Gestão de conteúdo: como montar um processo realmente eficiente?

Gestão de conteúdo: como montar um processo realmente eficiente?

Já não é segredo para ninguém o sucesso das estratégias de Marketing de Conteúdo em empresas de todos os setores. É por isso que, segundo o relatório Estado do Inbound 2017 da Hubspot, 53% dos profissionais de agências digitais vêem o processo de gestão de conteúdo como sua prioridade. 

No entanto, há um dado que contrapõe este de maneira preocupante. Segundo o Content Marketing Institute, apenas 30% dos responsáveis pelas ferramentas B2B estão satisfeitos com os resultados de seu desempenho via Inbound Marketing.

Você se insere nessas estatísticas?

Um dos motivos que causam esta insatisfação é a má gestão de conteúdo

Por vezes, as marcas deixam de criá-la ou mesmo contratam alguém que a faça. Isso acarreta em uma redução na qualidade das entregas e em materiais que não performam como o esperado.

A seguir, vamos provar como a organização de um workflow planejado para todas as etapas da gestão de conteúdo auxilia no cotidiano e pode garantir a eficácia de uma estratégia.

Você vai ler sobre:

  • Como estruturar um processo de gestão de conteúdo assertivo
  • Quais ferramentas otimizam uma estratégia de Inbound Marketing
  • De que forma a gestão de conteúdo pode ser implementada

A importância de um bom processo de gestão de conteúdo

Quem tem um processo de gestão de conteúdo eficiente, investe menos tempo com refações desnecessárias, execução de tarefas e falhas de comunicação entre suas equipes. Conhece a frase “tempo é dinheiro”? 

Logo, a gestão de conteúdo é sinal de economia.

A conta se torna imbatível quando vem junto de um acréscimo nos níveis de qualidade do material produzido e também de satisfação por parte dos clientes e funcionários. Ou seja, no fim das contas, todo mundo sai ganhando. 

Agora, vamos à prática! 

A criação do processo de gestão de conteúdo

Para fazer essa mágica dentro da sua empresa, é preciso seguir algumas etapas. São elas:

Ter pontos de partida e de chegada

Estabeleça o ponto inicial do seu processo de produção de conteúdo e identifique qual é o primeiro passo – o pedido do cliente, a confirmação da primeira parte do pagamento, etc. 

Logo após, também é importante definir o ponto final da gestão de conteúdo. Ele pode ser tanto a entrega do material quanto a coleta de um feedback. Assim, tudo depende de como funciona o seu processo comercial.

Reconhecer pessoas envolvidas

Analise todos os profissionais que farão parte do processo, desde o responsável por coletar e fazer as propostas de trabalho até aquele que preza pela felicidade do cliente. Liste-os e busque meios para acompanhar sua produtividade, como softwares de gestão de equipes.

Necessariamente, você deve saber quem e quantos são, fora o que cada um precisa fazer para a garantia de bom andamento do processo de gestão de conteúdo.

Manter a informação centralizada

Escolha uma forma de centralizar todo o material relevante e necessária ao processo de produção de conteúdo. Assim, o local deve ser acessível à todos os envolvidos e conter as informações essenciais para cada etapa. 

Nesta brainbox, como gostamos de chamar, devem estar contidas:

  • informações sobre o cliente;
  • definições das buyer personas;
  • indicações de manual, referências e briefings.

Isso evita, por exemplo, que perca-se tempo em uma situação onde é preciso desenvolver um blogpost e um vídeo sobre o mesmo tema. Uma vez que a pesquisa é comum a ambas as tarefas, isso poupa trabalho e garante a homogeneidade da informação.

Na Gummy utilizamos táticas de gestão de conhecimento e design thinking para organizar e categorizar informações e dados fornecidos pelos clientes.

Ferramentas de gestão de conhecimento e gestão de projetos podem ser úteis nessa etapa do processo.

Lembre-se: a disciplina é a alma da otimização. Repita isso como um mantra.

Aplicar um plano de execução

Descreva objetivamente todas as atividades a serem implementadas do início até o fim do processo de produção de conteúdo. Isso inclui as fases de brifagem, o levantamento de referências, a criação textual, as revisões – sejam elas internas ou externas – e as entregas.

Adicione os prazos a este cronograma e deixe bem clara a relação entre seus conteúdos, facilitando o engajamento do time.

Faça com que esse cronograma seja colaborativo e esteja facilmente visível a todos os envolvidos na execução e entregas.

Instituir um padrão de qualidade

Indique critérios a serem avaliados na hora da aprovação do material. Essa tática é muito relevante na gestão de conteúdo e deve ser levada em conta.

Outra alternativa interessante é estabelecer filtros, a fim de verificar a adequação do texto às orientações do manual do redator. Novamente, a documentação prévia de todas essas atividades será de imensa ajuda.

Afinal, é baseado no que foi estabelecido ao longo do processo de gestão de conteúdo que somos capazes de julgar a qualidade esperada. 

Inclusive, quando se refere ao atraso das entregas – ou mesmo, o fato de não cumprir com o que acordado -, é melhor que ocorra um adiamento do que oferecer um serviço mal executado.

Apostar nas ferramentas certas

Selecione os instrumentos adequados, com o intuito de que sejam a garantia do sucesso de qualquer estratégia dentro da sua organização.

Nesse sentido, há várias opções disponíveis no mercado que podem auxiliar o seu time em diferentes táticas. Algumas delas são gratuitas, outras pagas. Vale à pena desenvolver uma pesquisa e analisar quais as melhores opções para cada caso.

Embora plataformas de conteúdo possam agilizar processos mais robustos, existem alternativas gratuitas que podem Trello, por exemplo, é uma excelente ferramenta para organizar ideias de modo prático, simples e intuitivo. Além disso, permite o compartilhamento de informações com o restante da equipe, dinamizando o acesso a dados importantes. 

Já o Zenkit oferece, além do Kanban, a opção de desenhar processos visuais, incluir cronogramas e calcular o número de horas gasto em cada tarefa do processo, combinando gestão de projeto e gestão de conteúdo.

A verdade é que, no cenário empresarial, todos os recursos necessitam estar sob absoluto controle. A estruturação dos processos dentro de qualquer companhia é a grande sacada que leva as empresas a crescerem de modo programado e rápido. Uma vez que, junto ao controle, vem a escalabilidade.

No que tange especificamente ao conteúdo, aplicando essas táticas, você criará um projeto com vasto potencial para trazer os melhores resultados. Caso seu negócio ainda não tenha condições e/ou disponibilidade de implementá-los a nível operacional, busque parceiros que possam suprir esta demanda. Teste agora mesmo e perceba a diferença!

Para ter certeza de que você não irá mais sofrer com obstáculos no processo de gestão de conteúdo, continue lendo nosso blog e descubra o que há de mais atual sobre marketing de conteúdo. Até mais! 🙂

Ferramentas para criação de vídeos online

Ferramentas para criação de vídeos online

Para ser bem sucedido a frente do departamento de Marketing, você precisa se atualizar constantemente. Diante disso, imaginamos que você já esteja com o olhar voltado para a tendência do vídeo marketing e as ferramentas de vídeos para essa produção.

Como o assunto está em alta (inclusive, temos vários conteúdos sobre vídeos aqui em nosso blog), muitos estão se aventurando em criar seus próprios vídeos e diversificando a produção de Inbound. É justamente pensando nesse pessoal que decidimos criar um post para apresentar algumas das melhores ferramentas de vídeos disponíveis no mercado. 

Você vai ler sobre:

  • 3 ferramentas de vídeos para você utilizar em sua empresa;
  • Como potencializar a criação audiovisual com ferramentas de vídeos;
  • A importância de criar vídeos de qualidade.

O potencial do audiovisual com ferramentas de vídeos

Com o avanço das tecnologias digitais, o vídeo se tornou um verdadeiro divisor de águas para as estratégias de Inbound. 

Não adianta mais investir apenas em conteúdos tradicionais do Marketing Digital – como blogposts e redes sociais.

O consumidor de hoje exige um passo além: você precisa produzir conteúdos que façam jus ao dinamismo e interatividade dos nativos digitais. A prova disso é o dado de que 68% dos consumidores prefere se informar sobre um produto através de vídeos curtos.

Vídeos estes que podem estar em diferentes formatos, para abranger todas as etapas da jornada de compra. 

Conforme a mesma pesquisa da HubSpot, estes são os formatos que os leads desejam consumir:

  • 39% quer mais vídeos explicativos;
  • 20% gostaria de assistir mais virais;
  • 12% preferem os demos;
  • 10% gostam de vídeo blogs;
  • 9% prezam pela interatividade no conteúdo em vídeo;
  • 6% querem ver mais tutoriais de softwares.

Certamente, a demanda por vídeos é grande e o investimento por parte das empresas também: 87% já está produzindo esse tipo de material – e a perspectiva é que o número cresça cada vez mais. 

Nesse cenário, você precisa de muita qualidade para chamar a atenção e ter diferencial competitivo.

É um trabalho para profissionais capacitados-  e que precisa das ferramentas certas para proporcionar bons resultados. Afinal, boas ideias com execuções medíocres são apenas desperdício do seu potencial.

Não deixaremos você cair nessa: se estiver buscando ferramentas de vídeos para deixar suas produções cada vez mais incríveis, está no lugar certo! 

Sem mais delongas, conheça nossas sugestões para fazer a diferença na execução de sua estratégia de Marketing. 

3 ferramentas de vídeos para criação de conteúdo online

A concorrência é grande. Quase todo mundo pode produzir conteúdo em vídeo, basta ter um smartphone que já é possível gerar muito material. 

Entretanto, o diferencial está em conferir ao material um aspecto profissional, que faz com que ele se destaque diante dos demais.

O segredo para alcançar esse efeito está em dois ingredientes:

  1. Profissionais especializados em produção de vídeo, capazes de planejar e executar a produção audiovisual com maestria;
  2. Ferramentas de vídeos para dar aquele toque final e gerar resultados com mais qualidade.

Caso já tenha os profissionais certos à disposição, é hora de olhar para as ferramentas de vídeos que irão potencializar o seu trabalho! Vamos lá?

1. Collaj

Collaj é uma das ferramentas de vídeos mais utilizadas tanto para criação, quanto para a edição do material. Ele funciona em diferentes sistemas operacionais, podendo ser utilizado tanto em Windows quanto em Macs.

Seu design é projetado para ser simples: qualquer pessoa da equipe é capaz de utilizar o software e alcançar resultados interessantes. Por meio dele é possível criar vídeos de gravação da tela, webcam, áudio – ou tudo ao mesmo tempo!

Além disso, também é possível gravar vídeos multi-stream com integração de slides em Power Point.

Entretanto, este não é um software gratuito. Sua versão demonstrativa permite gravar e editar somente até dois minutos de vídeo. 

Por isso, se quiser o máximo de suas ferramentas de vídeos, é válido considerar o investimento e adquirir a versão que mais se encaixa para sua empresa.

Veja um vídeo demonstrativo do software em funcionamento:

https://www.youtube.com/watch?v=AImObKKyptU – INSERIR VÍDEO

2. Soapbox

Se a grana estiver curta e um investimento como o Collaj fora de cogitação, talvez o Soapbox seja a melhor opção.

Ele é uma ferramenta gratuita que funciona através de uma extensão para Google Chrome. Com isso, você consegue criar e editar vídeos profissionalmente direto do navegador, em qualquer laptop. 

Apesar dos resultados serem bons, é um software indicado para pessoas sem conhecimento da linguagem. Logo, pode ser que um profissional da área talvez sinta falta de alguns recursos – mas para quem está começando é de grande utilidade!

Dentre suas ferramentas de vídeos está a possibilidade de gravar a tela e a webcam, intercalando entre as duas se for necessário.

Confira a apresentação do software em vídeo:

https://www.youtube.com/watch?v=BxkTP2nUjhU INSERIR VÍDEO

3. Sony Vegas

Agora, se você é profissional da área e está seguro para ir direto ao módulo avançado, o Sony Vegas é a melhor opção! 

Atualmente, ele é uma das alternativas mais completas do mercado voltado para um público que já tem conhecimento sobre ferramentas de vídeos.

Apesar de não ser tão intuitivo quanto as sugestões anteriores, os resultados valem a pena. Os recursos do Sony Vegas geram materiais absolutamente profissionais, permitindo controlar aspectos como: 

  • Tratamento profissional para áudio;
  • Vídeo HD com áudio Dolby Digital;
  • Edição em 3D.

E muito mais! Assista o demo do Sony Vegas Pro para entender a capacidade do produto:

https://www.youtube.com/watch?v=dmILYkAA68Q INSERIR VÍDEO

É claro que existem outras alternativas, mas essas três já servem para profissionais em diferentes níveis de intimidade com a produção de vídeos para Marketing Digital.

Outra boa saída é contratar uma produtora de vídeo especializada e deixar que eles façam o serviço. Você terá a garantia da qualidade e de um trabalho totalmente minucioso – uma vez que estes profissionais conhecem as ferramentas de vídeos certas para cada ocasião e, assim, alcançar o efeito que você deseja.

A produtora pode dar conta de todas as etapas da criação, deixando que você fique livre para cuidar de outros assuntos importantes para a sua estratégia.

E então? Qual será sua opção: produzir internamente com ferramentas de vídeo ou contar com ajuda de profissionais especializados? Seja qual for, o importante é investir em Vídeo Marketing o quanto antes para não ficar para trás! 

Portanto, se precisar de uma mãozinha, entre em contato conosco! 🙂

Comente abaixo quais ferramentas de vídeos já trouxeram os melhores resultados para você.

Porém, não pare agora: o Vídeo Marketing pode te levar ainda mais longe. Baixe o e-book “Como gerar resultados com vídeo” e saiba como chegar lá!

Até mais! 😉

Roteiro para vídeo online: tudo o que você precisa saber

Roteiro para vídeo online: tudo o que você precisa saber

Quando a assunto é conteúdo digital, dá licença: os vídeos vêm na frente! Eles são verdadeiros donos da p* toda, sendo o formato preferido de 68% dos consumidores, segundo estudo da HubSpot.

Logo, nesse cenário, aprender a montar um bom roteiro para vídeo é fundamental para obter sucesso na sua estratégia de conteúdo.

Como está a produção de vídeos no seu plano de Inbound? Quer acrescentar mas não tem ideia de como garantir a qualidade? Nós podemos ajudá-lo!

Preparamos este post para tirar todas as suas dúvidas sobre roteiros para vídeo online. Desse modo, você terá tudo que precisa para planejar, produzir e veicular conteúdos incríveis e que vão gerar muitos leads para sua empresa!

Você vai ler sobre:

  • A importância do planejamento do roteiro para vídeo;
  • Os diferentes tipos de roteiros para vídeo;
  • As etapas de criação de um bom roteiro para vídeo.

A importância do planejamento do roteiro para vídeo online

Já falamos muito sobre as vantagens do Vídeo Marketing e o fato de que esta é, definitivamente, a maior tendência do Marketing Digital para 2019. 

Para não nos repetirmos demais, você pode clicar aqui e ler tudo sobre as vantagens do uso de vídeos no Inbound.

O principal é saber que 87% dos profissionais de marketing já utilizam esse formato, ainda segundo pesquisa da HubSpot. Dentre todos os adeptos do Vídeo Marketing, 83% afirmam ainda, com certeza, que o Retorno Sobre o Investimento (ROI) da estratégia é vantajoso para a empresa e promove crescimento nos negócios.

Nosso foco, portanto, será naquele que é a base de qualquer conteúdo audiovisual: o roteiro para vídeo online.

Podemos dizer que o roteiro é a base da estratégia de Vídeo Marketing, pois sem ele os conteúdos seriam uma verdadeira bagunça. O roteiro para vídeo é justamente o documento que serve para organizar tudo que é referente à criação audiovisual.

Nele estão contidas informações como:

  • Descrição e ordem das cenas;
  • Locais de gravação;
  • Personagens e suas especificações;
  • Tom de voz e noções de direção que devem ser aplicadas;
  • Equipamentos e outras necessidades técnicas da gravação;
  • Indicações para a edição de vídeo;
  • Texto de todos os diálogos que serão apresentados.

Sem um documento para unificar todas essas informações em um lugar só, seria muito difícil gerir um projeto dessa natureza: são muitas coisas acontecendo ao mesmo tempo e diferentes profissionais envolvidos. 

Se o roteiro para vídeo não estiver adequado, é possível que até mesmo conflitos apareçam em meio à equipe – o que pode prejudicar a produção! 

Vídeos incríveis, resultados ainda melhores

Além disso, o roteiro para vídeo acelera o tempo de produção e otimiza os resultados. E essa é parte que mais deve interessar a você enquanto gestor(a) do Marketing de uma empresa: de acordo com a Forbes, 90% dos usuários acreditam que os vídeos influenciam na decisão de compra.

Isso quer dizer que se você apresentar ao seu público um vídeo mal feito, o resultado será negativo. 

A falta de qualidade tira a credibilidade do seu serviço e desencoraja o lead a prosseguir na jornada de compra. Por outro lado, um vídeo com primor técnico atrai e traciona o lead, aumentando (e muito!) as chances de venda.

Enfim, não é difícil saber de qual lado você deseja estar, certo? Então, capriche no roteiro para vídeo com as dicas que virão a seguir! 

Os diferentes tipos de roteiro para vídeo online

Bem, considerando que o roteiro é uma prática comum para qualquer produção audiovisual, existem diferentes tipos de roteiro para vídeo. Afinal, uma produção cinematográfica é bem diferente da produção de um vídeo para Marketing Digital, certo? 

A menos que a proposta seja causar um efeito cinematográfico, sim! Afinal, o recente vídeo comercial da Renault inspirado em Caverna do Dragão deu o que falar! A produção quase cinematográfica junto da releitura de um clássico que marcou gerações teve um efeito incrível! Tá por fora? Dá uma olhada no conteúdo:

INSERIR VÍDEO – https://www.youtube.com/watch?v=kC9-bfsNne8

Produções de vídeos para Marketing Digital costumam ser mais simples e menos custosas. Especialmente em empresas de médio e pequeno porte. O objetivo é chamar a atenção do lead e fazê-lo lembrar de sua marca

Dito isso, esses são alguns tipos de roteiro para vídeo online que você pode aplicar na sua estratégia:

1) Texto direto:

Esse talvez seja o modelo de roteiro para vídeo online mais simples de todos. Como o próprio nome já diz, ele é caracterizado pela apresentação de todos os detalhes em um texto corrido. 

É uma grande descrição sobre tudo que acontecerá no vídeo, de forma simples e direta. Como em uma redação, você deve descrever exatamente o que acontece na imagem e quando as falas entram – sejam elas um diálogo ou uma narração.

Esse tipo de roteiro é bom para quem trabalha sozinho e tem uma ideia clara do que pretende fazer em mente. De modo que o texto serve apenas como um guia geral. 

Também é uma excelente alternativa para vídeos narrativos que demandam pouca edição de imagens – como tutoriais ou vídeos explicativos, por exemplo. 

2) Técnico:

O roteiro técnico também é bastante simples, pois seu objetivo é ser compreensível por toda a equipe envolvida. 

Isso inclui também pessoas que podem não ter familiaridade com a linguagem audiovisual. Portanto, deve ser escrito de forma que permita a qualquer um ter uma boa ideia de como será o resultado final do projeto.

Nesse modelo, deve-se dividir o roteiro em duas colunas: uma para a descrição de tudo que faz parte do áudio e outra com todos os elementos de vídeo. Também é possível incluir uma terceira coluna contendo a duração de cada item para tornar o roteiro para vídeo ainda mais preciso. 

3) Espelho:

Também conhecido como roteiro de 5 colunas, esse é um dos modelos mais detalhados de roteiro para vídeo. Pela quantidade de informações, costuma ser muito utilizado, pois é bastante simples e assertivo.

As colunas que organizam o roteiro Espelho são:

  • Número/nome da cena;
  • Personagem/emissor da fala;
  • Texto falado
  • Letterings;
  • Descrição de todas as ações que compõem a cena.

Por meio desse modelo é possível oferecer orientações minuciosas e aprofundadas. Isso garante mais controle sobre o resultado final e a certeza de um conteúdo de qualidade.

Esses três modelos são exemplos que podem ser misturados, alterados e apropriados do modo como for melhor para sua estratégia. 

Cada material tem suas próprias necessidades e cabe ao diretor(a) de Marketing avaliar a mais adequada para cumprir seus objetivos. O principal é ficar atento às etapas de produção – que são fundamentais para o sucesso do vídeo.

Etapas de criação do roteiro para vídeo online

Processos bem estruturados são tudo dentro de uma empresa! E no departamento de Marketing não é diferente. 

Por isso, essas são algumas etapas que você precisa considerar na hora de criar um roteiro para vídeo:

1- Planejamento:

Toda empreitada é mais bem sucedida com um planejamento adequado. Antes de partir para a prática é importante ter em mente quais são os seus objetivos e como abordá-los dentro do material.

Isso começa pela definição do tema e dos objetivos específicos de cada conteúdo. Ou seja, sobre o que você quer falar e o motivo pelo qual quer falar disso. 

Pode ser um conteúdo voltado para atração, venda ou ainda para a instrução dos clientes sobre o uso do produto. É tudo uma questão de escolha!

Depois, cabe planejar o percurso para alcançar o objetivo. Naturalmente, seu material deve ter um início, meio e fim. 

Na hora de produzir o roteiro para vídeo isso quer dizer planejar uma introdução ao tema, o desenvolvimento do conteúdo e o encerramento para tornar evidente a mensagem principal. Pense também na duração de cada conteúdo e o ritmo que você gostaria que o material tivesse. 

2- Adequação à persona:

A segunda etapa é avaliar se o planejamento do roteiro está de acordo com os interesses de suas personas e adequar o que for necessário.

Nesse momento, você precisa realizar um estudo aprofundado das personas da empresa. 

Observe questões como:

  • Dores enfrentadas;
  • Temas de interesse;
  • Assuntos que estão na moda e são relevantes para elas.

Uma forma de conseguir esse tipo de informação é  pesquisar em plataformas para levantamento de keywords, grupos que a persona participa em redes sociais e até entrevistas dos seus clientes.

Feito isso, adeque a linguagem para gerar rapport com seus leads. Use um tom de voz e vocabulário coerente com o público-alvo para garantir engajamento e qualidade de comunicação.

3- Finalização:

O último passo é acertar os detalhes finais do roteiro para vídeo.

Primeiramente, faça uma boa revisão em todo o material produzido até o momento. Corrija os erros de português do roteiro, verifique se a listagem de equipamentos está completa e assim sucessivamente . 

Depois, escolha os Call To Action adequados para cada conteúdo. É muito importante definir bons CTAs, pois são eles quem garantem o tracionamento do lead pela jornada do consumidor.

Por fim, verifique se as indicações de edição e pós-produção também estão coerentes para garantir que não terá nenhuma surpresa desagradável no material finalizado. Quando tiver certeza de que está tudo certo, comece a pensar na produção e divulgação.

Tá vendo como não é tão difícil? É trabalhoso, mas perfeitamente possível e muito vantajoso para a estratégia de Inbound! Em caso de dificuldades, nunca se esqueça de que é possível contar com produtoras de conteúdo.

Terceirizar a produção com uma agência especializada lhe poupa tempo e esforço que podem ser direcionados para a gestão de outros aspectos da estratégia de Marketing Digital. Avalie qual alternativa vale mais a pena para você e vá fundo nela! 

O que não pode é ficar no basicão e acabar perdendo espaço no mercado para concorrentes com estratégias mais atuais e dinâmicas.

E aí, bora produzir? Seus leads e clientes certamente ficarão mais satisfeitos com o uso desse formato que é o grande favorito da vez! A gente tem certeza da eficiência desses materiais e estamos disponíveis para ajudar caso seja necessário! 

Que tal aproveitar e já baixar um material rico sobre como produzir vídeos para Marketing Digital? Basta clicar aqui!

Até mais! 🙂

 

Como utilizar streaming de vídeo na sua estratégia de conteúdo

Como utilizar streaming de vídeo na sua estratégia de conteúdo

O streaming virou um hábito: quando você chega em casa e liga o Netflix, por exemplo, você já está consumindo esta tecnologia. 

Muito se ouve sobre streaming de vídeo, streaming de áudio… Mas você realmente sabe como usar tudo isso a seu favor quando o assunto é Marketing Digital? Se você tem dúvidas sobre o assunto, este post contém todas as respostas necessárias!

Neste post, vamos falar especialmente sobre streaming de vídeo para ajudá-lo a inovar em seu planejamento de conteúdo. 

Você vai ler sobre:

  • O que é streaming de vídeo;
  • Os diferentes tipos de streaming de vídeo;
  • Exemplos de plataformas de streaming de vídeo de sucesso.

Streaming de vídeo: o que é isso?

Bom, para começar vamos definir exatamente o que é streaming. Streaming trata-se da tecnologia digital que permite transmitir dados multimídia instantaneamente por meio da internet.

Você lembra quando era preciso abrir o eMule (ou quaisquer outros similares) e passar horas esperando aquele clipe baixar para assistir em seu computador? É graças ao streaming de vídeo que, atualmente, estamos todos livres disso! 

Com essa tecnologia, tornou-se possível consumir conteúdo audiovisual instantâneamente – sem sequer precisar gastar espaço nos HDs da vida. 

Nesse sentido, os conteúdos streamados podem ser em áudio ou vídeo, tal como podcasts ou o episódio da sua série favorita naquele site esperto.

Uma curiosidade interessante é saber que stream significa córrego em inglês. Ou seja: um fluxo contínuo – tal qual o fluxo de informações no streaming de vídeo

Ô tecnologia incrível, concorda? 🤩

Entretanto, existem diferentes formas de fazer esse tipo de transmissão de conteúdo, como explicaremos a seguir!

A diferença entre streaming e live streaming

Agora que você compreende o conceito básico de streaming, falaremos um pouco sobre o seu funcionamento. Dessa maneira, ficará mais fácil compreender as diferenças entre streaming e live streaming de vídeo.

O que permite que você assista ao conteúdo enquanto ele carrega é o modo como isso é feito. No streaming de vídeo, por exemplo, acontece assim:

  1.  O usuário decide acessar um conteúdo em áudio ou vídeo;
  2. Através da internet a plataforma baixa somente os dados iniciais do conteúdo;
  3. Enquanto estes dados são executados, o player baixa os dados do trecho seguinte;
  4. Os dados que já foram reproduzidos são deletados para dar lugar aos novos.

E assim sucessivamente. Se você tem um bom ponto de acesso à internet, você nem sequer percebe essas interrupções, que são chamadas de buffering. É o que acontece em nos vídeos hospedados na plataforma do YouTube, por exemplo.

Naturalmente, a tecnologia para streaming de vídeo também evoluiu, assim como a qualidade dos serviços de internet. Logo, popularizou-se outra modalidade de streaming, que são as lives.

O live streaming de vídeo é similar ao streaming tradicional, porém, com certas particularidades. Nas lives os dados não estão armazenados na plataforma, mas são transmitidos diretamente para o player em tempo real.

Eles são transmitidos e reproduzidos ao mesmo tempo, de modo que qualquer oscilação na conexão por parte de um dos lados prejudica a transmissão. É o caso das transmissões de eventos ao vivo, como shows e jogos esportivos.

E qual o impacto do streaming de vídeo em minha estratégia?

Primeiramente, sua estratégia de conteúdo tem muito a ganhar com a utilização de vídeos. A produção de vídeos oferece um Retorno Sobre Investimento (ROI) vantajoso – como você pode aprender a calcular aqui

Se não fosse assim, a estratégia não teria uma adesão de 87% dos profissionais da área, segundo a Hubspot.

Especialmente no caso do streaming de vídeo, a perspectiva não poderia ser melhor. Estima-se que este formato arrecade aproximadamente 70 bilhões de dólares até 2021.

Com certeza existe espaço para você aproveitar sua fatia deste mercado bilionário. Afinal, o streaming de vídeo não tem essa hype por acaso. 

Dentre os principais motivos do seu sucesso estão:

  • Streaming de vídeo é um formato fácil de ser consumido:

O fato é que o consumidor de hoje prefere consumir conteúdo em forma de vídeo, pois estes são mais dinâmicos e de fácil compreensão. Além, é claro, de serem perfeitamente adequados para as redes sociais, onde boa parte da população gasta muito tempo do seu dia.

Por meio das redes sociais, fazer uma transmissão ao vivo é relativamente simples. Com uma câmera de smartphone já é possível conseguir bons resultados. Agora, imagine com equipamento especializado? O potencial é imenso!

  • O streaming é mais engajador:

Pessoas interagem muito com vídeos nas redes sociais: 90% dos usuários de mobile que consomem vídeos compartilham com outras pessoas. 

O potencial fica ainda maior durante live streamings – onde você pode interagir com o público diretamente e convidá-lo a comentar e compartilhar o material em seus perfis.

Está vendo como o impacto é real? Então, conheça agora algumas das maiores plataformas de streaming de vídeo e dicas de como aproveitar a tendência em cada uma delas!

 

As maiores plataformas de streaming de vídeo

Atualmente, as plataformas de streaming de vídeo se multiplicaram e são especializadas em vários nichos. 

Existem aquelas voltadas para filmes e séries (alô, Netflix!), live streaming de jogos (twitch.tv) e muitas outras. Por isso, antes de definir qual a melhor para sua estratégia é preciso avaliar os hábitos de suas personas.

Escolher a plataforma certa é fundamental, porque influencia diretamente na qualidade do resultado. Uma plataforma ruim pode deixar o vídeo lento ou ainda interromper a conexão com excesso de propagandas externas e telas pretas.

Busque saber quais temas e plataformas interessam mais ao seu público e foque nelas. Seu público sempre será o norte, jamais se esqueça disso! 

De todo modo, falaremos um pouco sobre as duas maiores redes sociais com suporte para streaming de vídeo que podem ser utilizadas por boa parte dos modelos de negócios. 

Vamos lá:

  • YouTube:

Dada a sua relevância, o YouTube é quase um sinônimo de streaming de vídeo. A plataforma ficou tão popular que hoje já é o segundo maior mecanismo de buscas do planeta!

Nela você encontra conteúdo em vídeo de (quase) todos os tipos e formatos. Todo o conteúdo postado fica armazenado na plataforma para que seja exibido em modo de streaming. 

O player ainda conta com suporte para live streaming – armazenando os vídeos no canal após a exibição para que sejam executados novamente.

Não tem como fazer uma estratégia de Vídeo Marketing sem levar em conta esse gigante do streaming de vídeo

Portanto, aproveite para ler também este material sobre como ganhar visibilidade na rede caprichando no SEO!

  • Instagram:

Uma rede que chegou de mansinho e hoje é uma das mais relevantes nas mídias sociais. O crescimento do sucesso da rede se dá muito pela criação dos stories. E, é claro, da possibilidade de fazer live streaming diretamente na plataforma.

O streaming de vídeo ao vivo no Instagram traz muitas vantagens para as empresas na rede. Os motivos podem que podemos listar são:

  • As lives sempre ficam em primeiro nos stories, o que traz mais visibilidade para o conteúdo.
  • Usuários que seguem e engajam-se com seu perfil são sempre notificados quando uma live acontece.
  • Nas lives é possível interagir com o público e estreitar relações com a marca.

Além de ser um conteúdo que possibilita um formato mais descontraído e coloquial, facilitando a criação de raport entre você e seus seguidores. 

Uma dica importante para você otimizar seus streamings de vídeo na rede é configurá-los antes de iniciar a live. Clique na engrenagem no canto da tela e você terá acesso a um menu com várias opções.

gerar resultados com vídeo

Por que marcas inovadoras apostam no marketing inclusivo?

Por que marcas inovadoras apostam no marketing inclusivo?

Ultimamente, um comportamento de grande parte das marcas têm chamado muita atenção. Os gigantes do mercado estão mostrando adesão às causas sociais e se comprometendo com ações de apoio aos valores de seus clientes: é a nova – e muito bem-vinda! – tendência do marketing inclusivo

Demorou, mas chegou o momento em que a compreensão de toda a diversidade do ser humano exige campanhas diversificadas

A sociedade cansou de assistir a propagandas e consumir conteúdos que retratam apenas um único tipo de pessoa. Hoje, todos querem enxergar a si mesmos e sentirem-se representados nos meios de comunicação.

Se você também percebeu este movimento e quer se atualizar para fazer parte da transformação, chegou ao conteúdo certo! Nesta postagem falaremos sobre os princípios do marketing inclusivo e mostraremos os benefícios que essa humanização na comunicação pode trazer para sua empresa!

Você vai ler sobre:

  • O que é marketing inclusivo;
  • Os princípios básicos do marketing inclusivo;
  • Exemplos de marcas que já utilizam marketing inclusivo.

O que é marketing inclusivo?

Marketing inclusivo é o direcional de criar conteúdos que reflitam toda a diversidade da sociedade. É sair do padrão, daquilo que dominou a mídia ao longo de muitos anos para retratar outros corpos, culturas e vivências.

Naturalmente, isso quer dizer um incluir no conteúdo minorias sociais, raciais, questões de gênero, diferentes corpos, cultura, entre outros aspectos. Não com o objetivo de simplesmente se aproveitar da hype, mas para trazer visibilidade e levar uma mensagem positiva para o mundo! 

E pode ter certeza que isso não é somente discursinho: trata-se de uma demanda real do consumidor de hoje em dia! Segundo uma pesquisa recente publicada pela Salesforce, 90% dos consumidores acreditam que é responsabilidade das empresas tornar o mundo um lugar melhor.

Some esta informação à demanda de hiper personalização da jornada de compra e verá que o marketing inclusivo é a nova regra para participar da transformação que estamos vivendo.

Então, que tal se juntar ao time e usar seu branding para inspirar e motivar todo tipo de pessoas? Vem com a gente: dê uma olhada em cinco princípios básicos do marketing inclusivo a seguir!

 5 Princípios básicos do marketing inclusivo

Como boas intenções não são tudo na vida, vamos ensiná-lo o caminho para participar desse movimento e criar uma campanha de marketing inclusivo

1. Tom do conteúdo:

O tom de um conteúdo é, de modo geral, o estilo dele. A cara do material, incluindo o sentimento que ele quer passar, suas características e opções estéticas. Comunica além do sentido das palavras.

Basta pensar que, conforme o seu tom, um conteúdo com o mesmo tema que outro pode soar ofensivo, enquanto o outro não.Para definir o tom do conteúdo duas noções são fundamentais:

  • Objetivos daquele material;
  • Características da persona.

Buscando estas referências em seu planejamento, o tom mais adequado deve ficar mais claro para você.

2. Linguagem:

A linguagem já diz mais respeito ao modo como você fala cada coisa. É a escolha das palavras, frases, gírias, referências, metáforas… Tudo que compõe o conteúdo e comunica as informações que você deseja passar. 

Mas isso também não é algo de outro planeta! Afinal, você provavelmente não conversa da mesma maneira com seu namorado(a) e com o pessoal da empresa, certo?

Isso acontece pois a linguagem deve ser adaptada conforme o grupo social que desejamos atingir. Novamente, é uma questão de conhecer as personas e se comunicar como elas.

Um ponto importante de ressaltar acerca da linguagem no marketing inclusivo é pensar a própria língua de maneira crítica. 

Atualmente, sabemos que inúmeros termos que eram aceitos antigamente têm uma origem nefasta. São expressões de cunho racista, homofóbico, machista e outras construções ofensivas da linguagem! 

Elas devem ser eliminadas do seu vocabulário imediatamente. Por isso, a melhor solução é criar um guia de redação contendo todas as expressões problemáticas que você identificar. Sempre seguida de uma alternativa adequada para que possa ser substituída.

3. Representatividade:

Está aí uma palavra que temos ouvido bastante. Representatividade na arte, no mercado, no ensino. O fato é que, agora, reconhecemos a importância e o impacto de um indivíduo se ver representado nas grandes mídias da sociedade.

Quando nos identificamos com alguém, criamos esperança e nos inspiramos para atingir uma realidade possível. Por esse motivo é tão importante buscar diversificar os modelos positivos de representação das pessoas.

Quanto mais incluída a pessoa se sente, mais confortável e vinculada à marca ela fica. Hoje em dia, personalização é tudo – e isso não pode ser alcançado se o lead não se enxergar dentro da sua marca.  

É uma questão de pertencimento e inclusão, ou seja: tudo que o novo marketing precisa promover!

4. Contexto:

Contexto é tudo! Uma frase ou um conteúdo lançado em diferentes épocas ou nichos comunicará coisas completamente diferentes. Logo, estar ligado à realidade das personas é – novamente – tão importante.

Você precisa saber o que ela pensa, como ela age e o que está acontecendo ao redor dela naquele momento. Isso serve para buscar referências potentes que causem uma identificação instantânea e positiva – mas, também, para tocar em pontos sensíveis para aquela comunidade e gerar recusa ao invés de aproximação. Portanto, cuidado!

5. Desconstrução de estereótipos:

Se tem uma coisa que ninguém mais aguenta são os estereótipos já tão batidos em nossa sociedade!

O asiático inteligente, a mulher maternal e cuidadosa, o homem todo poderoso, o corpo perfeito…

Não é que eles sejam proibidos, mas devem ser usados com muita cautela e reflexão. O ponto é que toda essa necessidade da recuperação de um marketing inclusivo surgiu justamente pela insistência nesses estereótipos durante anos. 

Insistir neles é reforçar uma mensagem que, em muitos casos, já soa ultrapassada e incômoda para boa parte dos consumidores.

Tente não resumir pessoas e grupos aos lugares mais comuns. Explore novos modelos de representatividade e observe como você passará a atingir pessoas mais reais – com as quais suas personas possam se identificar de verdade

Exemplos de marketing inclusivo que fizeram sucesso

Além da teoria, queremos mostrar a você como esses conceitos funcionam na prática de algumas empresas que deram certo. É provável que você já tenha visto algum destes exemplos, mas vale a pena relembrar:

1. Nubank

Mais do que defender a causa e colocar um filtro equivalente nas fotos das redes sociais, a empresa precisa abraçar verdadeiramente aquilo que está defendendo! 

Um exemplo recente e interessante é o do Nubank, que fez muito mais do que mudar as cores pela diversidade sexual! A organização têm políticas internas que respaldam pessoas LGBTQIA+ e ainda oferece oportunidades profissionais para pessoas de todos os gêneros e sexualidades.

Na campanha lançada para celebrar o mês do orgulho LGBTQIA+, em junho, eles colocaram sua equipe em evidência. O foco foi exibir depoimentos sobre como é a rotina de um LGBTQIA+ dentro de uma empresa que o respeita. Confira:

2. Dove

Outro exemplo de marketing inclusivo foi realizado pela Dove na campanha do seu shampoo da linha “Reconstrução Completa”. 

No conteúdo, vemos a diversidade de mulheres – seja nos aspectos raciais, estéticos ou das preferências de cada uma para usar o cabelo que quiser! 

Veja o vídeo:

3. Cacique

O último exemplo que apresentaremos é o da marca de sutiãs plus size Cacique. A campanha surge em contraponto às campanhas da marca Victoria’s Secrets – que apelidou suas modelos de “angels” e mantém um padrão de corpo magro e manequins menores.

Na campanha “I’m no angel” observamos corpos de diferentes manequins, além de depoimentos de mulheres reforçando uma mensagem positiva acerca dos diferentes tipos de corpos. 

 

Os resultados de um marketing mais positivo e humanizado

Está vendo como os resultados são incríveis e emocionantes? Desse modo, a sua empresa pode ajudar a divulgar mensagens positivas, empoderar pessoas e tornar o dia de alguém mais agradável. 

O que poderia ser melhor do que melhorar as vendas ao mesmo tempo em que propaga respeito e segurança?

Este foi o tema de uma das falas mais emocionantes do RD Summit 2018. Aconteceu na palestra de Fernando Kimura, que fez um apelo ao marketing inclusivo e humanizado. 

Utilizando de recursos sensoriais e propondo reflexões profundas sobre o papel das marcas e do consumidor, Kimura conseguiu emocionar a plateia e reforçar uma valiosa lição de humanidade. 

Caso não tenha tido a oportunidade, vale a pena tirar um tempinho para assistir a esta fala:

Você entende, agora, como marketing inclusivo faz a diferença? Não apenas na vida da sua empresa, mas na do seu consumidor! 

Dessa maneira, você gera identificação, satisfação e felicidade. Ao se engajar mais com seus conteúdos, os clientes e usuários se sentirão inspirados a compartilhar o seu material e aumentar o alcance do seu Inbound.

Esperamos que você esteja motivado para levar essa corrente do bem adiante, investindo em um marketing mais positivo para a sociedade e para seus negócios. Uma vez que você tem a ideia, a intenção e o conhecimento de suas personas, nós temos o resto!

Clique aqui e leia um artigo sobre produção de conteúdo digital para colocar sua estratégia de marketing inclusivo em produção o mais rápido possível!

Até mais! 🙂

Página 1 de 912345...Última »

Contato