Não queremos comprar pessoas: esse negócio não existe no mercado. Desejamos, sim, atrair a atenção delas para as soluções que podemos oferecer.

O conceito de atração tornou-se praticamente um sinônimo do Inbound Marketing. Mas para atrair um público com potencial de compra, é importantíssimo entregar relevância e agregar valor à sua marca ou produto, principalmente quando falamos em produção de conteúdo.

Afinal, ao vender um serviço ou produto, acredita-se que ele seja compatível ao que se propõe, certo?

De nada adianta desenvolver o melhor produto ou serviço e não conseguir vendê-lo. Da mesma forma, não adianta empurrá-lo goela abaixo para cumprir tal feito.

A boa notícia é que existem diferentes tipos de conteúdo para Inbound Marketing que podem – e muito – auxiliá-lo nessa empreitada.  

Nesse sentido, a versatilidade do Inbound é sua melhor amiga. Selecionamos 10 formatos de conteúdo para Inbound Marketing para ajudar você a vender o seu peixe de forma realmente eficaz.

Neste conteúdo, você vai ler sobre:

 

  • 10 diferentes tipos de conteúdos para Inbound Marketing
  • Como entregar conteúdos de maneira satisfatória

 

Primeiramente, Você sabia que o Inbound Marketing custa nada mais, nada menos do que 62% mais barato do que o Outbound Marketing?

Com o Inbound Marketing, você entrega mais do que um produto ou serviço: você disponibiliza conhecimento. E informações relevantes são sempre bem-vindas.

Antes de começar, vale lembrar que o conteúdo é a cereja do bolo da sua estratégia. É ele quem cativará as pessoas com quem você quer dialogar. Sabendo como falar para o seu público alvo – e, principalmente, o que falar – já há uma grande possibilidade de obter sucesso com estratégias Inbound.

Depois, é só escolher sob qual formato você deseja entregar esse conteúdo ou, em outras palavras, como você deseja sanar uma necessidade ou dúvida de sua audiência.

Como sabemos que o Inbound é versátil e possibilita um universo de escolhas,  selecionamos 10 tipos de conteúdo para Inbound Marketing e listamos suas principais vantagens.

 

1. Blogpost: igual coração de mãe

 

 

Eles são como coração de mãe: sempre cabe mais um. E eles aceitam qualquer assunto, sem distinção nenhuma.

Por conta desse formato eclético, são uma boa pedida quando o assunto é ranquear o blog nas buscas do Google ou outros buscadores. Por meio dos blogposts você pode se posicionar, também, como um especialista naquilo que vende.

Outra coisa importante é que não há um formato – e sim vários – para o blogpost. Ele não tem limite de tamanho: quanto maior, melhor! Você pode divulgar um evento, falar sobre um assunto específico que tenha a ver com a sua área de atuação, descrever um vídeo ou até mesmo uma webinar.

Com o blogpost, você mostra que está sempre atualizado, informa e educa ao mesmo tempo em que pode oferecer um conteúdo interativo. E, assim, continua atraindo mais e mais tráfego.

 

2. E-books – isca para leads

 

 

Para quem quer saber mais poder se aprofundar no tema que necessita, você estará lá para levar essa informação mais detalhada.

É por isso que o e-book pode ser considerado uma isca para leads. E se engana quem pensa que ele precisa ser enorme: na verdade, ele pode ter o mesmo tamanho de um blogpost – ainda que o recomendável é que tenha duas vezes esse tamanho.

O que importará, de verdade, é o que você entregará. A informação precisa ser mais específica e responder as perguntas que o seu possível lead tem. Esse formato garante, ainda, a atualização da sua lista de e-mails.

O e-book é entregue, geralmente, no formato de um PDF – para ser baixado. E como o próprio nome sugere, não esqueça de dividir o assunto em capítulos. Eles também não são livros digitais apenas de palavras: abuse das cores, infográficos e imagens.

Quem lê um e-book quer terminar o material sem nenhuma dúvida. Então, novamente: foco no conteúdo.

 

3. Webinars – quem sabe faz ao vivo

 

 

“Quem sabe do que está falando, não precisa de power point”, dizia Steve Jobs.

Se você também faz parte desse time, a produção de webinars é perfeita para o seu negócio.

Com baixo custo – é possível utilizar plataforma gratuitas de webinar, a produção desse formato costuma atender a diferentes objetivos.

Enquanto para a empresa representa uma poderosa arma de atração de leads, para o usuário, o formato é uma tendência cada vez mais aceita.

Afinal, nada melhor do que ouvir e ver quem sabe do que está falando! E, de quebra, em tempo real. Essa interação permite muito mais interatividade e ainda garante informação de qualidade para os seus seguidores.

Você não só irá gerar leads, como oferecerá um dos conteúdos mais procurados e acessados pelos usuários de hoje, que são os vídeos.

As webinars servem de ponto de encontro para quem se interessa pelo mesmo assunto; elas funcionam ainda como chats de vídeo em tempo real.

Mesmo após uma campanha de divulgação, é possível continuar gerando leads com webinars, já que, existe a possibilidade de disponibilizar o conteúdo para aqueles que perderem a live.

Um recurso realmente imbatível quando o falamos em custo x benefício de geração de leads.

 

 

4. Vídeos: quando a combinação som-imagem fala mais alto

 

Eles são os queridinhos do momento. Ao pensar em internet, automaticamente se faz a conexão com o vídeo. Eles informam de forma dinâmica, são versáteis e de fácil compreensão.

Mais do que terem caído no gosto da maioria esmagadora dos usuários, são a tendência para os próximos anos porque combinam interação de forma didática. Não tem como não pensar em sair na frente da concorrência e aumentar o tráfego do seu blog sem pensar em vídeos.

Eles permitem mais informação em um espaço de tempo menor. Podem ser curtos, com até 90 segundos, ou mais extensos. Podem ser educativos, institucionais ou altamente explicativos.

Há tipos de vídeos que podem, ainda, serem associados a outros tipos de conteúdo. Por exemplo: você pode combinar um vídeo com um blogpost que fala sobre o mesmo tema. Um pode complementar o outro.

A lista de possibilidades para os vídeos é enorme e muito rica, assim como as chances de você ranquear bem o seu negócio por meio deles, também.

Aqui você encontra um conteúdo sobre como utilizar vídeos para vendas e escolher o melhor formato para cada etapa do funil. Acessando esse material, você saberá exatamente como incluir e usar de maneira adequada os vídeos em sua estratégia de marketing digital.

 

5. Listas – numere motivos

 

As listas podem organizar a vida, o início de todos os anos e ainda os conteúdos em um blogpost. É isso mesmo: as pessoas amam listas.  

Elas não só estão na moda também na internet, como representam um conteúdo de fácil assimilação. Quando o post está enumerado, mostra exatamente o que você aprenderá com ele. É excelente para o usuário compreender o conteúdo sem nenhuma enrolação.

Então, não esqueça de cumprir com as resoluções de início de ano que estão na sua listinha e abuse das listas também em seus conteúdos digitais.

 

6. Infográficos: utilize recursos visuais

 

O infográfico é uma boa forma de ilustrar aquilo que você precisa falar ou informar. Ele organiza palavras e imagens e, por isso, aumenta a compreensão ao mesmo tempo em que gera um efeito visual interessante para o conteúdo.

Eles podem aumentar o tráfego do seu blog em até 12%. Então, não é apenas uma questão visual, não!

Em suma, o infográfico é um bom tipo de conteúdo, porque atrai a atenção do lead e ainda geram tráfego. Se for optar por este formato, não esqueça: ele precisa ser completo e bem feito.

 

7. Tutoriais – passo a passo eficiente

 

Quando você alcança a posição de especialista na área, a sua credibilidade começa a falar por você. Os tutoriais são uma excelente ferramenta para que você alcance essa marca.

Para os usuários e leitores, eles são a chance de realmente aprender tudo como desejam, ou seja, com um passo a passo detalhado e eficiente.

Você já sabe que mais informação não é sinônimo de apenas mais palavras, né?  Então, abuse de imagens e de artifícios que possam complementar o conteúdo e torná-lo ainda mais atraente.

Ou, melhor ainda: grave um vídeo! Com certeza, você nem percebe, mas assiste a muitos tutorias na internet – que ensinam da troca de um chuveiro até como retocar uma foto no Adobe Photoshop.

 

8. Estudos de caso – nada como o exemplo!

 

Por meio dos estudos de casos, os usuários podem compreender como o produto ou serviço à disposição auxiliou a vida de outras pessoas. Eles poderão identificar o problema e também a solução.

Outra dica importante no caso de você escolher um estudo de caso para o seu blog é que ele não precisa ser marketing puro, não! Uma história bem contada resolve bem essa questão. Melhor do que isso: conquista quem a ouve, lê ou assiste.

Para o último caso, vale conferir a tendência dos cases em vídeo. Os depoimentos geram empatia e, muitas vezes, resultam até em divulgações espontâneas – gerando engajamento de sobra.

 

9. Entrevistas: perguntas e respostas

 

Uma entrevista pode estar no blog em formato de texto ou de vídeo. E se o entrevistado for um especialista no assunto, melhor ainda.

As entrevistas são um bom formato porque respondem as dúvidas dos usuários em um formato descontraído, que apresenta boas soluções para os seus problemas.

Elas aumentam a empatia e ainda o seu relacionamento com as pessoas que querem saber mais sobre o que você oferece para o mercado. Além disso, podem render boas ações de marketing em conjunto – quando ambas as partes possuem interesse em divulgar o mesmo material.

Lembre-se: um post com entrevista pode ser o início de uma próspera parceria entre dois negócios complementares.

 

10. Pesquisas – dados que comprovam

 

De mercado, de segmento, sobre resultados ou para apresentar alguma tendência: uma pesquisa é sempre um dado relevante. Uma estatística, por exemplo, mostra o que se quer dizer em números que falam por si só. São indiscutivelmente bons argumentos.

Dados são sempre relevantes, além de serem uma forma rápida de comprovação do que se quer informar.

As pesquisas podem trazer informações sobre vários assuntos que servirão de base para muitos usuários.

Mas é fato que não se pode desenvolver uma boa pesquisa sem ter um planejamento. E isso leva tempo. Então, se optar por divulgar uma pesquisa, procure a melhor maneira de captar e divulgar essa informação.

Profissionais da área estão sempre à disposição para ajudar nessa tarefa. Vale a pena contar com esse serviço.

Capriche nas entregas de conteúdo

 

Agora que você já imaginou as possibilidades com esses dez diferentes tipos de conteúdo para Inbound Marketing, não esqueça de caprichar na produção: não importa o que você escolher produzir ou combinar para o seu blog, faça-o com carinho e informações relevantes.

Outro ponto bem importante nesse momento é planejar as publicações. Não adianta postar uma vez por mês. Lembre-se de diversificar os conteúdos e incluir esse planejamento em sua escala de produção, também.

Imagens e recursos visuais não apenas podem, como devem casar com conteúdo e áudio – e devem também ser tão atrativas quanto aquilo que você tem a falar.

Por último mas, talvez, o mais importante: conheça o seu público-alvo, a sua persona, principalmente. Saber quem é o seu possível lead, quais são suas dores e necessidades, é essencial para construir um conteúdo assertivo e que vá direto ao ponto.

 

Essa é a única maneira de conquistar mais visualizações, com palavras que falem diretamente para quem precisa delas.

 

Finalmente, se a produção de conteúdo for um problema para você, pense na possibilidade de terceirizar essa missão para que ela realmente se torne uma solução interessante para os seus negócios.

 

Nós esperamos que você tenha aprendido e tido bons insights com esse conteúdo sobre diferentes formatos de conteúdo para Inbound Marketing! Em nosso blog há muito mais informações à sua espera. Até a próxima!

 

Contato