser que um profissional da área talvez sinta falta de alguns recursos – mas para quem está começando é de grande utilidade!

Dentre suas ferramentas de vídeos está a possibilidade de gravar a tela e a webcam, intercalando entre as duas se for necessário.

Confira a apresentação do software em vídeo:

https://www.youtube.com/watch?v=BxkTP2nUjhU INSERIR VÍDEO

3. Sony Vegas

Agora, se você é profissional da área e está seguro para ir direto ao módulo avançado, o Sony Vegas é a melhor opção! 

Atualmente, ele é uma das alternativas mais completas do mercado voltado para um público que já tem conhecimento sobre ferramentas de vídeos.

Apesar de não ser tão intuitivo quanto as sugestões anteriores, os resultados valem a pena. Os recursos do Sony Vegas geram materiais absolutamente profissionais, permitindo controlar aspectos como: 

  • Tratamento profissional para áudio;
  • Vídeo HD com áudio Dolby Digital;
  • Edição em 3D.

E muito mais! Assista o demo do Sony Vegas Pro para entender a capacidade do produto:

https://www.youtube.com/watch?v=dmILYkAA68Q INSERIR VÍDEO

É claro que existem outras alternativas, mas essas três já servem para profissionais em diferentes níveis de intimidade com a produção de vídeos para Marketing Digital.

Outra boa saída é contratar uma produtora de vídeo especializada e deixar que eles façam o serviço. Você terá a garantia da qualidade e de um trabalho totalmente minucioso – uma vez que estes profissionais conhecem as ferramentas de vídeos certas para cada ocasião e, assim, alcançar o efeito que você deseja.

A produtora pode dar conta de todas as etapas da criação, deixando que você fique livre para cuidar de outros assuntos importantes para a sua estratégia.

E então? Qual será sua opção: produzir internamente com ferramentas de vídeo ou contar com ajuda de profissionais especializados? Seja qual for, o importante é investir em Vídeo Marketing o quanto antes para não ficar para trás! 

Portanto, se precisar de uma mãozinha, entre em contato conosco! 🙂

Comente abaixo quais ferramentas de vídeos já trouxeram os melhores resultados para você.

Porém, não pare agora: o Vídeo Marketing pode te levar ainda mais longe. Baixe o e-book “Como gerar resultados com vídeo” e saiba como chegar lá!

Até mais! 😉

Por que marcas inovadoras apostam no marketing inclusivo?

Por que marcas inovadoras apostam no marketing inclusivo?

Ultimamente, um comportamento de grande parte das marcas têm chamado muita atenção. Os gigantes do mercado estão mostrando adesão às causas sociais e se comprometendo com ações de apoio aos valores de seus clientes: é a nova – e muito bem-vinda! – tendência do marketing inclusivo

Demorou, mas chegou o momento em que a compreensão de toda a diversidade do ser humano exige campanhas diversificadas

A sociedade cansou de assistir a propagandas e consumir conteúdos que retratam apenas um único tipo de pessoa. Hoje, todos querem enxergar a si mesmos e sentirem-se representados nos meios de comunicação.

Se você também percebeu este movimento e quer se atualizar para fazer parte da transformação, chegou ao conteúdo certo! Nesta postagem falaremos sobre os princípios do marketing inclusivo e mostraremos os benefícios que essa humanização na comunicação pode trazer para sua empresa!

Você vai ler sobre:

  • O que é marketing inclusivo;
  • Os princípios básicos do marketing inclusivo;
  • Exemplos de marcas que já utilizam marketing inclusivo.

O que é marketing inclusivo?

Marketing inclusivo é o direcional de criar conteúdos que reflitam toda a diversidade da sociedade. É sair do padrão, daquilo que dominou a mídia ao longo de muitos anos para retratar outros corpos, culturas e vivências.

Naturalmente, isso quer dizer um incluir no conteúdo minorias sociais, raciais, questões de gênero, diferentes corpos, cultura, entre outros aspectos. Não com o objetivo de simplesmente se aproveitar da hype, mas para trazer visibilidade e levar uma mensagem positiva para o mundo! 

E pode ter certeza que isso não é somente discursinho: trata-se de uma demanda real do consumidor de hoje em dia! Segundo uma pesquisa recente publicada pela Salesforce, 90% dos consumidores acreditam que é responsabilidade das empresas tornar o mundo um lugar melhor.

Some esta informação à demanda de hiper personalização da jornada de compra e verá que o marketing inclusivo é a nova regra para participar da transformação que estamos vivendo.

Então, que tal se juntar ao time e usar seu branding para inspirar e motivar todo tipo de pessoas? Vem com a gente: dê uma olhada em cinco princípios básicos do marketing inclusivo a seguir!

 5 Princípios básicos do marketing inclusivo

Como boas intenções não são tudo na vida, vamos ensiná-lo o caminho para participar desse movimento e criar uma campanha de marketing inclusivo

1. Tom do conteúdo:

O tom de um conteúdo é, de modo geral, o estilo dele. A cara do material, incluindo o sentimento que ele quer passar, suas características e opções estéticas. Comunica além do sentido das palavras.

Basta pensar que, conforme o seu tom, um conteúdo com o mesmo tema que outro pode soar ofensivo, enquanto o outro não.Para definir o tom do conteúdo duas noções são fundamentais:

  • Objetivos daquele material;
  • Características da persona.

Buscando estas referências em seu planejamento, o tom mais adequado deve ficar mais claro para você.

2. Linguagem:

A linguagem já diz mais respeito ao modo como você fala cada coisa. É a escolha das palavras, frases, gírias, referências, metáforas… Tudo que compõe o conteúdo e comunica as informações que você deseja passar. 

Mas isso também não é algo de outro planeta! Afinal, você provavelmente não conversa da mesma maneira com seu namorado(a) e com o pessoal da empresa, certo?

Isso acontece pois a linguagem deve ser adaptada conforme o grupo social que desejamos atingir. Novamente, é uma questão de conhecer as personas e se comunicar como elas.

Um ponto importante de ressaltar acerca da linguagem no marketing inclusivo é pensar a própria língua de maneira crítica. 

Atualmente, sabemos que inúmeros termos que eram aceitos antigamente têm uma origem nefasta. São expressões de cunho racista, homofóbico, machista e outras construções ofensivas da linguagem! 

Elas devem ser eliminadas do seu vocabulário imediatamente. Por isso, a melhor solução é criar um guia de redação contendo todas as expressões problemáticas que você identificar. Sempre seguida de uma alternativa adequada para que possa ser substituída.

3. Representatividade:

Está aí uma palavra que temos ouvido bastante. Representatividade na arte, no mercado, no ensino. O fato é que, agora, reconhecemos a importância e o impacto de um indivíduo se ver representado nas grandes mídias da sociedade.

Quando nos identificamos com alguém, criamos esperança e nos inspiramos para atingir uma realidade possível. Por esse motivo é tão importante buscar diversificar os modelos positivos de representação das pessoas.

Quanto mais incluída a pessoa se sente, mais confortável e vinculada à marca ela fica. Hoje em dia, personalização é tudo – e isso não pode ser alcançado se o lead não se enxergar dentro da sua marca.  

É uma questão de pertencimento e inclusão, ou seja: tudo que o novo marketing precisa promover!

4. Contexto:

Contexto é tudo! Uma frase ou um conteúdo lançado em diferentes épocas ou nichos comunicará coisas completamente diferentes. Logo, estar ligado à realidade das personas é – novamente – tão importante.

Você precisa saber o que ela pensa, como ela age e o que está acontecendo ao redor dela naquele momento. Isso serve para buscar referências potentes que causem uma identificação instantânea e positiva – mas, também, para tocar em pontos sensíveis para aquela comunidade e gerar recusa ao invés de aproximação. Portanto, cuidado!

5. Desconstrução de estereótipos:

Se tem uma coisa que ninguém mais aguenta são os estereótipos já tão batidos em nossa sociedade!

O asiático inteligente, a mulher maternal e cuidadosa, o homem todo poderoso, o corpo perfeito…

Não é que eles sejam proibidos, mas devem ser usados com muita cautela e reflexão. O ponto é que toda essa necessidade da recuperação de um marketing inclusivo surgiu justamente pela insistência nesses estereótipos durante anos. 

Insistir neles é reforçar uma mensagem que, em muitos casos, já soa ultrapassada e incômoda para boa parte dos consumidores.

Tente não resumir pessoas e grupos aos lugares mais comuns. Explore novos modelos de representatividade e observe como você passará a atingir pessoas mais reais – com as quais suas personas possam se identificar de verdade

Exemplos de marketing inclusivo que fizeram sucesso

Além da teoria, queremos mostrar a você como esses conceitos funcionam na prática de algumas empresas que deram certo. É provável que você já tenha visto algum destes exemplos, mas vale a pena relembrar:

1. Nubank

Mais do que defender a causa e colocar um filtro equivalente nas fotos das redes sociais, a empresa precisa abraçar verdadeiramente aquilo que está defendendo! 

Um exemplo recente e interessante é o do Nubank, que fez muito mais do que mudar as cores pela diversidade sexual! A organização têm políticas internas que respaldam pessoas LGBTQIA+ e ainda oferece oportunidades profissionais para pessoas de todos os gêneros e sexualidades.

Na campanha lançada para celebrar o mês do orgulho LGBTQIA+, em junho, eles colocaram sua equipe em evidência. O foco foi exibir depoimentos sobre como é a rotina de um LGBTQIA+ dentro de uma empresa que o respeita. Confira:

2. Dove

Outro exemplo de marketing inclusivo foi realizado pela Dove na campanha do seu shampoo da linha “Reconstrução Completa”. 

No conteúdo, vemos a diversidade de mulheres – seja nos aspectos raciais, estéticos ou das preferências de cada uma para usar o cabelo que quiser! 

Veja o vídeo:

3. Cacique

O último exemplo que apresentaremos é o da marca de sutiãs plus size Cacique. A campanha surge em contraponto às campanhas da marca Victoria’s Secrets – que apelidou suas modelos de “angels” e mantém um padrão de corpo magro e manequins menores.

Na campanha “I’m no angel” observamos corpos de diferentes manequins, além de depoimentos de mulheres reforçando uma mensagem positiva acerca dos diferentes tipos de corpos. 

 

Os resultados de um marketing mais positivo e humanizado

Está vendo como os resultados são incríveis e emocionantes? Desse modo, a sua empresa pode ajudar a divulgar mensagens positivas, empoderar pessoas e tornar o dia de alguém mais agradável. 

O que poderia ser melhor do que melhorar as vendas ao mesmo tempo em que propaga respeito e segurança?

Este foi o tema de uma das falas mais emocionantes do RD Summit 2018. Aconteceu na palestra de Fernando Kimura, que fez um apelo ao marketing inclusivo e humanizado. 

Utilizando de recursos sensoriais e propondo reflexões profundas sobre o papel das marcas e do consumidor, Kimura conseguiu emocionar a plateia e reforçar uma valiosa lição de humanidade. 

Caso não tenha tido a oportunidade, vale a pena tirar um tempinho para assistir a esta fala:

Você entende, agora, como marketing inclusivo faz a diferença? Não apenas na vida da sua empresa, mas na do seu consumidor! 

Dessa maneira, você gera identificação, satisfação e felicidade. Ao se engajar mais com seus conteúdos, os clientes e usuários se sentirão inspirados a compartilhar o seu material e aumentar o alcance do seu Inbound.

Esperamos que você esteja motivado para levar essa corrente do bem adiante, investindo em um marketing mais positivo para a sociedade e para seus negócios. Uma vez que você tem a ideia, a intenção e o conhecimento de suas personas, nós temos o resto!

Clique aqui e leia um artigo sobre produção de conteúdo digital para colocar sua estratégia de marketing inclusivo em produção o mais rápido possível!

Até mais! 🙂

Produção de Conteúdo para Blog: guia completo

Produção de Conteúdo para Blog: guia completo

Se você esteve minimamente atento às mudanças que a tecnologia sofreu nas últimas décadas, já deve ter percebido que isso influenciou diretamente na nossa maneira de consumir. O digital mudou o mundo e com isso a produção de conteúdo para blog e outras formas de Marketing Digital também.

Não só porque as vendas online facilitaram o acesso a produtos e serviços, mas também porque a forma de escolher mudou. Atualmente, as informações estão disponíveis de maneira muito mais fácil! Logo, pesquisar antes de comprar tornou-se algo praticamente obrigatório. 

A instrução se tornou o carro chefe da venda – o que quer dizer que, para atrair consumidores, as marcas precisam oferecer informação e buscar um relacionamento profundo com seus leads. 

Dentre as muitas formas de produzir conteúdo web, queremos chamar a atenção para o conteúdo para blog. Uma ferramenta muito importante para uma estratégia de Marketing Digital eficiente e engajadora.

Neste conteúdo vai ler sobre:

  • Por que investir em produção de conteúdo para blog?
  • Como produzir conteúdo de qualidade?
  • Como seguir publicando conteúdos inovadores?
  • Principais ferramentas para produção de conteúdo para blog


Já aviso: este conteúdo é longo, mas bastante completo. Prometo que vale a leitura, principalmente se você está pensando em iniciar a artigos para blog de seu negócio agora. Vamos lá!

Por que investir em produção de conteúdo para blog?

A produção de conteúdo para blog é uma peça chave para acompanhar as mudanças no perfil de consumo no mundo. Se não fosse assim, não teríamos 52% de profissionais do Marketing afirmando que conquistaram mais clientes através do conteúdo para blog, não é mesmo?

Para justificar o motivo por trás dessa estatística existem vantagens muito práticas que apresentaremos a você agora. Veja só! 

É mais fácil medir resultados e acompanhar métricas de desempenho

Hoje em dia, praticamente nenhuma empresa aposta mais em práticas que não tem seus resultados comprovados. O “achismo” deu lugar para ferramentas capazes de medir exatamente o que está dando certo em um negócio – e isso tem facilitado na hora da tomada de decisão. 

Nesse sentido, a produção de conteúdo para blog é uma estratégia que pode ser facilmente acompanhada por meio de plataformas como o Google Analytics. Isso faz com que essas ações sejam muito mais mensuráveis do que as do marketing tradicional. 

O importante é certificar-se sempre de que a estratégia de conteúdo para blog está funcionando e trazendo um retorno positivo para a empresa. Para tanto, você deve ficar de olho métricas que abordaremos logo mais aqui neste blogpost.

Pode ser integrada a diferentes frentes

A produção de conteúdo para blog em geral é uma técnica que pode ser aplicada para auxiliar diferentes frentes do Marketing Digital. 

A sua empresa depende de conteúdos incríveis para gerar branded content, alimentar redes sociais, atualizar o blog, otimizar seu site para SEO ou alcançar os leads com e-mail marketing. 

Impacto no aumento de vendas

De acordo com a Hubspot, 47% dos compradores visualizam de três a cinco conteúdos antes de engajar na jornada de compra com um vendedor.

Produzindo conteúdo de qualidade para blog, sua empresa poderá alcançar um público mais qualificado e economizar tempo dos vendedores. 

Esse tempo pode ser investido em quem realmente tem potencial para virar cliente. Tudo isso tem impacto direto no aumento das vendas e também garante clientes mais satisfeitos no futuro. 

Como começar a produzir conteúdo para blog de qualidade? 

Se você já entendeu os motivos de apostar na produção de conteúdos para blog incríveis, chegou a hora de colocar mão na massa!

Mas como fazer isso? Para empresas que ainda estão muito acostumadas ao marketing tradicional, essa virada de chave pode ser um desafio. 

Como iniciar o planejamento, estabelecer objetivos, definir o público-alvo e até como montar uma equipe de marketing de conteúdo são algumas dúvidas bastante comuns. 

Parece bastante coisa, mas, com o tempo você estará habituado. A seguir, vamos repassar algumas das etapas cruciais! 

1. Início do planejamento 

Como qualquer ação de uma empresa comprometida com eficiência e resultados, a produção de conteúdo para blog precisa de um planejamento detalhado. 

No primeiro momento, sua empresa precisará definir quais são os objetivos com o material a ser desenvolvido. Isso inclui saber quais demandas a fizeram sentir a necessidade de investir em conteúdo. 

Para isso, é importante responder a algumas perguntas. Por exemplo:

  • A ideia é aplicar uma estratégia completa de Inbound Marketing? Ou apenas começar a desenvolver uma presença virtual? 
  • Quais são as personas para as quais o conteúdo é destinado?
  • Qual etapa do funil cada conteúdo pretende atingir?
  • Como e quando será feita a produção e publicação de cada um deles?

Essas são apenas algumas das questões às quais você deve prestar atenção. E se não conseguir responder a alguma delas, não se desespere: isso não atrapalhará o seu trabalho. 

Apenas significa que você precisará pesquisar mais e entender melhor a realidade do seu negócio – e, talvez, contratar uma empresa ou consultoria especializada para ajudar a traçar a estratégia. 

2. Análise do público-alvo

Outro fator importantíssimo é entender profundamente o seu público. Para tanto, não basta saber só a idade ou faixa de renda de quem tende a consumir sua solução. Essa etapa vai muito além: o ideal é construir uma persona do seu consumidor.

Por exemplo: se a sua empresa desenvolve um aplicativo para advogados, não basta saber que a maioria dos clientes tem entre 30 e 40 anos, é do sexo masculino e tem ensino superior completo. 

Essas informações são vagas e podem até ajudar em certa medida, mas não colaboram muito na hora de produzir conteúdos realmente relevantes, únicos e atrativos. 

Você precisa criar um personagem que traduza o seu cliente ideal. Assim, fica bem mais fácil entender como ele pensa, age e se comporta. Se você escreve para um público genérico, seu conteúdo terá também uma formato mais genérico e pouco assertivo. 

Já se você conversa diretamente com o Jean… Ele é um advogado autônomo de 32 anos, que atua no Direito Previdenciário há 10 e gosta muito de viajar – mas acaba não tendo tempo para se dedicar à vida pessoal. Considerando estes aspectos, seu marketing tem muito mais chances de ativar gatilhos emocionais e ser efetivo. Porque você percebeu que a maior parte do seu público se identificará com as dores e problemas do Jean. 

Para criar personas

Lembre-se que, ao criar suas personas (elas podem ser várias, dependendo do que a sua empresa faz), será necessário cruzar dados, fazer entrevistas com clientes, analisar tendências e mergulhar fundo na cabeça de quem se interessa pelo seu produto. 

Pense como o seu público-alvo para produzir conteúdos efetivos e engajantes!

Isso irá ajudá-lo a ter ideias de pautas no futuro – além de saber quais dúvidas o leitor tem, quais soluções está buscando, entre outras questões. 

3. Objetivos e métricas da produção de conteúdo para blog

Depois de planejar por onde você começará e entender melhor o seu público, chega a hora de definir quais são os seus objetivos com a produção de conteúdo para blog

Você quer aumentar a sua geração de leads? Atrair tráfego para o seu site? Criar interação nas redes sociais?

Cada objetivo depende da situação atual do seu Marketing Digital, bem como da realidade da empresa como um todo. Se o seu time comercial está ocioso e precisando que o Marketing gere levantadas de mão, por exemplo, a sua estratégia deve focar nisso.

Já se você cuida de uma empresa nova e a equipe de Vendas ainda não está bem estabelecida – assim como a sua marca, que por enquanto não é muito conhecida – talvez seja a hora de focar em branding, tráfego e seguidores em redes sociais. 

Depois de fazer essa opção, vale também entender quais métricas você deve acompanhar para medir o sucesso da sua produção de conteúdo para blog

Métricas para acompanhar em seu blog

  • Tráfego total do blog: quantas visitas são recebidas em determinado período;
  • Origem do tráfego: através de quais mecanismos e plataformas os usuários chegam;
  • Taxa de rejeição: quantos usuários fecham os posts rapidamente antes de terem tempo de consumir o conteúdo;
  • Click-through rate (CTR): taxa de cliques em links e postagens;
  • Engajamento dos leads: o nível de interação dos usuários com suas postagens;
  • Quantidade de inscritos nas newsletters: total de usuários que se inscreveram voluntariamente para receber suas newsletters.

E outras que façam sentido para você. Muitas vezes os próprios domínios contam com ferramentas para acompanhar algumas delas. De todo modo, vale buscar soluções do mercado e sites como o Analytics para fazer um acompanhamento mais apurado.

Lembre-se, especialmente, de estar atento às conversões do seu blog. O objetivo maior de um conteúdo é converter visitantes em leads e ajudar a converter leads em clientes. Trabalhe com CTAs e outros recursos que direcionam o lead claramente pela jornada de compra, mantendo um processo uniforme e fluido.

Como esse assunto envolve certa complexidade, sugerimos a leitura deste blogpost para saber tudo sobre a conversão com conteúdo para blog.

4. Planejamento tático 

Depois de estabelecer um planejamento estratégico, ou seja, mais geral para o seu Marketing de Conteúdo, você precisará fazer o tático. 

Nessa etapa, você colocará a mão na massa, de fato. Aqui, entram definições como a palavra-chave e o formato de cada conteúdo – assim como a persona a qual ele será destinado. 

Além disso, no planejamento tático também deve ser definido o calendário de produção, revisão, publicação e divulgação do conteúdo. Tudo isso ajudará sua equipe a se organizar melhor, medir os esforços e terceirizar o que não puder ser produzido internamente. 

Como seguir publicando conteúdos inovadores em seu blog?

A regularidade e a atualização constantes são dois dos principais segredos para uma estratégia de produção de conteúdo para blog de sucesso.  

A primeira garante um fluxo de engajamento e uma boa autoridade entre os mecanismos de busca – o que ajuda no SEO. Além de ensinar o seu público que ele pode procurar por novidades periodicamente no seu blog, site ou redes sociais. 

Já a atualização constante é o que mantém sua empresa sempre à frente da concorrência. Afinal, no Marketing Digital as coisas mudam com uma velocidade extraordinária. Você precisa acompanhar as principais tendências se quiser levar sempre as novidades mais quentes para seus leitores. 

Conteúdos em vídeo, por exemplo, têm sido uma grande aposta. E se antes eles exigiam uma infraestrutura enorme e uma equipe focada só nisso, hoje em dia sua empresa pode contratar uma produtora. 

Pode até utilizar ferramentas modernas para produzir materiais audiovisuais curtos e objetivos. Este tipo de material pode ser uma excelente adição nas postagens do blog, para torná-las mais dinâmicas e engajadoras.

Conversões com Audio Marketing

Além disso, o áudio se tornou também uma tendência forte.

Com a atenção da audiência cada vez mais reduzida, oferecer blogposts em áudio ou podcasts – que podem ser ouvidos no carro, na academia ou durante o almoço – otimizam o tempo do usuário para que ele consuma conteúdo, com um bônus ainda melhor: aumentam MUITO as conversões dentro de seu blog.

Para saber mais sobre audiomarketing e como otimizar conversões em blogs, clique aqui.

Para estar sempre inovando, o ideal é contar com uma equipe flexível e avaliar a possibilidade de terceirizar parte da produção. Dessa forma, você não fica preso a apenas um tipo de material e consegue escalar seus conteúdos para oferecer sempre algo diferente aos leads. 

Fique atento, ainda, a outros blogs e newsletters que publicam conteúdos relevantes. Preste atenção no que a concorrência está fazendo também e no que empresas do seu segmento no exterior estão apostando. 

Principais ferramentas para produção de conteúdo para blog

Colocar a produção de conteúdo para blog em prática não é uma tarefa fácil, como você deve ter percebido. Mas ela se tornou essencial e existem algumas ferramentas que podem auxiliar sua empresa a otimizar essa atividade. 

Cada uma das etapas da produção de conteúdo que citamos anteriormente pode contar com a ajuda de plataformas online. Confira:

Criação de personas

A criação dos personagens que representam seus clientes ideais pode ser feita por ferramentas como a Make My Persona, da Hubspot, ou com a ajuda do O fantástico Gerador de Personas, criado por uma parceria entre a Rock Content e a Resultados Digitais. 

Definição de palavra-chave

Tanto o Google Keyword Tool quanto o Ubersuggest são opções para quem quer ter ideias de palavras-chave e compará-las para saber quais tem o maior volume de busca. 

Organização do calendário de postagens 

Organizar a data das publicações, o que já foi feito e o que ainda precisa de atenção é uma das maiores dificuldades para empresas que começam a produzir conteúdo para blog

O Trello pode ser uma opção útil, assim como o Google Agenda ou o Mind Meister, que ajuda na criação de mapas mentais!

O ideal é criar um calendário editorial para Marketing. Isso vai auxiliá-lo a se manter organizado, tendo em vista sempre seus objetivos principais na estratégia de produção de conteúdo para blog.

Nesta postagem temos informações detalhadas sobre como criar seu calendário editorial e melhorar os resultados do Inbound

Pesquisa de tendências

Para acompanhar as principais tendências na sua área de atuação e os interesses do seu público, uma ótima opção é utilizar o Google Trends

Com ele, você pode descobrir o que está sendo mais buscado nos últimos tempos, comparar com períodos anteriores, segmentar por região, entre outras funcionalidades.

Ideias de conteúdo

Se você está sem inspiração para definir o tema dos seus próximos artigos, vale recorrer a algumas ferramentas online que ajudam nesta tarefa. 

Uma delas é o Gerador de Ideias para Blog, da Hubspot, e outra é o Gerador de Ideias de Conteúdo, da Portent. Ambas são em inglês, mas podem dar uma luz para desenvolver a pauta dos seus materiais!

Produção do conteúdo

Outra questão fundamental nas ferramentas usadas para a produção de conteúdo para blog é que elas facilitem o compartilhamento do texto, além de salvarem tudo na nuvem. Por isso, procure manter tudo em plataformas como o Evernote ou o Google Docs

Além disso, ferramentas como o Docs permitem a revisão, edição e sugestões no texto de maneira fácil, organizada e limpa. Isso contribui na hora de passar feedbacks para os redatores, alterar partes do texto ou manter um histórico de edições. 

Lembre-se, ainda, de sempre contar com um corretor ortográfico! Afinal, erros de português atrapalham a leitura e diminuem a credibilidade do seu material. 

Por fim, nada substitui um especialista!

Neste artigo, listamos inúmeras dicas úteis para sua empresa começar a investir em produção de conteúdo para blog. Porém, nenhuma delas será eficaz sem um bom profissional de redação ou uma produtora especializada.

Existem inúmeras ferramentas que auxiliam na criação da estratégia, na revisão de erros ortográficos e até na sugestão de palavras-chave. Mas só um redator qualificado e experiente conseguirá operar todas essas plataformas juntas, buscando sempre entregar um conteúdo incrível – daqueles que geram conexão com o leitor e provocam uma resposta emocionada!

E na montanha de informação que observamos diariamente, gerar esse brilho nos olhos do leitor é essencial para um Marketing de Conteúdo realmente efetivo. Logo, invista no treinamento e na qualificação da sua equipe. Automatize aqueles processos repetitivos e simples, mas que acabam tomando muito tempo. 

Vale a pena terceirizar?

Se você não tem os profissionais adequados dentro de casa, considere também contratar redatores freelancers ou, melhor ainda, uma produtora agência especializada em conteúdo para blog.

Uma empresa com experiência oferecerá uma qualidade alta a um custo-benefício muito interessante. Além disso, ela também acompanhará constantemente as mudanças no mercado e poderá sugerir formatos, ferramentas e estratégias mais eficazes do que você poderia encontrar sozinho – com todo o trabalho que precisa administrar. 

Em nosso blog, nós já falamos um pouco sobre isso. 

Entenda aqui como escolher um bom fornecedor de conteúdos para o seu blog!

Obrigada pela atenção e até a próxima! 🙂 

 

Campanha de e-mail marketing: táticas para conseguir respostas

Campanha de e-mail marketing: táticas para conseguir respostas

Não tem como performar bem na estratégia de Marketing Digital sem uma boa campanha de e-mail marketing. O e-mail é um dos principais canais de contato de boa parte dos profissionais ao redor de mundo, além de ser uma estratégia menos custosa que outras formas de prospecção ativa.

Contudo, por mais difundido que seja o uso de e-mail como contato profissional e pessoal, muitos e-mails comerciais não são abertos. O que será que acontece para aquela sua campanha de e-mail ser ignorada e enviada direto pra lixeira? Temos algumas suposições!

Justamente por ser uma estratégia muito difundida, os leads também já nutrem alguma resistência quando identificam o e-mail comercial como spam. Ou seja: um conteúdo genérico e autopromocional. O que não agrega qualquer valor para o potencial cliente.

A melhor saída para conseguir respostas na campanha de e-mail marketing é aplicar alguns hacks para deixar o material mais atraente e relevante.

Quer saber como? Então, continue a leitura: ensinaremos algumas táticas para se livrar de vez desse problema e criar e-mails incríveis!

Neste conteúdo, você lerá sobre:

  • O uso de gatilhos mentais na campanha de e-mail Marketing;
  • Como criar uma campanha de e-mail Marketing engajadora;
  • As vantagens que uma campanha de e-mail Marketing oferece para os seus negócios.

Tudo o que você precisa saber para fazer uma boa campanha de e-mail Marketing

Primeiramente, vamos aos fatos: você precisa trabalhar com e-mail Marketing! Afinal, os números não mentem:

  • O ROI médio do e-mail Marketing é de 3800%;
  • Leads são 40x mais propensos a tornarem-se clientes por e-mail do que em redes sociais como Facebook e Twitter;
  • Mensagens são 5x mais prováveis de serem lidas por e-mail do que outros canais;
  • Profissionais do Marketing relatam um aumento de 760% na receita de campanhas de e-mail segmentadas.

*Fonte: BlogReign

São números muito incentivadores, porém, é bom ressaltar: não basta enviar qualquer e-mail para alcançar esses resultados. Eles são fruto de correspondências bem planejadas estrategicamente e altamente personalizadas.

É baseado nos dados de suas personas que você montará os fluxos de e-mails que serão enviados. Os resultados podem ser ainda melhores se você optar por utilizar alguma ferramenta para automação de e-mail Marketing.

Por isso, fique atento às 5 dicas que listamos abaixo e crie a campanha de e-mail Marketing que você merece para crescer ainda mais!

1 – Utilize gatilhos mentais

Ao longo de um dia são inúmeras as decisões que o cérebro precisa tomar. Da roupa que você vestirá até uma decisão complexa como a contratação de um serviço B2B: tudo é gerenciado por ele.

Por isso, nosso cérebro cria alguns atalhos para acelerar esses processos de decisão.

É o que chamamos de gatilhos mentais, que são alguns fatores que influenciam nossas decisões de maneira inconsciente. Quem domina essas técnicas consegue diminuir o ciclo de compra e aumentar as taxas de conversão.

São eles:

  • Gatilho mental do medo da perda:

A sensação de urgência é um grande motivador para decisões humanas. Saber que um produto ou oportunidade está prestes a acabar e pode nunca mais ser oferecida novamente faz com que o lead se sinta pressionado a aceitá-la.

Logo, o segredo é  utilizar palavras como “Expira”, “Só hoje”, “Oferta limitada”, no assunto do e-mail. Já no corpo do e-mail destaque ofertas com tempo limitado, produtos de baixo estoque e condições impressionantes por um curto intervalo.

  • Cores chamativas para a persona:

Quais são as cores favoritas de suas personas? Se você nunca se perguntou isso, é hora de se perguntar: as cores desencadeiam emoções que são fortes influenciadoras de compra. Além disso, segundo a psicologia, cada cor têm suas próprias implicações sobre a percepção humana. Você pode ler mais sobre esse estudo aqui.

  • Imagens escolhidas a dedo:

Seja criterioso na escolha de imagens para a sua campanha de e-mail Marketing. Atualmente, somos muito afetados por imagens. Afinal, elas comunicam um grande volume de informações de modo simples e compacto. Uma imagem chamativa é garantia de mais retenção no e-mail e, consequentemente, mais engajamento.

  • Crie uma relação significativa com o leitor do seu e-mail:

O lead de hoje não quer mais ouvi-lo falar somente do seu produto. Pelo menos não logo de cara. Antes de saber sobre a sua solução, ele precisa falar sobre seu problema – para ter certeza de que o serviço/produto oferecido se encaixa.

Escreva e-mails interativos, fazendo perguntas sobre as dores do lead e se o conteúdo que você está encaminhando é relevante. Segmente a base por grupos de interesse e ofereça somente conteúdo relevante. Assim, o lead confiará em você e fará questão de abrir cada mensagem da sua campanha de e-mail Marketing.

  • Use prova social para mostrar que você vale a pena:

Pessoas acreditam mais em outras pessoas. Quando um lead tem acesso a relatos e provas de que a sua solução funciona para outras pessoas, ele ativa outro gatilho mental. Para tanto, ele precisa apenas se identificar com os protagonistas dos seus cases de sucesso e ter acesso a números que sejam bons indicadores.

 

2 – Aceite respostas

Se o foco está nas suas personas e em conhecê-las melhor, não faz nenhum sentido criar e-mails do tipo “noreply@e-mail.com”. Muito pelo contrário: o objetivo é gerar engajamento e criar canais de interação com o lead.

Não há como criar relações significativas de mão única. Portanto, inclua sempre perguntas e deixe bem claro que o usuário pode entrar em contato a qualquer momento para tirar dúvidas, dar sugestões e conversar.

Depois, só não esqueça de responder cada mensagem. Parece trabalhoso, mas vale a pena.

3 – Pense muito bem nos assuntos

Os assuntos são a grande chamada do e-mail. É a primeira informação a qual o lead tem acesso para decidir se clica ou não na mensagem. Logo, deve ser o ponto mais forte do seu e-mail.

Dados mostram que 69% dos leads que reportam e-mails como spam o fazem baseado apenas na linha de assunto. Cair nessa lista é a morte da campanha de e-mail Marketing.

Por isso, faça um estudo das personas para ver quais palavras chamam mais a atenção delas. Nada de chavões, como: “grátis”, “prêmio”, “dinheiro extra”.

Invista em linhas mais personalizadas, com o nome do lead e frases instigantes. As linhas exibem em média 30 caracteres, então, teste diferentes possibilidades e seja criativo.

4 – Personalize as mensagens

Assim como trazer o nome do lead já no assunto aumenta a taxa de abertura, mensagens personalizadas também engajam mais. Como já dissemos, leads não gostam de mensagens genéricas, pois o cliente de hoje quer se sentir especial.

A campanha de e-mail Marketing deve conter sempre o nome do lead e da empresa e assuntos de interesse pessoal. Atualmente, isso pode ser trackeado com softwares para análise de Marketing – onde você pode ver com quais conteúdos os leads interagem mais e usar esse dado para segmentar a base.

Os softwares de automação para campanha de e-mail Marketing também contam com ferramentas que personalizam um corpo de e-mail base, acrescentando os dados do lead em cada mensagem.

5 – Entregue conteúdo de valor aos clientes

Por fim: seja relevante. Para valer o tempo do seu futuro cliente, o material deve ser muito interessante aos olhos do lead: nada de conteúdos superficiais que ele encontraria em qualquer pesquisa rápida do Google.

Produza conteúdos incríveis e aposte em métodos avançados para promover conteúdos digitais. Assim, o usuário se sentirá à vontade para ler e compartilhar.

Faça com que ele sinta que o material o ajudou de alguma forma a compreender e resolver o seu problema. Isso entrega valor, aumenta sua autoridade e fideliza os leads através da campanha de e-mail Marketing.

Com essas dicas, certamente você será capaz de fazer parte de todas aquelas estatísticas de sucesso que apresentamos no início do post. O investimento terá um retorno satisfatório, com leads mais engajados e uma estratégia de conteúdo que gera clientes de verdade.

Quais são suas estratégias favoritas para campanhas de e-mail Marketing? Comente e compartilhe com a gente!

Sugerimos também a leitura deste post sobre como fazer uma distribuição adequada dos seus conteúdos. Aproveite!


Até mais! [ :)]

 

Os principais desafios do marketing das grandes empresas

Os principais desafios do marketing das grandes empresas

Mesmo trabalhando em uma empresa consolidada, profissionais de marketing têm sempre a sensação de que algo pode melhorar. Saber o que é necessário para esse crescimento é um desafio a ser superado para não ficar atrás da concorrência.

No mundo dos negócios e, principalmente, na área de Marketing, aquilo que deu certo já não é mais utilizado. Logo, é preciso estar atento às mudanças de conceitos e do modus operandi.

Um dos desafios do marketing é atingir o objetivo determinado com muita precisão ou até superar as expectativas. Tudo isso no menor tempo possível, com menos gastos, esforços e ferramentas. Essa é uma dificuldade comum, principalmente, entre grandes empresas.

É possível melhorar a sua estratégia de marketing e se destacar da concorrência de modo simples e objetivo? Descubra, neste post, como fazer dessa uma realidade no seu negócio.

Você vai ler sobre:

  • A importância do Marketing Digital no cenário atual
  • Como otimizar a estratégia de marketing de grandes empresas
  • Quais são os benefícios de terceirizar suas ações de marketing

 

Conheça os 5 principais desafios do marketing de grandes empresas

 

1. Identificar o que precisa ser melhorado

Pelo menos uma vez ao ano, o gerente de marketing deve conversar junto com sua equipe e trocar informações sobre como foi o trabalho de cada membro, procurando saber o que foi bom ou pode ser melhorado na atual estratégia de marketing digital

Fica a critério do gerente se esta reunião será individual ou em grupo e quantas vezes deve ser realizada no período. Nesta experiência, a equipe pode refletir sobre os objetivos gerais e certificar que os programas estão direcionados para o alcance dos resultados desejados.

Com esta análise, será possível observar cada etapa da sua estratégia, vendo bem de perto onde estão os erros, a fim de transformá-los em oportunidades positivas para amadurecer o processo e identificando quais pontos podem ter um rendimento melhor.

Dica: O Growthverse é uma ferramenta online, interativa e gratuita que pode ajudá-lo a identificar os problemas no seu processo de marketing, mostrando as tecnologias que visam resolver esses percalços.

2. Melhorar o uso dos canais digitais

Não tem como gerar engajamento nos dias de hoje sem otimizar o uso dos canais digitais. Afinal, quase todo mundo está lá: em 2018, os dados mostram um total de 3,9 bilhões de internautas.

No Brasil, 64,7% de toda a população acessa à Internet regularmente. Diante disso, não faz sentido ignorar a tendência quando se trata da sua estratégia de Marketing Digital. Muitas empresas já perceberam o movimento e aumentaram os recursos em ações neste ano:

  • 99% desejam ampliar o valor em – no mínimo – um canal de Marketing Digital;
  • 64% planejam investir mais tempo e dinheiro em Social Media Marketing;
  • 55% querem apostar no Marketing Digital com websites;

Fonte: The Manifest – How Business Invest in Digital Marketing in 2018

De fato, conforme a pesquisa acima, grande parte das organizações dedica de 26% a 75% do orçamento total de Marketing para os esforços digitais. Entretanto, este é um intervalo amplo. A diferença é gerada pelo receio de algumas empresas em dedicar fatias cada vez maiores para essa finalidade.

O principal obstáculo relatado é identificar as melhores estratégias de divulgação para web. É o que podemos ver em uma pesquisa realizada com cerca de 1.024 empresas brasileiras.

Criação de conteúdo

Para 34,2% das instituições que têm uma cultura de Marketing Digital, investir na criação de conteúdo foi a ação que mais gerou resultado. O objetivo destas empresas era melhorar o posicionamento nos mecanismos de busca e atrair mais leads para a sua base.

Com relação às redes sociais, 23,8% apontaram a estratégia como a mais eficaz, ocupando o segundo lugar. O Facebook Ads ficou com os melhores resultados em 18% das grandes corporações e o Google Ads, em segundo, com 16%.

Todos esses dados nos mostram que as empresas optantes pelo uso de Marketing Digital alcançaram bons resultados. De um modo ou outro, a utilização de diferentes recursos na estratégia é algo encorajador para aumentar o investimento na área.

Basta avaliar os canais digitais mais populares entre suas personas e realizar alguns testes. Para isso, busque pesquisas do seu setor, entreviste clientes atuais e acompanhe os KPIs certos para avaliar os resultados.

Dessa maneira, rapidamente, você terá tudo o que precisa para decidir o que fica ou sai, liberando recursos e espaço para investir naquilo que lhe faz crescer de verdade.

 

 

3. Implantar a estratégia conforme os formatos

Um dos maiores desafios do marketing de grandes empresas é conquistar a confiança do seu consumidor. Para isso, é necessário muito empenho e ações para a atração de clientes.

No entanto, a princípio, você pode oferecer conteúdos e materiais que eduquem seu público acerca da solução. Como? Através de blogs, eBooks, e-mail marketing, depoimentos e até comentários de consumidores.

Há diversas outras formas de estreitar a relação entre a sua empresa e o público. Hoje, um dos meios mais efetivos para atrair a atenção é o uso de vídeos.

De acordo com a HubSpot, 53% dos consumidores querem ver mais vídeos de marketing no futuro, contra 14% que desejam ver mais posts. A diferença é gritante. Por isso, investir no formato nunca valeu tanto a pena!

4. Criar a própria equipe ou terceirizar o marketing

Entre os desafios do marketing de 2017, contratar bons talentos foi o 8º maior colocado. Os empregadores buscam profissionais cada vez mais completos, com habilidades técnicas e criativas que incluem Marketing Digital e de Conteúdo, SEO e social media.

Encontrar pessoas com este perfil pode ser difícil. Assim, a primeira coisa a se pensar é o que esse profissional precisa ser capaz de fazer para estar na sua equipe. Todas as etapas até a contratação podem demorar um certo tempo. Então, é necessário verificar as alternativas e analisar se a montagem do seu próprio time será mais vantajosa do que terceirizar alguma parte do seu processo de marketing.

As empresas que, geralmente, possuem equipes menores costumam terceirizar o trabalho, pois 77,2% prefere contratar fornecedores para criar e administrar seu site, enquanto 10,3% opta pela gestão de redes sociais e 5,9% por produzir conteúdo.

Assim, terceirizar a produção do conteúdo do site ou blog da sua empresa se torna uma ótima opção, já que o marketing digital e de conteúdo se tornou uma área vital das grandes empresas, como visto acima, e o serviço estará nas mãos de especialistas no assunto, que criam produtos de alta relevância e qualidade.

5. Retorno Sobre o Investimento (ROI)

Calcular o ROI das suas atividades continua sendo um dos grandes desafios do marketing de grandes e pequenas empresas todo ano, não é mesmo? Porém, esta é a melhor forma de conhecer a eficiência de cada campanha, conteúdo, entre outras ações.

Além disso, comprovar o ROI funciona como um motivo para o aumento da receita dada ao marketing. A fórmula é simples: sem medir, sem demonstrar. Sem retorno, sem orçamento.

Contudo, acompanhar a métrica de cada atividade não é algo tão simples. Principalmente, se você não tiver uma comunicação bidirecional entre marketing e relatórios de vendas.

Para isso, você pode obter a ajuda de um software de automação de marketing, o qual é capaz de acompanhar métricas de Business Intelligence (BI) – como o Google Analytics -, usar Customer Relationship Management (CRM), criar um Service Level Agreement (SLA) e manter o alinhamento entre Marketing e Vendas sempre atualizado.

Pronto! Você está preparado para enfrentar os desafios do marketing de grandes empresas. Agora, que tal melhorar a influência da sua marca como método para gerar mais vendas? Clique aqui e te mostramos como! 😉

 

Como medir o ROI do vídeo marketing

Como medir o ROI do vídeo marketing

Você já deve ter percebido que, de uns tempos pra cá, têm se falado muito mais em vídeo marketing. Hoje, precisamente, falaremos sobre um aspecto específico desta tendência tão vantajosa que se mostrou quase unanimidade entre empresas que utilizam marketing digital. Abordaremos o ROI do vídeo marketing.

No último ano, houve um crescimento de 6% no número de adeptos. Conforme a pesquisa da Hubspot, crescemos de 81% para 87% no total de empresas que utilizam vídeo.

Neste post, vamos desmistificar algumas questões ao redor dos custos de produção de vídeo e o retorno oferecido por esse formato de conteúdo na estratégia Inbound.

Você vai ler sobre:

  • Motivos pelos quais o ROI do Video Marketing é seguro e vantajoso
  • Como calcular custos de produção de vídeos para obter resultados
  • Por que o Vídeo Marketing é uma das tendências que mais cresce

 

Precisamos falar sobre ROI do Vídeo Marketing

O Vídeo Marketing não para de crescer. A versatilidade e as facilidades oferecidas por esse tipo de conteúdo o transformaram no verdadeiro queridinho da Internet.

Dica: Se você está com dificuldades de entender o que é vídeo marketing, clique aqui e confira este post antes de continuar esta leitura.

Dito isso, vamos ao ROI.

Podemos dizer que os custos da produção de vídeo se justificam rapidamente diante do Retorno Sobre o Investimento (ROI).

Para te dar uma ideia, a mesma pesquisa da Hubspot que citamos anteriormente mostra que o uso de Vídeo Marketing em estratégias Inbound pode gerar um aumento de 78% no ROI. Tudo isso como resultado de apenas um ano de uso de vídeos como ferramenta.

A longo prazo – assim como acontece no próprio do Inbound -, é possível considerar resultados ainda melhores, afinal, assim como artigos, quanto mais tempo de vigência, mais refinada é a estratégia,  a qualidade e a assertividade dos vídeos produzidos.

Além disso, o uso de vídeos como ferramenta de marketing serve a diferentes objetivos, como geração de leads e conversões em venda – provando que pode facilmente ser usado para gerar novos negócios.

Em suma, a versatilidade e o grande potencial de resultados são os principais benefícios do Vídeo Marketing.

Quanto custa? Considerando o excelente ROI, os custos são bem menores do que pode parecer num primeiro momento.

Entenda, a seguir!

 

Os principais benefícios do Vídeo Marketing

Antes de falar em custos, vamos falar de coisa boa!

Os benefícios de ações de Vídeo Marketing são importantes demais para ficar ofuscados. Por isso, decidimos criar uma pequena lista para explicar cada um deles. Confira:

 

1- Baixo custo de produção x ROI do Vídeo Marketing

Muitos gestores têm a impressão errada de que, para produzir este tipo de conteúdo, é preciso desembolsar uma fortuna.

Há alguns anos, até poderia ser. Mas hoje, já é possível fazer um bom trabalho contando com baixos custos de produção de vídeo.

Em partes, isso acontece devido à acessibilidade dos equipamentos nos últimos anos.

Hoje qualquer pessoa é capaz de produzir conteúdo em vídeo, em boa parte graças à popularização dos smartphones.

Muitos celulares possuem câmeras de excelente qualidade e de fácil utilização, o que faz com que, basicamente, qualquer pessoa que possua um smartphone, possa produzir vídeos.

É claro que, em sua estratégia de marketing, o ideal é dar um passo além e usar recursos profissionais, sobretudo para criação de formatos mais complexos, como vídeos animados, por exemplo.

Garantindo a qualidade do material, é muito mais fácil otimizar o ROI do Vídeo Marketing.

Em seguida, vamos falar sobre resultados possíveis com Vídeo Marketing.

Mas já adiantando para você continuar a leitura: embedar vídeos em uma página aumenta as taxas de conversão em 80%

Dá pra ter uma boa ideia de como os benefícios incidem sobre o ROI do Vídeo Marketing, não é mesmo?

 

2- Popularidade na Internet e capacidade de engajamento

Pela praticidade do consumo – em modo especial, através de dispositivos móveis – os vídeos tornaram-se os favoritos dentre os usuários.

Afinal, quem não aproveita o seu tempo livre para assistir a um vídeo nas redes sociais?

O fato é que adultos gastam, em média, 105 minutos por dia assistindo a vídeos.

Uma pesquisa recente realizada pelo eMarketer mostra que o tempo gasto por um adulto assistindo vídeos na internet diariamente aumenta a cada ano, tendo passado de 1:23 minutos em 2014 para  1:54 minutos em 2019.

Detalhe: os números não consideram vídeos vistos em redes sociais, ou chegaríamos em número ainda mais elevados.

Com o Vídeo Marketing, você pode condensar grandes volumes de informação, utilizando textos e recursos audiovisuais para comunicar melhor.

E por falar em engajamento, isso é o que o video marketing tem de sobra: o uso de vídeos resulta em uma taxa impressionante de 1200% mais compartilhamentos do que outros formatos.

 

3- Prioridade no rankeamento por mecanismos de busca

Com o avanço dos algoritmos em mecanismos de busca, os vídeos são privilegiados. Para se adaptar ao novo comportamento dos usuários na internet, a ferramenta reconhece sites com vídeos como sendo de maior qualidade. Na prática, isso significa que estes conteúdos aparecem destacados nas primeiras páginas de busca. Veja:

roi do vídeo marketing

Logo abaixo dos anúncios pagos e das sugestões do Google, estão os vídeos.

Confirmando este comportamento, a WordStream divulgou que, quando estão presentes na página, eles podem melhorar o seu posicionamento em 157%.

Estas são vantagens que garantem um investimento bem sucedido.

Veja, nos próximos tópicos, como medir ROI do Video Marketing para certificar-se de que a sua estratégia está no caminho certo.

Os KPIs para avaliar o ROI do Vídeo Marketing

O acompanhamento das métricas deve ser parte do trabalho do gestor de Marketing. Logo, ao produzir vídeos, não se esqueça de monitorar os resultados obtidos.

Diante da versatilidade desse formato, é importante frisar que KPIs dependem dos objetivos iniciais de cada um. Por isso, antes de calcular qualquer coisa, tenha em mente que seu vídeo se insere em uma estratégia clara e que serve a objetivos pré-definidos.

Feito isso, estude os KPIs possíveis para metrificar seu sucesso. Alguns deles, são:

 

Brand Awareness e nutrição de leads

Se o foco é despertar sentimentos e influenciar a percepção do lead sobre a marca, o ROI do Video Marketing deve ser medido por:

  • Feedback: teor dos comentários e das reações do público nas redes;
  • Engajamento: número total de interações com a postagem, tais como likes, número de inscritos e compartilhamentos;
  • Número de visualizações e Click Through Rate (CTR): quantidade sobre a busca e o consumo do vídeo pelas personas.

 

Aumento de vendas e receita

Agora, se a sua meta é vender com a divulgação do material em vídeo, os Key Performance Indicators (KPIs) mais adequados são:

  • Taxa de conversão: quantos leads acessaram à canais de compra através do vídeo;
  • Faturamento: valor dos custos da receita total arrecadada;
  • Cálculo do ROI: aplicação da fórmula para encontrar o valor.

Afinal, como calcular o ROI do Video Marketing?

Para não ter mais dúvidas de que a ação entrega o retorno prometido, nada melhor do que verificar você mesmo. Portanto, é necessário que você saiba como calcular o ROI do Vídeo Marketing da sua empresa.

A fórmula é a seguinte: ROI = (Receita obtida – Investimento total) / Investimento total

Neste cálculo para o ROI do Vídeo Marketing, a receita obtida é a soma de todo o valor arrecadado com a estratégia. Mas fique atento(a): utilize os KPIs certos para não misturar os dados. Aqui, devem entrar somente os números obtidos dos resultados das campanhas, avaliando quantas pessoas foram impactadas e engajadas.

Já o investimento total é soma de todos os gastos com a produção de vídeos. Isto vai desde a fase de pré-produção até a conclusão do projeto. É importante contabilizar tudo: custos fixos (água, luz etc), com materiais para produção de roteiro e planejamento, equipamentos e assim por diante. Quanto mais detalhada for essa lista, mais assertivo será o cálculo.

Calculando o ROI da produção de vídeos na prática

Veja um exemplo para facilitar:

Investimento total: R$ 6.500

  • Gravação (locação + equipamentos): R$1.000
  • Roteirista: R$ 500
  • Animador: R$1.500
  • Divulgação e Vídeo Marketing: R$2.200
  • Edição: R$1.000
  • Outros custos (luz, material de escritório, etc): R$300

Receita obtida: R$ 19.500

ROI = (19.500 – 6.500) / 6.500 = 2 ou 200%

Mantendo isso sobre controle, você atinge um crescimento saudável, seguro e planejado. Comece com produções menores e avalie o que funciona melhor. Com o passar do tempo, saberá no que investir para ter resultados mais vantajosos.

Compare todos esses dados com os números anteriores ao uso de Vídeo Marketing para ter um panorama claro da mudança gerada após a sua implementação.

gerar resultados com vídeo

Percebe como o formato impacta positivamente sua estratégia? O investimento é mais do que vantajoso: é necessário para manter-se competitivo na era digital. Por isso, criamos um conteúdo aprofundado, reunindo toda a informação de que precisa para aderir à tendência.

Clique aqui e leia um guia incrível sobre a produção de vídeos para Marketing Digital!

Além disso, criamos um setor totalmente voltado à produção de vídeos WOW!, como todos os nossos conteúdos. Caso precise de ajuda, nós temos a solução! Entre em contato 😉

 

Página 1 de 512345

Contato