Você, sua agência, sua empresa e a empresa do seu cliente: todos precisam de conteúdo. Conteúdos para sites e blogs, e-mail marketing, social media, vídeos, e-books, infográficos, entre outros, representam demandas que certamente estão ou estarão na lista de to do’s de qualquer projeto digital completo.

Como em boa parte das agências, manter uma equipe enxuta e produtiva acaba sendo um desafio. Com o foco no planejamento e na gestão de projetos, muitas vezes “falta braço” para realizar todos os esforços da cadeia produtiva.

Nossa tendência a atribuir mais importância à parte estratégica e menos à execução faz com que tarefas como a redação sejam vistas como um gargalo e, consequentemente, obriguem os gestores a enxergarem a terceirização da produção de conteúdo como a única solução possível.

O que pode parecer a saída perfeita para alguns pode ser motivo de receio para quem já caiu no erro de terceirizar com o fornecedor errado. Falamos sobre essa e outras questões em nosso material sobre terceirização de conteúdo com produtoras.

No post de hoje, vamos tratar, especificamente, de uma situação bastante comum: a de quem opta pela terceirização via freelancers mas que, ao invés de resolver um problema, acaba se deparando com várias novas dificuldades.

Listamos os principais contratempos que a produção de conteúdo com freelancers pode gerar e trouxemos dicas de como impedir que eles ocorram. Mas, antes de tudo, gostaríamos de abordar uma falsa premissa que circula por agências de conteúdo.

“A produção de conteúdo é sempre um problema”

Já ouviu falar nisso? Como gestor de uma equipe ou responsável pela estratégia de conteúdo dentro de uma empresa, é possível que você já tenha ouvido reclamações como “O problema é o conteúdo” ou, ainda, tenha sido responsabilizado pelo fracasso de uma estratégia ou pelo cancelamento de uma conta.

Se você já passou por isso, tenha em mente algo bem claro: conteúdo não é, e nem deve ser, considerado um problema. Nem para você, nem para o seu cliente, e muito menos para o seu consumidor final.

Pelo contrário.

Seu público-alvo não saberá distinguir quantos brainstorms, entrevistas e análises foram feitos antes de ele receber o conteúdo pronto em sua caixa de e-mails.

É claro que, sem uma estratégia, seu conteúdo dificilmente vai cumprir o papel de impulsionar o leitor a avançar no funil de vendas. Mas é sempre bom lembrar que o princípio da produção de conteúdo – sem entrar no mérito do Inbound Marketing – é justamente trazer uma solução, informar, entreter e, acima de tudo, compartilhar algo relevante para quem está lendo.

Por isso, o primeiro passo para uma estratégia eficaz é dar a devida importância ao conteúdo. Lembre-se que, no universo digital, o conteúdo, seja ele um post de blog, um e-mail marketing ou um vídeo, é o principal touchpoint que o consumidor terá com uma empresa antes de se tornar seu cliente.

Logo, a menos que você tenha optado pelo marketing de conteúdo em um projeto com uma estratégia incabível, não há nada que justifique o conteúdo ser menosprezado e visto como um problema na produção.

giphy-18

Se escolher contratar freelas, não se esqueça que bons resultados dependem, em grande parte, de o quanto seu contratado se dedica ao trabalho. Com tudo isso em mente, da próxima vez, talvez você tenha mais carinho no momento de brifá-lo.

Caso você já siga essas premissas, mas, ainda assim, não esteja obtendo os resultados que gostaria com a terceirização da produção de conteúdo, listamos alguns erros comuns que podem estar causando problemas.

O erro: desrespeitar a curva de aprendizado

Ao lidar com projetos, você lida com pessoas, prazos, limitações e exigências. Além de todas as suas atribuições rotineiras, ao contratar um redator freelancer para complementar um projeto, você precisa:

  1. definir um orçamento por publicação;
  2. divulgar o job em redes sociais ou em sua própria rede profissional;
  3. fazer uma seleção de CVs e portfólios compatíveis com a demanda;
  4. solicitar e avaliar um teste de redação, quando necessário;
  5. elaborar briefings e um processo de recebimento e aprovação de conteúdos;
  6. avaliar e reenviar – quando não for necessário refazer – o conteúdo recebido.

Feito isso, a menos que você tenha selecionado especialistas no assunto, é possível que você receba textos aceitáveis, raramente brilhantes. E tudo bem. Tenha maturidade para entender que isso não é um problema.

Como resolver?

Primeiramente, não apresse as coisas. Você pode até cumprir diversos daqueles critérios em um curto período, mas é muito provável que a qualidade dos conteúdos demore mais para atingir um patamar considerado ideal pelo cliente.

Além disso, ao contrário de uma produção internalizada, terceirizar conteúdo com freelancers necessariamente significa uma curva de aprendizado mais lenta. Para acelerar o aprendizado de seu freela:

  • faça reuniões de brifagem com o redator e inclua um ponto de contato com o cliente final;
  • se possível, convide-o para uma imersão sobre o produto ou serviço;
  • crie sistemas de feedback periódicos;
  • reproduza o feedback do cliente para o redator. Isso vale para feedbacks positivos também.

O erro: não valorizar o trabalho do redator

Antes de contratar um freelancer, reflita sobre o motivo pelo qual a empresa está terceirizando o conteúdo. Se a razão for redução de custos operacionais, cuidado! Você pode acabar encarecendo o projeto na tentativa de fazer exatamente o contrário.

Em teoria, contratar um redator freelancer envolve menos gastos. Trabalhando no esquema home office, um redator, mesmo experiente, provavelmente terá um custo menor do que um profissional especialista alocado, fisicamente, em uma produtora.

Mas, na prática, nem sempre a regra se aplica.

Ao priorizarem a economia de recursos em detrimento de outras motivações, empresas estão não apenas desvalorizando o trabalho do redator como também menosprezando a importância do conteúdo em si.

Optar por um redator iniciante e exigir ou esperar um artigo digno de WOW é o mesmo que comprar a certeza de que você (ou o gestor responsável) passará horas revisando, reescrevendo e até mesmo esquentando a cabeça.

E tempo, especialmente o de um gestor, custa caro!

Não existe mágica. Quanto maior a experiência do profissional, maior o custo de contratação e do produto executado por ele. Portanto, evite desperdiçar seus preciosos minutos.

giphy-17

Também não existe manobra aqui: ou você investe mais para que as horas totais sejam melhor aproveitadas ou arca com os custos de mais de um profissional debruçado sobre a mesma tarefa. Colocando tudo no papel, aquela decisão inicial acaba não valendo a pena e as motivações que o levaram à tomá-la terminam revelando-se o verdadeiro “ouro de tolo”.

Portanto, antes de contratar um redator baseando-se apenas no preço, lembre-se: quanto vale a hora do gestor responsável?

Como resolver?

Para evitar esse cenário e ainda assim economizar, procure redatores que possuam afinidade com o tema ou segmento. Peça referências, leia artigos que ele já escreveu e, principalmente, forneça os melhores briefings possíveis.

Reúna-se com o freela para tirar dúvidas. Faça reuniões – desde que sejam produtivas. E evite  qualquer possibilidade de refação.

Mantenha reuniões periódicas, ao menos até estar certo de que o projeto tem maturidade suficiente para “relaxar” na brifagem.

O principal erro: contratar um redator freelancer sem processo

Você vive se desdobrando para gerenciar entregas e, mesmo assim, já teve problemas com redatores que sumiram, entregaram fora do prazo ou, pior (o pânico), fora do briefing e em cima da hora?

Esse tipo de adversidade sempre vai existir, considerando lapsos e riscos de falha humana. Mas, calma, é possível evitá-los.

Mais do que “falhas na comunicação”, a fonte da maior parte desses desencontros é, na verdade, a ausência de um processo estabelecido desde o início.

Como resolver?

Primeiramente, seja claro e direto com seu freela. Isso significa que, desde a primeira reunião, você deve definir qual será o canal de comunicação entre vocês e por meio de qual plataforma serão realizadas as entregas.

Em seguida, organize processos de produção específicos para otimizar o relacionamento entre o seu time e o redator.  Um processo simples, mas efetivo, seria algo do tipo:

  1. reunião inicial;
  2. envio de materiais de apoio sobre o cliente e briefing específico para o conteúdo;
  3. reunião de briefing – aqui, o redator deve ter toda a liberdade para tirar dúvidas;
  4. entrega (em até x dias úteis), via plataforma x. Não esqueça de deixar tudo isso registrado;
  5. revisão do conteúdo;
  6. pedido de ajustes;
  7. realização de ajustes (em até x dias úteis);
  8. entrega final;
  9. envio para o cliente.

Sabendo tudo a respeito desse fluxo de tarefas, você pode incluir datas para a realização de cada etapa e o redator, automaticamente, observará uma estrutura bem organizada para autogerir sua rotina e não deixá-lo na mão.

Além disso, mostrar proximidade é a melhor forma de estabelecer uma relação de comprometimento e sinceridade com trabalhadores remotos. Para tanto, pense em utilizar sua webcam nas próximas reuniões. Apresente o escritório. Faça com que ele se empolgue com o job tanto quanto você.

Não esqueça, ainda, de registrar tudo por e-mail, porque a ausência de registro daquilo que foi combinado pode servir de argumento caso você fique de “mãos abanando”.

Na Gummy, utilizamos o Trello, ferramenta gratuita, como uma das plataformas de gestão de redatores.

Aqui, além de feedbacks mensais por vídeo e sistemas de incentivo por entrega, cada freelancer tem um Trello pessoal e todo o controle e gerenciamento são feitos via plataforma. Veja como estruturamos de maneira simples, mas eficaz:

trello-redator

Os redatores são notificados por e-mail quando surge uma nova demanda e têm toda a liberdade de solicitar uma ligação com um de nossos Content Managers para tirar dúvidas.

Finalmente, mesmo tomando todas as precauções possíveis para que a produção de conteúdo com freelancers funcione bem, pode ser que seu redator te deixe na mão.

Por isso, outra dica importante é sempre ter um plano B. Ao fazer um processo seletivo para contratar um redator, pense em incluir uma segunda pessoa com skills semelhantes na base. Em caso de emergência, contate-a. Isso vai evitar a necessidade de uma nova seleção e otimizar o fluxo da produção de conteúdo.

Conclusão

Não existe decisão assertiva sem um processo e um planejamento envolvidos. Isso também vale para a terceirização da produção de conteúdo. Nem sempre a opção mais barata é compatível com a realidade de sua agência ou empresa.

Ao contratar um redator freelancer, tenha em mente todas as variáveis que podem vir a comprometer o projeto.

Tomando as precauções necessárias, é possível que a terceirização de conteúdo com freelancers termine sendo uma boa alternativa para sua empresa ou agência.

Se quiser conhecer outras opções, confira nosso blog post sobre terceirização das demandas de conteúdo com produtoras especializadas.

Gostou do artigo? Assine nossa newsletter e receba os melhores insights sobre conteúdo para marketing digital.

 

 

Contato