Os princípios de SEO são o feijão com arroz do Marketing de Conteúdo. Nosso trabalho é literalmente ser o resultado favorito dos mecanismos de busca e garantir que os usuários chegarão aos materiais produzidos.

Apesar de não ser um bicho de sete cabeças, também não é das atividades mais simples. Para conquistar bom tráfego e dar alcance ao seu conteúdo, se faz necessário que alguns requisitos estejam a favor.

É o que os profissionais do Marketing têm percebido nos últimos tempos. Dados mostram que 82% deles vêem um aumento na efetividade desse tipo de estratégia e reconhecem as ferramentas de otimização como um potencial crescente.

Afinal, somente o Google recebe mais 67 mil buscas por segundo. É muita coisa! Logo, dominar os princípios de SEO pode ser considerado como o maior diferencial que um especialista na área precisa ter, a fim de ganhar destaque e ampla visibilidade no mercado.

Você está tendo problemas com redatores e/ou pouca busca orgânica em seu site? Hoje, nós trouxemos métodos para instruir as equipes e melhorar a performance. Conheça-os!

O essencial dos princípios de SEO

 

O primeiro passo é relembrar o que significa SEO e de onde veio esse termo, bem como suas práticas.

A sigla SEO (Search Engine Optimization) que, em português, é traduzida como Otimização para Mecanismos de Busca, surgiu no final dos anos 90. A técnica consiste em aplicar uma série de hacks nos textos para responder adequadamente ao funcionamento online.

Um mindset orientado para os princípios de SEO exige estratégia e alinhamento com as táticas planejadas pelo Marketing Digital. A orientação solucionar problemas pressupõe um bom uso de dados relevantes e confiáveis, evitando métricas de vaidade.

É importante lembrar-se de que, mesmo com a presença de máquinas na nossa rotina, a maior parte do trabalho ainda é realizado por humanos. Portanto, valorize o investimento em técnicas de acessibilidade via web. Elas garantem uma experiência de usuário prazerosa e gratificante, pois ele encontrará a informação que precisa de modo prático e intuitivo.

Além disso, os conteúdos devem ser adaptáveis para que o conhecimento seja aplicável a casos semelhantes. Isso ajuda a evitar spam e conteúdos descartáveis, enchendo as redes com material de pouco valor.

Suas técnicas podem ser dividas em on-page e off-page.

No campo on-page, temos:

  • Heading tags;
  • Qualidade do HTML;
  • Segurança do site;
  • Tempo de carregamento da página;
  • Experiência do usuário;
  • Rich snippets.

Além desses, há ainda outros fatores relevantes. Exemplo disso pode ser a construção dos conteúdos com keywords, link building, frases de transição etc.

Já os princípios de SEO off-page estão ligados à links externos direcionados para o seu conteúdo. Quanto maior a autoridade dos sites que apontam para você, maior o impacto no rankeamento no Google.

Com a democratização da Internet, a presença das marcas em conteúdos informativos nos meios virtuais foi tornando-se cada vez mais fundamental. A prática cresceu de tal modo que, hoje, é um item obrigatório para qualquer empresa que deseja se manter no mercado.

Em 2018, estima-se que as organizações de médio porte aloquem 41% de seus orçamentos de Marketing para a versão online, com a perspectiva de que essa taxa aumente para 45% até 2020.

Contudo, vale lembrar que a utilização dos princípios de SEO não limita-se só ao Google. Muitas plataformas digitais, a exemplo dos canais no Youtube e dos perfis em redes sociais também compõem o leque de alternativas que devem ser otimizadas com táticas de sucesso.

Algumas dicas com base em princípios de SEO para bombar seu conteúdo

 

Da teoria à prática, listamos algumas medidas que profissionais como gestores, revisores e redatores de conteúdo podem aplicar imediatamente, a fim de garantir melhores resultados. Acompanhe, a seguir:

Marketing não deixa de ser um jogo

Uma estratégia de Marketing é algo que não pode ser implementado de qualquer jeito. Ela precisa ser muito bem pensada e elaborada para que todas as ações convertam-se em um objetivo maior. Dessa forma, não basta apenas executar conteúdos, sem que haja planos de ação específicos para atingir os possíveis consumidores da sua marca.

É preciso desenvolver uma metodologia robusta, que conte com uma evolução arquitetada entre os conteúdos. A meta é atrair, nutrir e tracionar o lead ao longo da jornada de compra.

Por isso, o funil de Marketing é dividido em 3 etapas – topo, meio e fundo -, sendo que cada uma oferece seus próprios princípios de SEO para alcançar o desempenho cobiçado. Crie boas táticas para cada um destes níveis e monte a estratégia que vencerá a rodada final!

Quem busca informação, têm perguntas: resolva-as

 

 

Apesar de que a curiosidade é o verdadeiro motor das grandes descobertas, muitas vezes, vamos ao Google buscar respostas para questionamentos imediatos em nossas vidas.

Por isso, é necessário que você seja técnico(a) e qualitativo(a). Ao redigir materiais de toda espécie, oriente os redatores para que foquem em solucionar um determinado problema – e jamais percam as dores da buyer persona de vista.

Quanto mais informações de valor forem agregadas ao texto, sem gastar caracteres demais com floreios desnecessários, melhor. Afinal, o Marketing de Conteúdo não é literatura de entretenimento! Sendo assim, tenha como foco a clareza e a objetividade.

Uma boa dica quando se trata deste recurso é descobrir uma pergunta que seu target faria utilizando ferramentas de busca, a partir de palavras-chave com cauda longa.

O conteúdo deve ser evergreen

A expressão Evergreen pode ser traduzida como “sempre verde”. Ou seja, o conhecimento deve ser atemporal e manter-se relevante por tempo indeterminado.

Isso não quer dizer que acompanhar as tendências nos termos de busca do Google Trends seja desnecessário. Mas, pelo contrário, quer dizer que é importante identificar que a tendência não é apenas passageira, e que está realmente ganhando espaço na sua audiência e, portanto, sua estratégia de produção de conteúdo deve ter keywords relacionadas a esse termo.

Por outro lado, é melhor evitar conteúdos muito datados, pois a chance de trazerem leads decisivos para o seu negócio diminui conforme o interesse da audiência do Google se dissipa com o passar tempo.

Por via das dúvidas, crie conteúdos que continuem nutrindo importância e destaque nos mecanismos de busca.

Além disso, conteúdos mais “frios” permitem uma outra tática interessante: o repost, ou reciclagem de conteúdos.

Esta sim é uma tática válida e pode garantir excelentes resultados. É claro que você não deve torná-lo um spam, replicando a mesma notificação 10 vezes ao dia na timeline dos seus seguidores! Por outro lado, compartilhe o informativo novamente uma semana depois. Depois, espere mais um ou dois meses e repita o ciclo sucessivamente.

“Terra à vista!”: a importância da otimização de Landing Pages

 

 

Outro princípio de SEO fundamental para uma boa estratégia de Marketing de Conteúdo é a construção de Landing Pages bem otimizadas. Estas são páginas onde o lead irá “aportar” num primeiro momento, antes de ter acesso a um material rico – e-books, infográficos, checklists etc.

Através delas, é possível coletar os dados necessários para segmentar visitantes. Também funcionam como uma porta de entrada para a sua base de potenciais clientes.

Nesse caso, além de investir em design responsivo e interface otimizada para conversão,  pense em utilizar títulos que contenham palavras-chave estrategicamente interessantes para que sua página seja encontrada pelo Google.

Afinal, o algoritmo também reconhece sua Landing Page com um conteúdo e, portanto, lembre-se de incluir palavras-chave com potencial para serem buscadas por suas personas.

Para isso, basta seguir alguns princípios básicos de SEO, como incluir a palavra-chave foco no título e variações na descrição do material.

Dica de ouro: o Google pode considerar uma landing page como um conteúdo muito raso, e nem sempre a trará entre as primeiras posições. Para obter um maior número de conversões orgânicas, vale investir na produção de um conteúdo de título e temas correlatos muito bem otimizado.

Este último será mais facilmente lido pelo Google e é possível, incluir CTas que direcionarão o visitante à conversão na landing page, cuja oferta funcionará como uma “continuação” do conteúdo lido ou ainda um aprofundamento do tema. Importante não “entregar o ouro” nesse conteúdo e deixar o visitante curioso para saber o que a oferta trará “a mais”.

 

Palavras-chave adequadas aos princípios de SEO

 

Que é importante fazer um bom uso das palavras-chave e conservar sua densidade, todos já sabem. Agora, como escolhê-las para disputar o melhor posicionamento no ranking?

Há diversas formas. No entanto, todas partem de um estudo detalhado das personas e dos termos utilizados para pesquisa do tema. Após o brainstorming, é hora de avaliar em quais keywords (de cauda curta e longa) vale à pena investir.

Para selecionar as palavras-chave, utilize de análises semânticas para chamar a atenção. Além da expressão principal, é interessante aplicar outras que possuam concordância com esta. Isso desenvolve um contexto positivo aos mecanismos de busca, uma vez que garante maior abrangência do texto de acordo com as formas que o lead emprega para buscá-lo.

Por exemplo: ao elaborar um conteúdo sobre dicas de marketing, uma palavra-chave que pode ser vinculada é “mídia social”. Apesar de não estarem diretamente ligadas em seu sentido, na prática, elas andam juntas. O que leva as ferramentas e os usuários a fazerem esta associação em suas pesquisas.

De todo modo, é importante acrescentar a palavra-chave em todas as partes da estrutura do seu blogpost. Elas podem ser classificadas como:

  • Meta título: uma versão do título do blog, que deve conter de 50 a 60 caracteres;
  • URL: o “endereço” direto da página, também chamado de link;
  • Meta descrição: a breve descrição que aparece embaixo do título no resultado de uma busca – deve atrair cliques e aumentar a densidade;
  • Título/H1-H3: as manchetes e os cabeçalhos do conteúdo, onde há a palavra-chave para gerar maior relevância nos princípios de SEO;
  • Imagem alt tags: as legendas servem para auxiliar mecanismos de busca a entender o que está presente na imagem – uma boa oportunidade de rankear;
  • Nomes de arquivos: a nomenclatura otimizada, desde o momento em que é salva no seu computador, faz com que o buscador reconheça-a e aproveite-se disto;
  • Links internos: o guia do lead para outros conteúdos do seu blog, a fim de prolongar seu tempo de estadia no site com informações relevantes e combinadas.

Uma boa pedida é aplicar ferramentas claras e práticas, como o próprio Google Adwords. Ele mostra a concorrência sobre os trechos buscados e diversas possibilidades de insights fortes. Como você provavelmente estará otimizando seu conteúdo para o mecanismo, nada mais eficiente do que implementar a solução oferecida pela mesma empresa.

Assim como estas, outras dicas e instrumentos podem fazer a diferença na otimização, de acordo com os princípios de SEO. Vale a pesquisa e o teste de quaisquer metodologias, para decidir qual melhor se adapta à sua estratégia de Marketing.

Fora isso, ainda temos hacks com princípios de SEO para sites, neste post. Não pare por aqui! Descubra técnicas para galgar as posições mais altas do Google e aumente o fluxo de conversão do seu negócio.

Gostou deste assunto? Compartilhe com seus amigos e envie-nos suas dúvidas para que possamos ajudá-lo(a). Até a próxima! 🙂

Contato