Como fazer um planejamento de conteúdo digital perfeito

Como fazer um planejamento de conteúdo digital perfeito

Por que adotar um planejamento de conteúdo digital? Por uma questão de estrutura e de garantia. Desde que você saiba o que vai dizer, porque vai dizer e, claro, para quem será dito.

Isso significa que você deve reunir todas as ideias e intenções que você e sua equipe têm para alcançar o sucesso merecido na comunicação e organizar a maneira de colocar tudo em prática.

Neste conteúdo, falaremos sobre como fazer um planejamento de conteúdo digital perfeito. Então, se você está cogitando a ideia de produzir conteúdo, mas está com dúvidas de como fazer o planejamento, continue conosco!

Você lerá sobre:

  • Tópicos indispensáveis na hora de planejar conteúdo digital;
  • Como acertar no conteúdo também é uma estratégia de planejamento.

6 tópicos indispensáveis na hora de planejar conteúdo digital

Para criar o seu planejamento, você precisará considerar:

  1. Objetivo
  2. Persona
  3. Jornada de Compra
  4. CTA
  5. Distribuição
  6. SEO

1. Objetivo: o que você quer?

Quais são os objetivos com o conteúdo digital que você e sua empresa pretendem ter? Você precisa saber porquê entregará esse conteúdo. O que o move a produzí-lo?

Ao definir e analisar suas prioridades, você poderá traçar metas. A organização é uma boa aliada! Você deve estabelecer um calendário de ações, delimitando o que postar, como e onde fará a divulgação.

Mas esse é só o primeiro passo: é muito importante entender o marketing de conteúdo de uma forma ampla. Vamos lá?

2. Persona – com quem você deseja ou precisa se relacionar?

Ninguém produz para que o conteúdo não seja acessado, lido, visto ou absorvido por alguém, não é mesmo? É fundamental saber para quem se fala.

Conhecer a sua audiência é de extrema importância. É assim que você saberá o que dizer, quando, como e em quais canais poderá divulgar o conteúdo – que desenvolvido dessa maneira se torna muito mais interessante.

Quando você conhece a sua persona, dialoga com ela. E o que isso significa? Que você precisa sentir ou reconhecer as suas dores – a fim de oferecer soluções certeiras.

É muito mais fácil e eficiente compreender o que a sua audiência precisa e quer consumir do que simplesmente produzir um tipo de conteúdo que você simplesmente imagina que seja o ideal.

Ao ter essa resposta, você encurta o caminho e acelera o processo de comunicação.

3. Jornada de compra: indique o caminho!

Uma boa dica para você eleger temas e a forma de abordar o conteúdo de uma maneira relevante para sua audiência é fazer essa identificação por meio das etapas da jornada de compra.

Seguindo cada etapa, você produz conteúdo específico conforme o desenho que se revela no funil de compras da sua persona. Identifica o estágio em que ela se encontra e se concentra em ajudá-la a prosseguir até o próximo nível. Assim, vocês podem caminhar juntos até o momento da venda.

Uma forma de entender o que sua audiência necessita em cada etapa da jornada de compras é direcionando perguntas para cada estágio.

Com as respostas, você poderá conhecer de hábitos de consumo até os temas de interesse geral do seu público. Elas também são  uma boa maneira de descobrir quais os canais que sua persona utiliza para se informar.

Você poderá receber ainda informações valiosas sobre como a sua persona chegou até você. O que a fez pesquisar sobre determinado tema que a colocou em contato com a sua empresa? Essas respostas auxiliarão no momento de descobrir quais palavras-chave foram utilizadas por ela.

Que tal você perguntar qual é o problema ou necessidade de sua persona? Quais passos ela seguiu para identificá-los? E o que fez depois para alcançar a solução?

Essas respostas guiarão você a produzir conteúdos que possam reconhecer e solucionar essas necessidades.

Mas sua pesquisa pode ir muito além e revelar outras informações importantes para a sua produção de conteúdo digital perfeito: você pode pedir para seu cliente contar sobre a experiência de compra.

Reunindo as informações relevantes para cada etapa, será possível montar uma espécie de manual que poderá ser consultado a cada novo conteúdo produzido.

Blog, mídias sociais, e-mail, e-book, webinar… Para cada tipo de conteúdo, há uma linguagem específica. Você não pode se perder nessa forma de diálogo com sua persona, ok?  Aqui você encontra dez formatos de conteúdo para Inbound Marketing!

CTA – Vamos agir?

Ao ser aberta e traduzida, a sigla CTA (Call to Action) sugere a Chamada para Ação.

É quando você, literalmente, irá sugerir que a sua persona aja.

Ela pode ser induzida a compartilhar o que está sentindo, da mesma forma como poderá ser encaminhada para uma nova página.

Exemplo: se formos criar uma CTA ao final do texto, poderemos pedir para que você compartilhe a sua experiência com este material nos comentários.

Veja outras sugestões de CTA como modelo para visualizar as possibilidades dessa etapa do seu planejamento de conteúdo digital:

  • Que tal compartilhar este conteúdo?
  • Curta esse vídeo e assine o nosso canal!
  • Quer receber mais conteúdos como esse? Cadastre seu e-mail em nossa lista!

Lembre-se: uma boa chamada para ação é sempre imperativa e muito clara!

5. Distribuição: aonde queremos divulgar?

Já chegamos até aqui, e é bom que se diga: nem mesmo o melhor conteúdo do planeta será eficiente se estiver publicado no lugar errado!

Você pode se perguntar: onde publicar o conteúdo? Felizmente, há muitas plataformas para cada formato.

Sim, vídeos podem ser postados no Youtube, mas não precisam estar apenas lá, por exemplo.

Embora seja irresistível postar no Facebook, é importante que você alimente suas próprias páginas. Blog e site são essenciais: não esqueça que esses são os espaços verdadeiramente seus e de sua marca – e, também, o lugar onde você pode ser encontrado de forma orgânica por meio de uma pesquisa no Google ou outros buscadores.

Outra vantagem de ter domínio próprio é a possibilidade de publicar landing pages para capturar possíveis leads com facilidade.

6. SEO: esteja à vista!

Por meio da prática de SEO (Search Engine Optimization ou Otimização para Motores de Busca) você utilizará recursos eficientes para que seu conteúdo seja encontrado nas primeiras páginas de buscadores como o Google.

Faça uma pesquisa das palavras-chave para o seu conteúdo e produza textos otimizados com elas.

Há muitas formas de mecanismos de pesquisa, de utilização de palavras-chave para que você atinja com maior eficiência e até mesmo rapidez o que pretende alcançar.

Acertar no conteúdo também é uma estratégia de planejamento

Engaje a sua equipe para que todos possam contribuir com essa produção: ninguém conhece melhor o seu negócio do que você e seus colaboradores, certo?

Por meio de um planejamento de conteúdo digital, seguindo os passos que listamos acima, você estará preparado para começar!

O potencial cliente de hoje está muito bem informado. Ele quer ser convencido de que fará uma boa compra. A concorrência está afiada na entrega desse conhecimento também. Ninguém quer ficar para trás,

Então, não pense em oferecer um conteúdo que esteja abaixo da expectativa do seu potencial comprador. Até porque, se isso acontecer, ele não será mais o seu potencial comprador e, sim, o potencial comprador do seu concorrente.

Você já pensou em terceirizar essa grande responsabilidade?

Às vezes, pensamos em nos responsabilizar por todas as etapas do planejamento de conteúdo digital e acabamos comprometendo a qualidade da entrega. É o que acontece com boa parte das empresas que optam por internalizar toda a produção de conteúdo digital.

É possível terceirizar essa responsabilidade. Perceba quais são as vantagens de terceirizar a produção de conteúdo para Inbound Marketing.

Agências que produzem conteúdo já organizam todo o planejamento. Você pode terceirizar o serviço, mas ainda fará parte do processo, contribuindo com sugestões e emprestando seu expertise para a definição das pautas.

Se você gostou dessas dicas sobre como fazer um planejamento de conteúdo digital perfeito, aqui vão outras estratégias de conteúdo para marketing digital que também podem ser úteis.

Até a próxima!

Como criar um calendário editorial para marketing digital em 4 passos

Como criar um calendário editorial para marketing digital em 4 passos

Quem já quis começar um blog pessoal provavelmente percebeu que publicar com regularidade é um desafio. Sempre aparecem demandas urgentes e outras coisas mais importantes para resolver – o que faz seus textos demorarem semanas e, às vezes, até meses para irem ao ar.

No blog de uma empresa, não é diferente. Criar um calendário editorial perfeito depende de organização e estratégia.

Ele definirá a sua agenda de publicações de conteúdos e poderá ser usado para organizar as publicações do seu blog, a criação de eBooks e seus posts em redes sociais, entre outros formatos de material que sua empresa produz.

Esse tipo de organização é fundamental para garantir que a sua estratégia de Marketing de Conteúdo será efetiva. Afinal, não basta publicar apenas por publicar: a regularidade é fundamental para garantir um bom rankeamento no Google e reforçar a autoridade da sua marca nos temas tratados.

Neste conteúdo, você lerá sobre:

  • O que é um calendário editorial?
  • Por que criar um calendário editorial?
  • Como montar o calendário editorial perfeito?

O que é um calendário editorial para marketing digital?

Como você já viu aqui, o calendário editorial reúne todas os conteúdos de sua empresa.  

Ele pode ser criado em formato de planilha, em aplicativos como o Google Agenda ou até em plataformas de gerenciamento de tarefas, como o Trello e a Asana.

 

Por que criar um calendário editorial?

O Marketing de Conteúdo é uma excelente maneira de ampliar a visibilidade online da sua empresa. Mas, para isso, você precisa de artigos realmente interessantes, além de materiais ricos e outros formatos engajantes, como podcasts e vídeos.

Para colocar tudo isso em prática, a organização é fundamental. Não basta definir os temas ao acaso: eles precisam ser pensados de maneira ampla para ajudarem no alcance dos objetivos da empresa – sejam eles de reforçar sua autoridade no mercado, conquistar mais leads ou chegar a um público mais qualificado.

Para isso, você precisa ter um controle de quais palavras-chave já utilizou, quantos conteúdos produziu sobre cada assunto e quais blogposts foram direcionados para determinadas personas.

Guardar esse tipo de informação apenas na memória pode ser um tiro no pé caso a sua equipe de marketing de conteúdo mude ou a sua produção cresça exponencialmente (o que a gente quer que aconteça, né?).

Além disso, você precisa se preparar com antecedência para poder medir os esforços que investirá. Escolher, por exemplo, se produzirá os artigos internamente ou se terceirizará a produção de conteúdo.

Como montar o calendário editorial perfeito?

 

1. Defina a frequência de publicação

Uma das primeiras etapas para criar o calendário editorial perfeito é definir quantas vezes por mês você publicará no seu blog. Essa é uma escolha que deve levar em conta diversos fatores, mas o principal deles é manter a regularidade.

Cuidado para não ser ambicioso demais e acabar desenhando uma escala que você não conseguirá cumprir. É melhor publicar um conteúdo por semana, por exemplo, do que publicar quatro na primeira semana do mês e mais nenhum por muito tempo.

A regularidade de publicação ajudará seu blog a melhorar o desempenho em SEO, além de “treinar” a sua audiência – que começará a saber quando deve procurar por novas atualizações.

2. Planeje os conteúdos

Após definir a frequência das suas publicações, é o momento de planejar os conteúdos em si.

Aqui entram definições como:

  • Tema e palavra-chave;
  • Formato (se será um blogpost, um eBook, um vídeo, etc.);
  • Formas de divulgação (e-mail, redes sociais, entre outras);
  • Profissionais responsáveis pela produção e pela revisão;
  • Persona na qual o conteúdo focará;
  • Etapa do funil (topo, meio e fundo).

Se você ainda não tem clareza sobre algum desses itens, como as etapas do funil de vendas ou a criação de personas, vale estudar um pouco na hora de desenvolver o seu calendário editorial.

Isso porque saber para quem você está escrevendo e qual o objetivo daquele conteúdo é fundamental para criar materiais assertivos e obter resultados incríveis.

3. Inclua os conteúdos no calendário

Pronto: conteúdos planejados. Agora, você precisa distribuí-los ao longo das datas. Como comentamos, existem muitas plataformas disponíveis para montar o calendário editorial perfeito mas, nesse momento, o ideal é olhar de fato para o calendário.

Para começar, verifique se existem datas comemorativas relacionadas ao seu negócio nos próximos meses ou eventos que possam interferir nas suas publicações.

Fique atento também aos feriados: para algumas empresas, eles significam mais tráfego mas, para a maioria, eles tendem a atrapalhar a divulgação de novos materiais.

Depois, elimine essas datas e distribua os seus conteúdos planejados nas que restaram. Tente variar entre etapa do funil e persona, para não atrapalhar as métricas de resultados no futuro (a menos que você esteja, de fato, fazendo testes e acompanhando isso).

Com tudo definido, é possível que você tenha pelo menos um mês planejado pela frente. Não existe um número mágico de artigos que você precisa pensar antecipadamente, mas é bom ter alguma flexibilidade caso seja necessário. Tanto por conta de questões com a equipe, como mudanças necessárias para que a sua estratégia funcione bem.

4. Use o calendário editorial de maneira inteligente

Depois de montar seu calendário editorial na plataforma escolhida, você precisa inseri-lo na rotina do time, por meio de processos bem definidos.

Além dos conteúdos futuros, o calendário pode registrar um histórico das suas publicações, com posts antigos. Por isso, o ideal é utilizar uma ferramenta escalável e de fácil acesso na nuvem.

Aproveite o histórico para acompanhar as métricas de conteúdo do seu blog, fazer otimizações em conteúdos antigos que não estão performando muito bem e investir na divulgação daqueles que têm bons resultados.

Assim, além de organizar as publicações, o seu calendário serve também como um guia geral de toda a estratégia de Marketing de Conteúdo.

Construir um calendário editorial perfeito facilita o acompanhamento do conteúdo e a agenda do blog, bem como auxilia na programação dos outros canais de marketing – como redes sociais e e-mail -, além de ajudar na hora de mensurar resultados e produzir materiais de resultados!

Se a sua empresa não consegue manter uma regularidade nas publicações, você pode considerar buscar uma produtora de conteúdo que ajude neste processo. Assim, o seu time tem mais tempo para organizar a sua estratégia e investir em otimização! É mais dedicação para entender seus possíveis clientes, criar personas e saber o que elas querem ler.

Até a próxima!

Como identificar plágio no marketing de conteúdo

Como identificar plágio no marketing de conteúdo

Se existe um fantasma que assombra todos os gestores de Marketing que optam por terceirizar a produção Inbound é o plágio no Marketing de Conteúdo.

Infelizmente, essa péssima prática ainda é muito comum. Afinal, o Google está aí para fornecer textos sobre todos os temas, em todas as línguas, a hora que você quiser.

Seja por preguiça ou incompetência, muitos “profissionais” apelam para esse recurso criminoso e trazem problemas para coordenadores desprevenidos. Chato, não é? [emoji triste :/]

Isso pode colocar todo o seu trabalho à perder: planejamento, briefagem, execução… Vai tudo por água abaixo! Uma vez que os próprios mecanismos de busca penalizam seu site, diminuindo os acessos.

E você? Também anda sendo assombrado por esse fantasminha nada camarada ou já encontrou formas eficientes para mantê-lo bem longe?

Caso esteja tendo problemas com plágio no Marketing de Conteúdo, podemos ajudar você!

Neste conteúdo, falaremos sobre cuidados que os gestores podem tomar para terceirizar a produção com segurança e sem riscos.

Você vai ler sobre:

  • Os diferentes tipos de plágio no Marketing de Conteúdo;
  • Ferramentas para identificar plágio no Marketing de Conteúdo;
  • Como terceirizar a produção e evitar o plágio no Marketing de Conteúdo.

A diferença entre referência e plágio no Marketing de Conteúdo

É comum ouvirmos o famoso dito popular: “nada se cria, tudo se copia”.

Por mais que essa afirmação tenha um fundo de verdade, quando levada ao pé da letra, ela acabar com toda a credibilidade de sua marca em um piscar de olhos.

A verdade por trás do dito é o fato de que (quase) todas as ideias já estão aí! São anos de pesquisas somados à democratização da produção de conteúdos com a revolução digital.

O resultado disso é que as pessoas já escreveram muitos dados e continuam produzindo novidades em uma velocidade nunca vista.

Sendo assim, “copiar” significa aprender com o que já está produzido, pegar referências e elaborar seu próprio conteúdo. Lembrando sempre de citar os autores, quando utilizar suas ideias ou partes do conteúdo original.

Quando um redator se apropria de um conteúdo indevidamente e não dá créditos, é o caso de um plágio.

O plágio no Marketing de Conteúdo é uma violação dos direitos autorais e pode gerar multas, além da desmoralização diante do mercado profissional.

No entanto, nem todo plágio é igual. Isso porque existem algumas diferenças básicas que você precisa conhecer, como:

Plágio direto

Este é o mais grave dos plágios. Acontece quando o redator copia o texto na íntegra e assina como se fosse seu.

Assim, é muito fácil detectar esse tipo de plágio no Marketing de Conteúdo. Basta copiar uma frase e jogar no Google ou outros softwares, conforme mostraremos mais adiante.

Plágio indireto

Já esta é uma cópia parcial. Acontece quando o texto é de outro autor, mas foi reproduzido somente em partes ou com outras palavras. É um tipo mais difícil de ser detectado, mas que também gera problemas.

Por mais que o redator esteja repetindo ideias de outras pessoas, é mais ético e inteligente citar a fonte.

Plágio de tradução

Ainda que o texto esteja em outra língua, postar a tradução como se fosse um texto original é errado.

Os mecanismos de busca e tradução já contam, atualmente, com tecnologia para “memorizar” textos e identificar quando isso acontece.

Em todos esses casos, é aplicada uma penalização que prejudica o ranqueamento da sua página. Assim, os mecanismos acabam sinalizando-a como conteúdo não confiável e diminuindo a autoridade do site.

Portanto, não caia nessa armadilha! Previna-se já do plágio no Marketing de conteúdo por meio de boas práticas e ferramentas adequadas para isso.

Ferramentas para identificar o plágio no Marketing de conteúdo

Primeiramente, indicamos escolher algumas ferramentas para identificar o plágio. Afinal, você precisa detectá-lo antes de acabar postando o conteúdo.

Por isso, como coordenador de Marketing, jamais aprove um conteúdo e coloque-o no ar sem fazer a checagem nos mecanismos adequados.

Dessa forma, existem muitas alternativas que comparam o conteúdo escrito com outros textos publicados na internet.

A primeira opção é o próprio Google. Com ele, se você pesquisar por fragmentos do texto entre aspas, encontrará materiais que contenham as mesmas palavras.

Ainda assim, não confie somente nisso para ter certeza. Há também outras ferramentas gratuitas especializadas em detecção de plágios.

Confira algumas:

Pode ser válido investir em ferramentas pagas, caso  esteja desconfiado de que essas não estão dando conta do reconhecimento.

Como evitar o plágio no Marketing de Conteúdo?

As ferramentas são um recurso de segurança, mas como diz outro ditado: é melhor prevenir do que remediar. Logo, melhor do que correr riscos de plágio no Marketing de Conteúdo é criar processos para evitá-lo.

Alguns que funcionam muito bem, são:

Capriche nos briefings

Nem toda a responsabilidade sobre a qualidade do conteúdo está nas costas dos redatores. Os briefings são fundamentais para que eles possam desenvolver um bom trabalho.

Assim, quando o briefing está bem estruturado, com boas referências e clareza na proposta, as chances de plágio são menores.

Esteja à disposição dos redatores para tirar dúvidas e acompanhar seu trabalho

Marcar presença também ajuda, pois deixa o redator mais atento ao saber que você está acompanhando o seu trabalho.

Mostre-se solícito para tirar dúvidas que ele possa ter ao longo da produção e responda rapidamente para que ele possa dar continuidade ao serviço.

Trabalhe com revisores

Por mais qualificado que um redator seja, alguma coisa sempre escapa. Erros de digitação, links errados, defeitos estruturais… São todos problemas que podem surgir na produção.

Tendo um revisor para analisar os conteúdos você evita os erros citados acima e já tem um profissional responsável por fazer a checagem do plágio nas ferramentas escolhidas.

Contrate produtores de confiança

Por último, mas não menos importante, a principal forma de evitar o plágio no Marketing de Conteúdo: trabalhar com pessoas de confiança.  

É vantajoso contratar agências especializadas. Elas já contam com uma base de redatores selecionados e possuem seus próprios processos internos para evitar o plágio a todo custo.

Ao terceirizar a produção de conteúdo com empresas já consolidadas no mercado, você garante a qualidade e se livra do incômodo de acabar tendo de lidar com um profissional inexperiente ou mal intencionado.

E aí, nossas dicas deixaram você mais tranquilo em relação ao plágio no Marketing de Conteúdo?

Esperamos que sim! É um problema recorrente do setor, mas agora você poderá passar longe dessa dor de cabeça.

Aproveite e confira também nosso post sobre curadoria de conteúdo digital. Afinal, esse é um recurso importante para garantir a qualidade e relevância da produção de conteúdos.

Até a próxima!

Como montar uma equipe de marketing de conteúdo incrível

Como montar uma equipe de marketing de conteúdo incrível

A maioria dos gestores de Marketing já sabe que elaborar uma estratégia de conteúdo eficiente economiza recursos e pode estabelecer a sua empresa como referência no mercado.

Mas como montar uma equipe de Marketing de Conteúdo para colocar isso em prática ainda é um grande desafio. Principalmente, se você precisa equilibrar o seu orçamento e o crescimento da empresa.

É praticamente impossível produzir conteúdo de qualidade sem profissionais de alto desempenho. Isso porque o conteúdo é mais do que apenas um texto ou um infográfico. Ele deve estar alinhado com toda a estratégia da empresa. Além de ter sua performance acompanhada de perto – no caso de alguns ajustes serem necessários.

Neste conteúdo, você vai ler sobre:

  • As fases para montar uma equipe de Marketing de Conteúdo;
  • Saídas para priorizar a produção de conteúdo.

Montando sua equipe de Marketing de Conteúdo

Antes de formar a sua equipe de Marketing de Conteúdo, você precisa entender o que já está fazendo. Olhe para o seu trabalho atual, identifique quais pontos precisam de atenção e também aqueles que já estão dando certo.

O time ideal de conteúdo pode ter muitos formatos. O importante é que ele consiga suprir as necessidades da sua empresa. Além disso, sua equipe de Marketing de Conteúdo deve ser formada por profissionais especialistas.

Acumular muitas tarefas ou produzir conteúdo sem uma estratégia clara são péssimos inimigos de uma equipe de alto desempenho.

Isso prejudica tanto os investimentos da empresa quanto os próprios profissionais. Isso porque não conseguem se desenvolver nas áreas específicas em que gostariam de atuar.

Nos tópicos a seguir, dividimos a “montagem” da sua equipe em três fases.

Cada uma delas é parte essencial de um bom time de marketing de conteúdo. Mas como organizar essas habilidades é uma decisão que o gestor deve fazer com base no seu orçamento e nas necessidades do negócio.

Vamos lá!

Fase 1: Estratégia e planejamento

Para começar, você precisará desenvolver a estratégia que será utilizada na produção de conteúdo.

Para isso, sua empresa deve:

  • Contar com um estrategista e/ou responsável por analisar a concorrência;
  • Listar todos os seus objetivos de curto, médio e longo prazo;
  • Desenvolver métodos para acompanhamento de resultados;
  • Elaborar as personas que representam os clientes ideais do seu negócio.

Esse profissional trabalhará de forma próxima ao diretor ou gerente de marketing. O objetivo disso é que o trabalho do time esteja na mesma direção do resto da empresa. Ele será o responsável por acompanhar a performance do time e guiá-lo com dados.

Além disso, sua equipe também precisará de um responsável pelo planejamento de conteúdos. Que pode ser o mesmo profissional da estratégia ou não. Ele cuidará da parte mais executiva, focando no desempenho de SEO e pesquisa de palavras-chave. Bem como na criação de um calendário de publicações.

Fase 2: Produção de conteúdo

Depois de organizar sua estratégia de conteúdo, chega a hora de colocar a mão na massa e produzir, efetivamente, os materiais que atrairão leads para o seu negócio.

Aqui, os profissionais da equipe vão variar dependendo do tipo de material no qual você pretende focar a sua produção.

Se você apenas produzirá textos, basta um redator. Porém, se a sua estratégia pretende ir além, com outros formatos, você pode considerar contratar também um designer ou um especialista em audiovisual.

O ideal é contar com esses dois últimos profissionais, além do produtor de conteúdo. Materiais visuais são uma tendência cada vez mais forte para o marketing digital e estão se tornando fundamentais para empresas competitivas.

Fase 3: Distribuição

Depois de desenvolvido com base na estratégia planejada, o seu conteúdo precisa chegar até os usuários. Logo, é fundamental contar com uma equipe de distribuição.

Ela será responsável por disseminar o material, tanto nas mídias sociais como por e-mail.

Além disso, essa parte do time também pode fazer contato com a mídia ou influenciadores digitais do segmento que você pretende alcançar.

Saídas para priorizar a produção de conteúdo

A tarefa de montar uma equipe de conteúdo e delegar funções é parte fundamental para o bom gerenciamento do seu marketing digital.

Com profissionais qualificados e experientes, você consegue identificar de forma mais acertada as oportunidades, produzir conteúdo relevante e chegar até os possíveis clientes.

Se a sua equipe de marketing de conteúdo ainda é enxuta, uma solução é pedir para que profissionais de outras áreas da empresa colaborem escrevendo artigos.

Além disso, seu negócio pode considerar terceirizar a produção de conteúdo.

Com uma equipe experiente e profissionais qualificados, uma produtora de conteúdo pode ajudar a sua empresa a impulsionar seus esforços de marketing. Assim, seu foco pode ficar em outras prioridades. Como o desenvolvimento de processos mais eficientes para o seu time.

Se você quer saber mais sobre a produção de conteúdo digital, acesse também a categoria agências digitais do nosso blog. Até a próxima!

 

Curadoria de conteúdo digital: você sabe como ela funciona?

Curadoria de conteúdo digital: você sabe como ela funciona?

Todos os dias nós temos acesso a centenas, até milhares de conteúdos. Só que em tempos de tanta informação, como selecionar o que é mais relevante? Assim como você enfrenta essa dificuldade, seus clientes também estão diante desse desafio. Por isso, investir em curadoria de conteúdo digital pode ser uma boa aposta para a sua estratégia de marketing.

A curadoria de conteúdo digital é o processo de reunir materiais relevantes para o seu público-alvo. E, depois disso, publicá-los no seu blog ou nas suas redes sociais. Ela serve como um complemento para a sua produção de conteúdo e ajuda você a manter uma frequência constante de publicações.

Mas, atenção: Curadoria não é o mesmo que plágio! A ideia é compartilhar dicas com os devidos créditos para a fonte original, inclusive com o link.

Por que fazer curadoria de conteúdo digital?

A maior vantagem da curadoria é alimentar suas mídias com conteúdos novos e interessantes para o seu público. Gerando, assim, tráfego para o seu site.

A Hubspot já mostrou que a frequência de publicação está diretamente relacionada com o volume de acessos em blogs.

Segundo pesquisa, quem publica 4 posts por semana tem 3.5 vezes o tráfego das empresas que publicam até 2 conteúdos por mês.

Esses acessos podem iniciar um relacionamento com o público interessado pela sua área de atuação. Ou então, para nutrir leads.

Na nutrição, esse conteúdo educar o público sobre o seu setor e contribuirá para que ele continue lembrando da sua marca. Mesmo que você não consiga enviar sempre materiais originais.

Além disso, a curadoria de conteúdo digital ajuda a sua marca a se fortalecer como uma referência no mercado.

Se a sua empresa é de tecnologia, publicar conteúdos relacionados à área reforça a autoridade. E, além disso, mostra que você tem conhecimento sobre o tema.

Curadoria x produção de conteúdo

A curadoria pode ajudar também a suprir deficiências da sua equipe de produção de conteúdo. Caso ela não tenha tempo, inspiração ou habilidade para escrever, você pode abordar o tema ainda com qualidade.

Você pode estar se perguntando “mas isso não é injusto com a fonte original”? A verdade é que, se você dá os devidos créditos e adiciona os links, isso fortalece tanto a sua página quanto a outra.

Os algoritmos do Google valorizam a inclusão de links externos e internos, além da criação de backlinks. Logo, investir em curadoria de conteúdo digital também contribui para melhorar seus esforços de SEO.

Como fazer curadoria de conteúdo digital?

Você já entendeu por que a curadoria de conteúdo pode ser uma aposta inteligente para o seu marketing digital? Agora, nós elencamos algumas dicas para colocá-la em prática.

  1. Para começar, a curadoria pode ser feita como material para blog, redes sociais ou newsletter. O mais importante é que o conteúdo escolhido seja realmente relevante para o seu público.
  2. O formato dos materiais escolhidos também pode variar. Aqui em nosso blog, já falamos sobre os diferentes tipos de conteúdo para Inbound Marketing. Então, você é livre para escolher aqueles que fazem mais sucesso entre os seus clientes e até fazer testes.
  3. O fundamental, portanto, é conhecer a sua base e descobrir os tópicos que mais tocam nas dores dela. Para isso, o papel do gestor de conteúdo é fundamental. Faça um planejamento eficiente e entenda qual o seu objetivo com a curadoria.
  4. Lembre também de organizar os conteúdos que você escolher. Seja por tema, relevância ou qualquer outro critério. O importante é que a curadoria seja pensada para o usuário, e não apenas mais uma pilha de conteúdos “jogados”.
  5. Por fim, compartilhe apenas informações nas quais você confia! Em época de fake news, tome cuidado para não perder credibilidade com seus leads. Isso pode prejudicar – e muito – a sua marca!

Conclusão

Em resumo, investir na curadoria de conteúdo digital é uma prática inteligente. Uma vez que ela otimiza a sua frequência de publicação e manter seu público engajado. Ela ajuda a promover conteúdo digital de qualidade. Alimentando, assim, o mercado com informação qualificada sobre o seu setor de atuação.

Só que fazer a curadoria não pode servir apenas um “tapa buracos” na sua estratégia de marketing. Essa prática também exige esforços, principalmente para agregar valor aos conteúdos.

Por isso, não esqueça de ter cuidado, acompanhar as métricas desses posts e otimizá-los sempre que necessário.

Se você quer saber mais sobre métricas de conteúdo, confira nosso artigo sobre o assunto. Até a próxima!

Gestor de conteúdo: peça chave para o sucesso de uma estratégia Inbound

Gestor de conteúdo: peça chave para o sucesso de uma estratégia Inbound

A atuação do líder é parte significativa do sucesso de uma equipe. Assim como o diretor de uma peça teatral, o gestor de conteúdo tem a responsabilidade de fazer com que a sua estratégia de marketing brilhe e traga resultados.

Portanto, sabemos que estar à frente de outros profissionais pode ser desafiador. Mas acreditamos também que, junto a um direcionamento correto, todos podem desenvolver habilidades e tornar-se versões melhores de si mesmos.

Assim, como todo trabalho necessita de prática e estudo para ser desenvolvido, gestores também precisam se aprimorar para que, dessa forma, aumentem as suas taxas de sucesso. E é exatamente nesse ponto que viemos te dar uma mãozinha!

Neste conteúdo, apresentaremos dicas para otimizar as capacidades gerenciais e fazer de você uma liderança ainda melhor!

Você vai ler sobre:

  • Os maiores diferenciais de um gestor de conteúdo de sucesso
  • As principais técnicas para aprimoramento de gestão especializada
  • Inovação, liderança e criatividade no papel do gestor de conteúdo

Por dentro das funções de um gestor de conteúdo

Conforme a definição de Joe Pulizzi, fundador do Content Marketing Institute, o gestor de conteúdo é quem:

“Supervisiona todas as iniciativas de conteúdo relacionadas ao marketing, sejam internas e externas, em diversas plataformas e formatos. Tudo para impulsionar o reconhecimento da marca, o envolvimento, as vendas, a retenção e outros tantos comportamentos positivos de clientes.”.

Ou seja, este profissional deve utilizar de diferentes plataformas (blogs, redes sociais etc) e formatos (ebooks, blogposts etc) para elevar os resultados das vendas. Com isso, ele dispõe de meios internos e externos, unindo as técnicas de Inbound Marketing próprias com opções de co-Marketing e variantes.

Logo, o uso adequado deste leque de possibilidades é o que gera engajamento de leads com a marca e traciona-os ao longo da jornada do consumidor. Sendo assim, para manter a performance em alta, temos algumas sugestões que são resultantes de anos de prática e estudos por parte dos nossos colaboradores.


Competências essenciais ao gestor de conteúdo

As características que listaremos, a seguir, servem como ponto de referência – caso você esteja com algumas dúvidas. Entretanto, é sempre bom lembrar que, no papel do gestor de conteúdo, não existem fórmulas prontas ou soluções milagrosas.

Por isso, não encare estas dicas como um checklist a ser usado integralmente, mas baseie-se nele para ter os seus próprios insights. Afinal, a gestão de conteúdos exige uma sensibilidade para perceber o seu nicho comercial e avaliar quais são as competências mais importantes neste contexto. Posicionamento é tudo dentro de qualquer estratégia!

 

1- Estruture e documente uma estratégia de Marketing de Conteúdo

Desenvolver processos é fundamental em qualquer empresa. Cada departamento possui a sua própria dinâmica, que deve ser prevista e registrada. Então, o planejamento é a base do sucesso e a documentação serve para replicar processos quando for necessário, além de fazer um acompanhamento regular. Aqui, é preciso registrar informações como:

  • Definição das personas;
  • Princípios e valores norteadores;
  • Objetivos da estratégia de conteúdo;
  • Métodos para avaliação de resultados (KPIs e ferramentas especializadas).

2- Planeje a divulgação dos conteúdos

Todo conteúdo tem o objetivo de chegar até determinado público. Defina e documente como e onde isto acontecerá. Portanto, estabeleça:

  • Canais de veiculação (a exemplo das plataformas);
  • Formatos de comunicação (tom do conteúdo, vocabulário etc).

É muito importante alinhar o discurso em todas as mídias utilizadas, garantindo que este reflita perfeitamente os valores da empresa. Isso significa adequar a linguagem para cada mídia, sem, no entanto, perder a sua essência.

A forma mais eficiente que um gestor tem para garantir este trabalho é criar um manual de redação. Nele, estarão todas as informações que precisam ser levadas em consideração tanto na divulgação, quanto na produção dos materiais.

Essa prática simples acelera a curva de aprendizado de novos profissionais de social media e produção, além de criar um referencial único para orientar a todos os envolvidos no ciclo do conteúdo.

 

3- Estabeleça workflows e ferramentas para gerir o processo de conteúdo

Quanto mais detalhado, melhor! Identifique as necessidades específicas de cada parte do conteúdo e liste todas as atividades a serem executadas. A implementação de tecnologias adequadas para a gestão é uma excelente carta na manga! Vale ainda pesquisar um software que adapte-se às suas necessidades.

Algumas questões que devem ser respondidas, conforme a sua etapa:

Produção

  • Qual é o tema dos conteúdos?
  • Quais são os objetivos?
  • Quais formatos serão utilizados?
  • Quais são os profissionais envolvidos no processo?
  • Qual é o workflow desta etapa?
  • Quais são os Acordos de Nível de Serviço (SLAs) entre cada passo?
  • Quais são as ferramentas e tecnologias utilizadas para gerir a produção?

Distribuição

  • Quais são os canais de veiculação do conteúdo?
  • Quais ferramentas podem ser utilizadas para otimizar a distribuição?

Avaliação dos resultados

  • Quais métricas definem um conteúdo excelente?
  • Quais métricas definem a eficiência da estratégia?
  • Quais métricas avaliam o impacto da distribuição?
  • Quais ferramentas podem auxiliar o processo de coleta e análise de métricas?

 

Finalmente, a dica de ouro é transformar estes workflows em checklists, dentro do site para gestão de projetos Trello. Isto facilita o processo de acompanhamento e aprovação dos conteúdos.

4- Desenvolva um processo de contratação coerente com suas necessidades

Tenha em mente, com clareza, o perfil de profissional necessário para cada tarefa. Voltando ao exemplo da peça teatral, cada ator deve ser coerente com o papel desempenhado.

Na equipe de Marketing, também! Divulgue estes requisitos já no anúncio de contratação e faça um processo seletivo que evidencie as características buscadas.

 

Liderança é dar exemplos e inspirar resultados

Sobretudo, o importante é entender a dimensão da responsabilidade de um líder e encarar o desafio de maneira séria.

A confiança é um fator essencial, mas sozinha não basta. Em excesso, funciona até como uma armadilha! Um líder não pode dar-se o luxo de confiar cegamente, já que é ele quem deve enxergar e traçar o caminho.

Portanto, sempre volte-se às métricas. Independente do quão geniais você considere suas ideias, submeta-as à prova real dos números. Análise Indicadores-chave de Sucesso (KPIs) fundamentais para cada ação isolada e verifique-os.

Estar embasado em dados confere autoridade diante da equipe e uma postura segura. Tal sensação faz com que o time atue de modo intenso, compartilhando sua visão de sucesso.

Falando nisso, lembre-se de valorizar cada um de seus membros. Todo profissional dispõe de pontos fortes e fracos. É de sua responsabilidade identificá-los e fortalecer o lado bom. Foque no que pode trazer resultados!

Com uma gestão adequada dos talentos que você tem em mãos, é possível compensar as faltas de um com as habilidades do outro. E, desse modo, é possível criar uma equipe que funciona a todo vapor.

Agora, cabe a você assumir esta posição com garra. Afinal, um líder que faz a diferença tem o poder de cultivar e desenvolver potenciais. Essa, certamente, é uma das sensações mais gratificantes que existem!

Por fim, o que fazer com todo este sucesso? Que tal começando a estruturar um processo para sua equipe de conteúdo?

Clique aqui e saiba como definir um processo de conteúdo em agências digitais.

Página 1 de 212

Contato