Como provar o ROI do Inbound Marketing e impressionar seu chefe

Como provar o ROI do Inbound Marketing e impressionar seu chefe

Por mais duro que seja, ninguém está procurando os seus acertos para premiá-lo(a). Caso você queira algo, deve tomar atitudes e assumir a responsabilidade de fazer-se notável em meio aos demais.

Neste post, ensinaremos como provar o ROI do Inbound Marketing e apresentá-lo para os seus gestores. Conhecendo os indicadores mais importantes e desenvolvendo um método claro, temos a certeza de que o reconhecimento será uma questão de tempo.

Você vai ler sobre:

  • Vantagens de manter o controle sobre as métricas de ROI do Inbound Marketing
  • Quais são os KPIs mais relevantes para a definição de ROI do Inbound Marketing
  • Como elaborar bons relatórios de apresentação para o ROI do Inbound Marketing

 

A importância sobre o ROI do Inbound Marketing

A apresentação de resultados para os gestores de outras áreas da empresa vai muito além da mera prestação de contas. Não trata-se apenas de uma conferência do que foi feito em seu trabalho, mas sim de um momento importante para análise de dados estratégicos.

Entender o Retorno Sobre o Investimento (ROI) de cada ação de marketing é fundamental para definir quais estratégias merecem novas apostas ou devem ser substituídas por outras mais lucrativas.

Contudo, nem sempre apresentar os resultados é tarefa fácil. Apesar de que vários recursos podem ser otimizados com o uso de softwares de automação, é importante compreender o mindset por trás do controle do ROI do Inbound Marketing.

Para isso, vamos começar retornando às origens do planejamento de marketing. Relembre os seus objetivos por trás de cada ação e quais metas foram estabelecidas. Caso não tenha organizado nenhuma, é o momento certo para quantificá-las e planejá-las.

Comece identificando todos os setores envolvidos no funil de vendas e qual o investimento dedicado a cada um deles. É hora de tomar algumas decisões para dividir os recursos totais entre todas as ações necessárias para a jornada de compra.

Uma boa técnica para simplificar o momento é um tipo de engenharia reversa. Baseando-se no número de oportunidades qualificadas que a área comercial propõe-se a entregar, será definido o volume de investimento no início do ciclo.

Juntando esses números, você saberá exatamente quanto foi apostado e qual espera-se que seja o ganho final.

Em seguida, basta aplicar métricas e monitorar o que acontece entre os dois pontos.

A fórmula básica para calcular o ROI do Inbound Marketing é: receita gerada / valor total investido.

O número resultante é o retorno obtido sobre os investimentos iniciais. (ROI).

Apesar de sua extrema relevância, conhecer e apresentar o ROI não é tudo. Existem outros indicadores tão fundamentais quanto, os quais devem ser levados em conta.

Esses indicadores são chamados de Key Performance Indicators (KPIs) e ainda garantem a objetividade por trás do relatório sobre ROI do Inbound Marketing.

Quanto mais assertiva sua análise, mais fácil será provar a efetividade dos esforços de sua equipe. Afinal, contra números não há argumentos. Conquiste a confiança diretoria à solidez dos resultados apresentados.

Os KPIs para controlar ROI do Inbound Marketing

Acompanhar os seguintes indicadores permitirá apostas sábias. No momento em que você souber o quanto tais recursos estão rendendo, será possível obter mais resultados com o menor investimento possível.

Confira os KPIs indicadores devem ser acompanhados:

 

Search Engine Optimization (SEO)

Os indicadores ligados aos mecanismos de busca são relevantes a qualquer estratégia de Marketing de Conteúdo. Nesse caso, mostre números importantes neste aspecto, como:

  • Tráfego orgânico: quantas pessoas vêm até o site por vontade própria (buscando por ele, especificamente);
  • Rankeamento no Google: avalie o posicionamento de seu site e seus conteúdos.
  • Autoridade do domínio: conforme a qualidade do material e dos links relacionados, o Google identifica a autoridade do domínio;
  • Uso das palavras-chave: veja o índice de palavras-chave para ter certeza de que o usuário encontrará os seus materiais. O ideal é manter uma densidade média de, no mínimo, 0,7% da keyword em cada conteúdo.

Neste link, temos um post exclusivo sobre os princípios de SEO que todo profissional deve saber para acompanhá-los. Leia também

 

 

Conteúdo

Estas métricas estão ligadas ao desempenho dos conteúdos em si. Servem para avaliar como estão performando junto às personas e aos mecanismos de busca. São dados como:

  • Número de visitantes no blog: quantos usuários acessaram o blog em determinado período para avaliar o potencial de atração;
  • Tempo médio de permanência em cada página: quanto tempo o usuário permanece em cada conteúdo para analisar qual engaja mais e replicar conhecimento em outras postagens;
  • Origem de busca: como o usuário chegou até o seu site para entender quais canais atraem mais;
  • Taxas de conversão: quantos usuários tornaram-se leads a partir de um conteúdo ou da página do blog, preenchendo a formulários ou até entrando em contato de outras formas (considerando somente as ações via Inbound).

As duas métricas citadas acima podem ser acompanhadas em softwares de automação de Marketing, como o RD Station, e através do próprio Google Analytics.

 

Redes sociais

São KPIs fundamentais ao sucesso de uma estratégia de conteúdo nos dias de hoje. Afinal, quase todo mundo utiliza-as e gasta boa parte do seu tempo nelas. Para mostrar o impacto do Inbound Marketing nas redes sociais, é importante registrar o número de conexões, as taxas de engajamento e interações em postagens, além de compartilhamentos e menções.

Geralmente, as próprias redes oferecem ferramentas para controle de métricas em páginas comerciais. Vale pesquisar especificamente as que você utiliza e aderir ao uso desse recurso.

Esses são alguns números que vão causar impacto e impressionar a chefia ao apresentar o ROI do Inbound Marketing. O último passo é aprender como organizá-los e ter clareza na demonstração dos dados.

 

Os relatórios sobre o ROI de Inbound Marketing

Os relatórios devem ser intuitivos e de fácil compreensão. Infográficos são a melhor pedida: possuem visualidade atrativa, informações de modo sintetizado e permitem comparação de resultados com representação gráfica.

Organize os números das métricas sugeridas acima em gráficos de acordo com cada ação. Novamente, os softwares de automação de marketing vêm a calhar. Eles costumam ter ferramentas próprias para geração de relatórios.

Uma vez com os gráficos em mãos, é importante frisar 3 pontos na hora de apresentá-los:

 

Informar a situação do funil de vendas

Mostre claramente quantos visitantes tornaram-se leads, qual é a porcentagem desses que transformou-se em oportunidades e quais delas foram convertidas em vendas. Desse modo, será mais fácil entender onde estão os gargalos e como resolvê-los.

 

Enfatizar os canais que geram mais leads

Além de ter uma boa noção do todo, é importante entender quais são as suas “galinhas dos ovos de ouro”. Identificar canais que se destacam é fundamental na definição sobre quais devem ser mantidos ou ainda potencializados.

 

Apresentar os resultados das campanhas

Dentro de um mesmo canal, há diferentes ações. Detectar as que possuem maior sucesso permite compreender aquilo que funciona junto às personas e gera inteligência comercial às estratégias futuras.

Compreende agora a importância de provar o ROI do Inbound Marketing para alçar voos ainda maiores? Demonstrar eficiência é o melhor caminho para a chefia o(a) enxergar como aliado(a) e ir longe dentro da empresa.

Temos um conteúdo onde aprofundamos o conhecimento acerca das métricas específicas do Marketing de Conteúdo. Leia agora mesmo para complementar as informações desse post e ter sucesso nessa empreitada. Até mais! 🙂

 

Videoaula: como roteirizar e produzir

Videoaula: como roteirizar e produzir

 

O conteúdo em vídeo é uma tendência que cresce a cada dia e só tende a aumentar nos próximos anos. Por seu imenso consumo pelo público, o ramo da educação buscou no formato um jeito de se aproximar das pessoas por meio da videoaula, buscando oferecer um aprendizado dinâmico e atraente.

Neste conteúdo, mostraremos para você:

  • As vantagens da videoaula;
  • Como criar um roteiro para videoaula;
  • Como produzir uma videoaula.

 

Com a internet, hoje é o usuário quem tem o controle do que assistir, quando e onde.  A televisão já não dá mais as cartas, obrigando o telespectador a ver somente o que está em sua programação.

Plataformas de vídeos como o YouTube são acessadas diariamente em busca de músicas, tutoriais, receitas e aprendizado.

Seguindo essa tendência de comportamento, as videoaulas aproveitaram a onda e ganharam muito mercado com conteúdos informativos.

Para ver como o formato virou uma febre, o Ministério da Educação e Cultura (MEC) disponibilizou 500 mil vagas gratuitas de ensino a distância somente em 2017.

Sem mais delongas, vamos ao prometido:

Vantagens da videoaula

O formato da videoaula tornou-se um ótimo recurso para o ensino a distância, facilitando o aprendizado de quem procura essa ferramenta para aprender sobre diversos assuntos – seja para preparar-se para o vestibular, concursos, faculdade ou uma especialização profissional.

Baixo custo

Não são necessários gastos excessivos para elaborar uma videoaula. Em um lugar reservado, com uma câmera ou celular, uma lousa ou televisão e alguns recursos audiovisuais, é possível criar conteúdos de qualidade para seus espectadores.

Aprendizado em qualquer lugar

Quem quer e precisa aprender pode acessar o conteúdo de qualquer lugar, desde que possua uma boa conexão de internet; sem a necessidade de pegar ônibus, carro ou metrô para se locomover até uma sala de aula. Assim, o estudo torna-se mais rápido e eficiente.

 

Como criar um roteiro de videoaula

Para se destacar no meio das videoaulas é preciso criar um produto bem feito, com uma boa imagem, um som audível, sem ruídos e, acima de tudo, um excelente conteúdo didático que ajude as pessoas a alcançarem seus objetivos.

Para isso, você precisa de um roteiro bem definido e detalhado com tudo o que acontecerá durante a gravação do vídeo para, assim, desenvolver um material organizado e completo.

Mas o que é um roteiro para videoaulas?

Desenvolver um conteúdo em vídeo de qualidade requer uma pré-produção, onde é planejado tudo o que será exibido no material.

Portanto, o roteiro nada mais é que a descrição desse planejamento, detalhando o tema da aula, cenário, falas, quais recursos digitais serão utilizados, a duração e até a roupa do professor.

Confira como criar na prática esse roteiro para videoaulas:

 

1. Espelho de roteiro

 

No espelho, você divide o documento em duas colunas: na primeira coluna, à esquerda da folha, coloque tudo o que aparecerá nas imagens da videoaula, como:

  • Efeitos visuais;
  • Trilha sonora;
  • Legendas;
  • Animações das cenas.

 

Na segunda coluna, pegando o lado direito da folha, coloque todas as falas do vídeo.

Assim, você saberá tudo o que precisa ser acrescentado ou editado em cada cena da sua videoaula.

 

2. Falas do apresentador

 

O roteiro precisa ser estudado e estar disponível para todas as pessoas que farão parte da gravação. Assim, o serviço ficará alinhado e ninguém sairá do script.

Por isso a importância de ter as falas escritas e ensaiadas pelo apresentador, para que todos possam acompanhar o desenvolvimento exposto no roteiro.

Porém, há sim espaço para o improviso e falas espontâneas – que trazem a personalidade do apresentador ao vídeo e dão um toque especial de autenticidade e naturalidade.

 

3. Descrição das cenas

 

Falas definidas, agora é preciso pensar nas cenas que apresentarão o seu tema na aula. Seja em um estúdio ou ambiente externo, acrescente todas as informações no seu roteiro.

Procure descrever as cenas que serão desenvolvidas de acordo com cada fala, assim você terá a noção correta e o controle sobre tudo que acontecerá em cada parte da videoaula.

 

4. Trilha sonora

 

Parte importante do video, a trilha e os efeitos sonoros conferem uma dinâmica maior à aula. Pense com carinho em qual música usar e coloque-a no seu roteiro para não esquecer de inseri-la na hora da edição.

 

5. Encenação

 

Seja você ou outras pessoas que apresentarão a aula, é bom ter em mente como será a encenação durante o vídeo. Devem ser registradas as posições frente à câmera, sugestões de movimentos, gestos e sinais das mãos e do corpo.

 

6. Edição

Anote as ideias e indicações de edição no roteiro para que, quando o serviço for realizado, você mesmo ou outro editor possam saber qual direção seguir.

É bom indicar possíveis cortes de imagem, inserção de legendas, animações e quais palavras-chave serão destacadas no vídeo.

 

7. Revisão

 

Após colocar tudo no papel e estruturar o seu roteiro, é preciso revisá-lo. Confira se ele está de acordo com a mensagem que você quer transmitir, aliada ao som, imagem, encenação, posição de câmera e cenário. Esta é a hora de procurar por erros e consertá-los.

Não se intimide para mudar situações que não forem do seu agrado. O importante é ter um roteiro limpo, conciso, claro e objetivo para orientar sua gravação.

Como dito anteriormente, é necessário descrever no roteiro tudo o que será feito durante o vídeo. No entanto, cada pessoa pode elaborá-lo da sua própria maneira, ou seja, a forma correta é a que melhor se adapta ao seu perfil e ajudar na criação da videoaula.

 

Como iniciar a produção da videoaulas

 

Para auxiliá-lo nesta empreitada, trouxemos algumas dicas que ajudarão na elaboração de uma material rico e cheio de qualidades. Veja abaixo:

 

Abertura

 

É um ponto-chave para conquistar a confiança do seu aluno. O primeiro desafio é quebrar a barreira da distância física e a relação fria entre uma tela e uma pessoa em qualquer outro lugar do mundo.

Neste momento, seu público precisa ser captado com a promessa de que valerá a pena despender algum tempo do seu dia para assistir àquela videoaula.

Para isso, você terá apenas de 5 a 15 segundos. Portanto, seja ágil e esperto. Se não conquistar a atenção do espectador no início, provavelmente ele não se envolverá totalmente com o conteúdo.

E, obviamente, cumpra sua promessa: caso contrário, sua credibilidade irá por água abaixo e dificilmente a pessoa voltará outra vez.

Uma dica para captar a atenção do aluno é começar o vídeo mostrando alguma coisa de interessante para ele. Aqui vale lançar mão do humor usando recursos de edição ou até contar uma história relacionada ao tema da aula.

Duração da videoaula

 

Suas aulas precisam ser curtas para manter o público envolvido com o material apresentado. Uma boa solução é dividir seu conteúdo em vídeos de 5 a 15 minutos.

Mais do que isso e a atenção do aluno irá para o espaço.

 

Fechamento

Aqui é possível fazer uma revisão de todo conteúdo apresentado na aula e mostrar para o  aluno o que ele aprendeu com a sua videoaula.

Se você curtiu nosso conteúdo sobre videoaula, não saia daqui sem baixar o ebook “Como gerar resultados com vídeos”!

diversificar a produção de conteúdo

Agora, se precisa de ajuda com a produção de videoaulas, é só entrar em contato pelo formulário abaixo. Até a próxima!

 

Como aumentar a taxa de conversão em blogs

Como aumentar a taxa de conversão em blogs

 

É provável que seu blog tenha se tornado o ponto zero, o lugar em que você se promove, promove sua empresa e suas ideias. Seu blog é uma ferramenta estratégica de negócios, mas você está tratando ele dessa maneira? Você aplica as técnicas de como aumentar a taxa de conversão em blogs?

Durante anos, o layout “típico” dos blogs era o mesmo, com conteúdo à esquerda e uma barra lateral à direita. Havia o conjunto usual de widgets e ornamentos que decoravam o lado e, em uma palavra, o visual de tais blogs era cheio.

Não acha que está na hora de começar a repensar o layout da postagem de blog? É hora de torná-lo um pouco mais estratégico.

É sobre isso que vamos falar nas dicas a seguir: como aumentar a taxa de conversão em blogs e ter sucesso com sua estratégia de marketing de conteúdo.

 

Concentre-se na taxa de conversão do seu blog

 

O problema com a maioria dos blogs é que eles não têm uma coisa simples chamada foco. Você sabe porque seu blog existe? Sugerimos que seja por duas razões simples:

  1. Seu blog deve exibir e distribuir bem seu conteúdo.
  2. Seu blog deve converter visitantes em leitores e futuros clientes.

Com isso em mente, como está a taxa de conversão do seu blog? Essa é a taxa que mede a quantidade de visitantes que convertem para o call to action (CTA) desejado.

Você está se concentrando em uma única frase de CTA que pode acompanhar e avaliar?

Quanto mais opções damos aos nossos leitores, menor a probabilidade de eles realmente fazerem o que queremos que eles façam quando visitam nosso site.

À medida que eliminamos o excesso, estreitamos nosso foco e naturalmente criamos oportunidades para aumentar a taxa de conversão em blogs.

Aqui estão algumas maneiras práticas pelas quais podemos fazer exatamente isso.

 

Como aumentar a taxa de conversão em blogs: 7 dicas

 

 

Dica #1 – escolha uma única chamada para ação (CTA)

Durante anos, a barra lateral típica dos blogs foi algo parecido com isto:

Cheia, colorida e confusa. O que você realmente quer que o leitor faça com tudo isso?

Muitas vezes, quando tentamos decidir o que queremos que nossos leitores façam, ficamos confusos. Queremos que eles:

  • nos sigam no Twitter;
  • se inscrevam em nosso feed RSS;
  • baixem um ebook gratuito;
  • cliquem em um anúncio.

Ufa! Pode ser muito fácil pensar no visitante da web como um personagem em um romance do tipo escolha-sua-própria-aventura. Eles estão lá para intriga e suspense, na esperança de ver algo interessante.

Isso geralmente não é o caso. O tempo médio que um usuário gasta em um site é, na melhor das hipóteses, de apenas 20 segundos. Você tem que fazer valer.

Então, se você pudesse escolher apenas uma coisa para o seu leitor fazer (além de realmente ler o artigo), qual seria?

Escolha uma única frase de CTA. Esta tarefa simples irá melhorar instantaneamente a taxa de conversão.

Por exemplo, torne seu objetivo converter um visitante em um leitor com uma inscrição por e-mail na newsletter do blog ou com um curso gratuito.

Essa é uma call-to-action simples, mas poderosa, na qual você pode se concentrar como uma forma de aumentar a taxa de conversão em blogs.

Dica #2 – Cortar os anúncios

Você não está ficando rico e famoso com os anúncios da barra lateral veiculados pelo Google. Então por que eles estão lá?

A menos que você receba uma tonelada de tráfego, é improvável que esses anúncios estejam valendo a pena para você.

Na verdade, eles podem estar fazendo mais mal do que bem. Você está ok com um potencial lead ficando distraído por uma pilha de anúncios na barra lateral? Você está bem com eles perdendo completamente seu call-to-action?

Se você tem anúncios, isso está acontecendo.

Como aumentar a taxa de conversão em blogs pode ser tão simples quanto cortar a desordem excessiva e limpar sua barra lateral.

Esses anúncios podem valer a pena para um site de alto tráfego, mas esse não é o caso da maioria dos blogs.

Considere descartá-los totalmente em favor de mais espaço para respirar e um melhor foco em seus objetivos tangíveis.

Dica #3 – Cortar a barra lateral

Enquanto você está hackeando esses anúncios, talvez seja hora de abandonar a barra lateral por completo.

De muitas maneiras, a barra lateral do blog se tornou uma lixeira para todos os nossos caprichos. Infelizmente, há muitos caprichos:

  • Publicidades
  • Plugin do Facebook
  • Lista de categorias
  • Postagens recentes
  • Me siga! Me siga!
  • Links para sites favoritos
  • Blogroll, alguém?
  • Feed RSS
  • Inscrição em newsletter
  • Um link para outro projeto

Você entendeu a ideia. Talvez seja hora de uma abordagem diferente.

Sites como o Medium.com popularizaram a postagem sem barra lateral e funciona. Não só faz da leitura um prazer, mas deixa muito espaço para os verdadeiros call-to-actions que você precisa promover.

Se você remover metade (ou todos) dos widgets da barra lateral, o que você acha que isso faria com a taxa de conversão do seu blog? Pode valer a pena a tentativa.

Dica #4 – Alinhe o seu CTA

Quem decidiu que todas as ações precisam acontecer na barra lateral? Não seria melhor se as tivéssemos onde estão os leitores, como dentro da postagem do blog, por exemplo? Essa estratégia pode aumentar a taxa de conversão em blogs.

Você pode inserir uma frase de call to action básica em linha, diretamente dentro da postagem do blog.

Eles podem ser especialmente úteis se combinados com palavras-chave importantes, para um calendário editorial de marketing de conteúdo.

Seu conteúdo é o porque os leitores vieram em primeiro lugar. Defina como meta fazer pelo menos uma frase de CTA alinhada com cada postagem do blog.

Você pode até mesmo automatizar uma parte deste processo com um plugin, se você estiver usando o WordPress.

O plugin SEO Smart Links irá vincular automaticamente palavras-chave que você define para um post ou uma página de sua escolha. Esta é uma maneira simples e valiosa de adicionar frases de CTA ao texto da sua postagem.

Dica #5 – Use novos recursos multimídia

Quanto mais facilidades você oferecer ao usuário, maiores são as chances de fidelizá-lo como um leitor do seu blog.

Experimentar novos recursos como vídeo e, principalmente o áudio, pode transformar a maneira como seus leitores interagem com os diferentes tipos de conteúdos que você publica.

O Audio Marketing vem preencher um gap para os  83% das pessoas que não leem tudo o que gostariam na internet.

Com players de áudio nas postagens de blog, as marcas podem oferecer uma maneira mais prática para o leitor que, ao invés de ler, poder ouvir os artigos do blog.

Além de facilitar o acesso ao conteúdo e aumentar o time on page (melhorando o SEO), o player do Vooozer, por exemplo, possui um sistema opcional para capturar o e-mail do lead, o que contribui para aumentar a taxa de conversão

Exemplo do player de áudio do Vooozer em ação:

Dica #6 – Não elimine anúncios para o próprio site

Você pode publicar conteúdo no blog da sua empresa dia após dia. O conteúdo é bom, mas no geral o blog não está fazendo muito. E você não sabe o porque.

Existe tudo: caixa de assinatura para newsletter, posts relacionados, um plugin do Facebook e, claro, uma série de anúncios para o próprio conteúdo.

Espere… você tirou os anúncios do próprio blog?

Pode não parecer, mas isso pode ser exatamente o que você está fazendo. É natural querer que o público veja e entenda tudo o que você oferece, mas esse é um objetivo irrealista.

Não podemos vender tudo para nosso público de uma vez só. Precisamos ajudá-los a se concentrar em uma meta acionável para que ambos tenhamos sucesso.

Lentamente, ao longo do tempo, podemos expô-los a outros serviços e ofertas, mas só depois de termos garantido uma taxa de conversão máxima para o blog.

Dica #7 – Torne as coisas fáceis de rastrear

Um dos aspectos mais cruciais de como aumentar a taxa de conversão em blogs é poder acompanhar os resultados dos seus esforços.

Felizmente, confiando em alguns calls-to-action, em vez de vários, facilita-se o rastreamento deles.

Dessa forma, você pode fazer alterações sutis em seu site e ver o impacto que essas alterações causam nas estatísticas gerais de conversão.

Duplicando a taxa de conversão em blogs

Seu blog é uma ferramenta valiosa. Mitch Joel, fundador do Six Pixels Group, chama isso de sua homepage. Um blog é frequentemente a primeira experiência do cliente com uma marca.

Essa é a natureza do tráfego inbound. Seu blog diz mais sobre quem você é e o que é importante para você do que o restante do seu site. A questão é: os usuários estão recebendo a primeira impressão correta?

Em algum momento, você deve decidir se prefere que o leitor escolha entre dez coisas diferentes para fazer quando chegar no blog ou apenas uma.

Não há dúvida de que quanto menos opções oferecermos, mais provavelmente nossos visitantes farão o que quisermos.

O layout perfeito do blog será diferente para cada empresa. Dependendo de seus objetivos de negócio e público, você descobrirá os segredos de como aumentar a taxa de conversão em blogs.

 

Este post foi escrito pelo Vooozer, uma startup de Audio Marketing que já ajudou diversos clientes a aumentar sua geração de leads orgânica em até 45%. O Vooozer pode ajudar a sua empresa a turbinar suas estratégias de conteúdo com materiais em áudio que engajam e capturam leads. Aproveite e solicite uma consultoria gratuita de Audio Marketing agora mesmo!

 

Conteúdo para Marketing Digital: ideias criativas para inovar na produção

Conteúdo para Marketing Digital: ideias criativas para inovar na produção

Sabemos que não adianta postar um único conteúdo e abandonar redes sociais ou blogs às moscas. É importante manter uma certa regularidade entre postagens e produzir conteúdo para Marketing Digital que seja original, criativo e instigante.

Afinal, você quer marcar presença na vida das personas ou ser apenas mais uma marca produzindo conteúdo que ninguém ama?

Neste post, falaremos sobre como manter sua produção de conteúdo criativa  e indicaremos as melhores práticas e exercícios para auxiliar nesse processo.

Você vai ler sobre:

  • Os principais exercícios para despertar e aguçar a criatividade
  • Exemplos criativos de conteúdo Inbound Marketing
  • 5 formas de usar a criatividade para impulsionar a otimização de resultados

Para manter o ritmo da produtividade, é preciso estimular o cérebro: e isso vale tanto para os responsáveis pela estratégia e planejamento de Marketing, quanto pela execução. Não podemos cair na armadilha de querer sempre grandes ideias e ficar à mercê da inspiração.

A verdade é que todo produtor de conteúdo (seja um autor, roteirista, designer e/ou artista em geral) tem um suas próprias alternativas para manter-se criativo. Sendo assim, cabe aos gestores conhecer algumas destas e indicar os caminhos. Desta forma, é possível ter mais êxito no alinhamento de expectativas entre estrategistas e produtores.

Quando o seu trabalho depende do processo criativo, você pode ajudar oferecendo chaves para fazê-lo ligar sempre que necessário.

Por outro lado, bem sabemos como é difícil descobri-las e aplicá-las em seu dia a dia. Saiba que você não está sozinho(a): 26% dos gerentes de Marketing e 16% dos estrategistas de conteúdo dizem que a escolha de temas é o maior desafio de suas profissões.

No campo da produção de conteúdo para Marketing Digital, há alguns métodos bastante conhecidos. Eles trazem soluções rápidas quando estamos sem ideias e ainda performam bem entre o público em geral.

Escolhemos opções interessantes e resolvemos compartilhá-las com você. Fique à vontade!

5 saídas criativas na produção de conteúdo para Marketing Digital

 

Os produtores de conteúdo estão com dificuldades para produzir o necessário? Muita calma nessa hora! Você pode intervir para ajudá-los a alcançar resultados em todas as circunstâncias.

Para isso, manter um arsenal de possibilidades que lhes tirem deste buraco é a saída mais inteligente para não ficar de mão atadas.

Veja algumas sugestões para fornecer para os responsáveis pela produção de conteúdo para Marketing Digital. Eles podem ser aproveitados por todos os setores envolvidos na criação e podem salvar a sua pele:

1- Crie uma lista de benefícios

lista de prioridade

Certamente, a solução que você oferece traz uma série de benefícios relevantes ao setor de atuação. E, naturalmente, tais benefícios são parte do argumento para conquistar as novas vendas.

Portanto, o melhor é listar claramente os aspectos positivos. Uma sugestão é focar a escrita em conhecimentos que englobem a área de atuação, mais do que falar sobre determinado produto. Isso permite escrever conteúdos de mais qualidade em menos tempo.

Caso você trabalhe com Marketing Digital B2B, por exemplo, pode escrever um material sobre as vantagens de produzir conteúdo personalizado de acordo com cada rede social.

 

2- Crie uma lista de erros

 

Todo setor de atuação têm suas próprias armadilhas e práticas ruins que podem prejudicar os negócios.

Listar estes elementos prejudiciais, contrapondo-os com outros que sejam importantes para as suas personas, é uma boa forma de mostrar o seu diferencial.

Esta também é uma oportunidade excelente para dar aquele “shade” na concorrência, sem perder a ética e a elegância, obviamente! [;)]

Um exemplo é um conteúdo para blog com o título “10 erros que podem estar atrapalhando sua estratégia”. Neste, você dialoga com a dor do lead, ao mesmo tempo em que traz dicas do que não fazer. É a deixa perfeita para colocar o dedo na ferida da concorrência e mostrar o diferencial de sua própria marca.

3- Eleja a “Pergunta da Semana”

Interagir diretamente com as suas personas é uma excelente técnica para vender mais e melhor. Especialmente na era da super personalização de conteúdos e relações comerciais, isso pode gerar um amplo engajamento por parte dos leads.

Nessa perspectiva, criar espaços onde o lead possa fazer perguntas para a empresa é uma boa medida. Esse espaço pode ser:

  • Área do site destinada para isso;
  • Abertura em lives e webinars nas redes sociais;
  • Comentários, chats e interações em outras postagens.

Escolha a mais relevante para cada semana e construa um conteúdo em cima disto. Suas personas irão sentir-se valorizadas e podem até compartilhar este material em seus perfis.

Faça uma análise dos comentários e interações com postagens do Facebook e escolha a pergunta de um influenciador, por exemplo. Escreva algo voltada para respondê-la, cite-o e convide-o a ler. E o melhor: se gostar, ele irá compartilhá-la com o seu próprio público.

 

4- Preveja e anuncie tendências

Quando você dedica-se a estudar o mercado no qual está inserido, é possível identificar determinadas tendências sobre ele.

Por estar em um contato direto e constante com a realidade e fazendo pesquisas em fontes confiáveis, você provavelmente tem mais conhecimento do que os leads sobre o andamento do setor.

Então, ajude-o a perceber isto! Seus leads vão gostar de saber o que há de novo. O melhor é que, caso você acerte as suas previsões, terá um verdadeiro ganho de autoridade aos olhos do público-alvo.

Um conteúdo com o título “Conheça agora os novos softwares para gestão de conteúdos que estão bombando no mundo inteiro!”, por exemplo, pode revelar softwares diferenciados, os quais provavelmente seu lead não conheça. Cite de onde vieram e como são utilizados. Faça isso utilizando números para convencê-lo de que este tendência vale a atenção.

5- Adapte os melhores conteúdos para novas linguagens

Um conteúdo mantém-se relevante independente de qual mídia utilizemos. Afinal, se o tema é potente, isso significa que ele pode servir de matéria-prima para diferentes aplicações.

Além disso, sabemos que cada pessoa interessa-se por tipos diferentes de conteúdo para Marketing Digital. Existem aqueles que preferem textos explicativos, visuais ou ainda em formato de podcast, para escutar enquanto fazem atividades do seu dia a dia.

Por isso, é bom reaproveitar materiais que performam bem em novas configurações, a fim de atingir uma gama maior de personas.

Transforme blogposts em vídeos ou infográficos que priorizem a exposição dos dados, além do que mais você tenha condições de produzir, por exemplo.

Gostou das nossas dicas? Então, salve essa página na sua aba de Favoritos! Quando você estiver tendo problemas em criar conteúdo para Marketing Digital, volte e releia as nossas sugestões. É simples, rápido e eficiente.

Outra alternativa que deve ser considerada é a possibilidade de terceirizar a produção de conteúdo para Marketing Digital. Quando o processo de gestão e planejamento começa a dar muita dor de cabeça, o melhor é delegar tarefas para não consumir-se demais.

Contar com a parceria de uma produtora de conteúdo Inbound Marketing retira esse fardo dos seus ombros! E o melhor: traz a garantia de que profissionais especializados estarão cuidando desses materiais da melhor forma possível.

Avalie o que é melhor para a sua situação e bom trabalho! [:D]

Conteúdo produzido… E agora? Leia aqui sobre como divulgar e promover conteúdo para Marketing Digital!

 

3 métricas de SEO que você deveria estar monitorando

3 métricas de SEO que você deveria estar monitorando

Sejam quais forem os seus objetivos com a produção de conteúdos digitais, você precisa de um acompanhamento dos KPIs de SEO para validar esforços e adequar-se à realidade.

O trabalho do Inbound Marketing não está finalizado quando o conteúdo vai ao ar. Afinal, de nada adianta aplicar um método que maximiza o volume de vendas sem certificar-se de que ele funciona.

Neste post, falaremos especialmente dos KPIs de SEO, que são números valiosos para o controle dos resultados de qualquer estratégia Inbound.

Você vai ler sobre:

  • O que é e qual a verdadeira importância das métricas de SEO no Marketing
  • Como realizar o monitoramento SEO em prol dos objetivos de uma agência
  • Lista dos principais KPIs de SEO para que você não caia na superficialidade

Não importa se você está ao lado dos CEOs – que precisam dos KPIs de SEO certos para medir resultados – ou dos gerentes de Marketing – que devem convencer o C-level a aplicar uma cultura de métricas. O conhecimento precede a ação!

Pensando nisso, vamos falar sobre como, quando e porque controlar as métricas de SEO.

Por dentro dos KPIs de SEO e sua aplicação

Vamos começar separando o joio do trigo? Sendo assim, métricas de SEO para um lado e KPIs para o outro. Num primeiro olhar, estes valores parecem semelhantes. Porém, vamos lhe mostrar que a prática é bem diferente.

Por definição, métrica é a medida ou quantificação de qualquer aspecto. Já o KPI, por sua vez, é uma métrica de alta relevância. Ele vai além da métrica comum, pois representa dados que têm impacto profundo nos processos de uma empresa. Através dos KPIs é possível medir se as ações estão realmente atingindo os objetivos do planejamento.

Basta imaginar que somamos o número de curtidas recebidas em uma determinada postagem, ou até mesmo de solicitações de orçamento a partir de um material.

Acontece que, dependendo dos objetivos da estratégia de marketing, cada número pode ter mais ou menos valor.

Dentro dos exemplos anteriores, se você estiver medindo o impacto do conteúdo digital no volume de vendas, as reações que não converteram podem ter sua função minimizada. No que se refere ao engajamento de leads e alcance das postagens, as curtidas já mostram-se métricas de valor. Por outro lado, as solicitações de orçamento são indícios concretos das oportunidades de negócio.

Dito isso, podemos afirmar que todo KPI é uma métrica. Mas, nem toda métrica é um KPI!

Uma métrica torna-se KPI quando seu resultado é crucial para atingir objetivos estratégicos.

Do contrário, são números que não representam muito no processo gerencial, podendo virar métricas de vaidade.

Isso também significa que elas não são as mesmas para todos os modelos de negócios. Há que se estabelecer uma equação entre as necessidades de cada setor e os conhecimentos básicos sobre SEO.

No caso de agências digitais, o foco é mostrar aos seus clientes como os esforços de SEO estão rendendo.

Ou seja, quantificar dados, como o número de visitantes e o nível de autoridade, dentre outras. A pergunta, aqui, é: os conteúdos produzidos estão performando bem? A métrica desses dados nos dará a resposta. Esses mesmos números podem se transformar em KPIs de SEO, pois podem ser constantemente monitorados e sinalizam o sucesso – ou não – da estratégia de atração via busca orgânica.

Já em outros casos, em que usa Inbound com objetivo de aumentar conversão em vendas, o foco é outro. Assim, o objetivo é mostrar como as visitas e os benefícios dos KPIs de SEO impactam no funil de Vendas. A pergunta, aqui, é: quantas vendas a estratégia de marketing de conteúdo gerou?

Ainda está um pouco confuso(a) em relação a quais métricas de SEO são importantes para sua estratégia? No próximo tópico, você encontra algumas sugestões!

 

Principais KPIs de SEO para otimizar resultados

O seu foco é acompanhar os efeitos dos principais KPIs de SEO? Veja quais são eles:

1- Visitas orgânicas

Essas métricas de SEO são consideradas KPIs, uma vez que avaliam o número de visitas direcionadas para o seu site a partir dos mecanismos de busca.

Naturalmente, este é um dos KPIs de SEO mais importantes. Seu crescimento significa que o objetivo de aumentar o consumo dos conteúdos foi atingido. De modo mais simples, mede quantas vezes a sua página recebeu acessos.

Porém, lembre-se de que um único usuário pode ser responsável por diversas visitas. Logo, não é o mesmo que medir o alcance de público do site.

O tráfego orgânico pode ser identificado pelo Google Analytics ou softwares especializados.

2- Rankeamento de keywords

Estes KPIs de SEO dedicam-se ao controle do posicionamento nos mecanismos de busca, a partir das keywords utilizadas.

Ainda que haja uma variação de keywords ao longo da produção de conteúdos, há um eixo temático que os une. Nele, algumas palavras ligadas à sua solução podem ser repetidas de modo constante.

Por conseguinte, é preciso fazer o acompanhamento da performance. O objetivo é alcançar o número 1. Mas, isso não é algo fácil, já que são muitos concorrentes. Este é o motivo pelo qual o cuidado com essa métrica lhe permitirá entender melhor o próprio mercado.

Desse modo, é possível identificar quais concorrentes vêm se dando bem e replicar as suas práticas favoráveis.

Todas estas informações podem ser acompanhadas por ferramentas de SEO, como SEM Rush, WebCEO ou ainda outras opções mais simples, as quais permitem uma análise de rankeamento, como a SerpLabs.

3- Backlinks:

Backlinks servem para gerar tráfedo de qualidade para o blog. Tratam-se de links posicionados ao longo do texto para guiar o lead entre conteúdos relevantes para os temas que está pesquisando.

Desse modo, podemos dizer que essa estratégia ajuda na construção de autoridade, ao mesmo tempo que nutre o lead ao longo da jornada de compra.

Eles podem ser internos ou externos, gerando tráfego dentro do seu próprio ambiente virtual ou trazendo leads de sites de terceiros.

Naturalmente, existem diferentes tipos de backlinks, cada um com suas próprias potencialidades e usos. São eles:

  • Link Juice: Links externos que trazem o leitor para artigos ou para a página inicial do seu blog/site. Ajuda a melhorar a autoridade do domínio.
  • Nofollow links: Quando um link tem a tag “nofollow”, a ligação com ele é interrompida. Costuma ser usado para impedir que links em comentários sejam usados como backlinks para sites maliciosos.
  • Dofollow links: O contrário dos nofollows, Estes permitem que os links adicionados funcionem como backlinks ativos.
  • Root Domain Links: é o nome dado ao domínio que tem diversos backlinks que levam ao seu site. Ex: um site que tem 15 links apontando para o seu é considerado um root domain.
  • Low Quality Links: Links de sites penalizados e de baixa qualidades, tais como: sites de spam, sites pornográficos, sites maliciosos, etc. Eles prejudicam os KPIs de SEO, portanto evite-os.
  • Internal Links: Backlinks internos que redirecionam o lead entre conteúdos da sua própria página.
  • Anchor text: Parte do texto que fica grifada, contendo um hiperlink para algum site relacionado com o texto em questão.

O toque de final para se dar bem com os KPIs do SEO é prezar por um site que contenha design intuitivo. Estude a experiência do usuário para avaliar se não existe algum problema nesse sentido, atrapalhando a conversão. Acreditamos que essas 3 métricas de SEO sejam as mais importantes. As demais estão ligadas ao setor de atuação, de modo que exigem um estudo mais personalizado do caso da empresa. Está interessado(a) em fazer um diagnóstico? Entre em contato conosco!

Leia também Como medir a eficiência do Marketing de Conteúdo e aprofunde-se nesse assunto!

Conteúdo para Inbound Marketing: como terceirizar com inteligência?

Conteúdo para Inbound Marketing: como terceirizar com inteligência?

Às vezes, temos vontade de assumir a responsabilidade por tudo e nos comprometemos mais do que pode dar conta. É o que acontece com grande parte das empresas que optam por internalizar toda a produção de conteúdo para Inbound Marketing.

 Apesar dos benefícios que uma produção internalizada pode trazer, algumas limitações se impõem, sobretudo quando há necessidade de escalar da produção de conteúdo sem, claro, perder qualidade. 

Essa é uma dor frequente em profissionais de marketing. Além do planejamento estratégico de marketing global, é necessário pensar no Inbound como núcleo a parte: planejar, executar ações, produzir conteúdos e monitorar sua performance.

No que tange a produção de conteúdo, surge o desafio de encontrar profissionais com habilidades técnicas em redação para web, domínio de táticas de SEO, e, além disso, conhecimentos específicos sobre as soluções ofertadas – o que, necessariamente, é resultado de um processo de imersão, treinamentos, etc, que acabam custando muitas horas do gestor de marketing.

Por tal motivo, terceirizar o conteúdo para Inbound Marketing é uma alternativa viável adotada por empresas que utilizam esta tática de marketing digital.

Sabemos que nem sempre essa é uma decisão fácil, pois ainda que exista a necessidade de escalar, “tirar a operação de casa” pode ser motivo de preocupação, certo?

Não se a terceirização for pensada de forma inteligente, com processos claros e objetivos.

Neste post, descubra tudo sobre terceirizar conteúdo para Inbound Marketing e escalar sua produção sem riscos de perder em qualidade.

Você vai ler sobre:

  • Mecanismos adequados à produção de conteúdo para Inbound Marketing
  • O que são e de que forma estabelecer um Service Level Agreement (SLA)
  • Quais são as vantagens de terceirizar conteúdo para Inbound Marketing

Quais são as vantagens de terceirizar a produção de conteúdo para Inbound Marketing?

Sabemos que a intenção de internalizar a produção é sempre a melhor possível: garantir a qualidade esperada e não correr riscos de “falhas”, como prazos não cumpridos ou dores de cabeça relativas ao gerenciamento de artigos e redatores.

Desse modo, acreditamos estar tomando as precauções necessárias para não colocar todo o planejamento sob ameaça.

Entretanto, na prática, nem tudo funciona tão bem quanto imaginado e, o que deveria ser uma solução excelente, acaba se tornando um problema: você não consegue escalar.

Os motivos são muitos: o custo dos profissionais alocados, limitações dos profissionais, falta de produtividade e até mesmo “falta de braço” para absorver projetos maiores – que acabam ficando na gaveta.

É bom lembrar, também, que a produção de conteúdo para Inbound Marketing exige profissionais com habilidades altamente específicas, o que pode sair caro, principalmente se considerarmos a obtenção de resultados a médio e longo prazo.

Considere que isso inclui gastos com a contratação de novos funcionários, infraestrutura para que eles possam trabalhar, dentre outros.

Uma opção recorrente – porém, de resultados mais incertos – é a contratação dos redatores freelancers.

Apesar da possibilidade de ser mais barata, é difícil estabelecer acordos e ter a garantia do trabalho terceirizado. Nesse caso, para que tudo ocorra bem, é preciso que haja boas indicações e uma dose de sorte para cair nas mãos do profissional adequado. Mas, até chegar lá, você pode passar por surpresa bem desagradáveis.

Outra alternativa é terceirizar com as produtoras especializadas em auxiliar empresas a terceirizar conteúdo para Inbound Marketing.

 Com profissionais experientes na redação de conteúdo para blogs de diferentes domínios, as produtoras costumam ter um banco de colaboradores para diferentes áreas. Além, é claro, de estarem perfeitamente familiarizadas com recursos de SEO e demais mecanismos de busca.

Desse modo, uma produtora pode garantir a acuidade técnica da produção e desenvolver um trabalho coerente com as expectativas do contratante.

Contudo, manter o controle e avaliar os resultados ainda é papel de um gestor. Portanto, temos dicas de alguns procedimentos que devem ser implementados, junto à terceirização, para ter a garantia de sucesso.

 

Garantindo qualidade ao terceirizar conteúdo para Inbound Marketing 

O estabelecimento de processos claros e eficientes é a base para qualquer ação dentro de uma empresa. Ter a consciência de cada etapa e do fluxo de trabalho necessário à todas as atividades de gestão é o segredo para alcançar escalabilidade e constância de resultados.

Pensando dessa maneira, há alguns procedimentos de segurança e otimização que podem ser tomados ao optar pela terceirização do conteúdo para Inbound Marketing.

1- Documentar o processo de terceirização

Estruturar um processo de produção de conteúdo para Inbound Marketing é importante. No entanto, documentá-lo pode ser ainda mais!

Em uma empresa, todas as ações devem ser registradas com o máximo de detalhamento. Isso é algo positivo à análise de resultados e à replicação de métodos para outros setores. O controle de um processo documentado é vital para o crescimento e o escalonamento de resultados. No caso do conteúdo para Inbound Marketing, documente:

  • Profissionais envolvidos desde a produtora de conteúdo até a empresa contratante – especialmente, os touchpoints;
  • Prazos distintos para cada uma das etapas descritas acima;
  • Etapas do processo de produção.

Na Gummy, por exemplo, há uma série de etapas para garantir a qualidade das entregas. Num primeiro momento, o briefing é recebido – ou desenvolvido – por nossos(as) Content Managers. Após certificar-se de que os briefings têm a qualidade necessária para produção, é encaminhado a um redator especializado.

Este, por sua vez, produz o conteúdo no prazo estabelecido e devolve-o para o(a) gestor(a). O material é revisado e passa por um checklist, no qual verifica-se a sua qualidade, adequação à normas de SEO e exigências específicas, de acordo com o solicitado pelo cliente.

Finalmente, conteúdo é entregue para aprovação e, caso necessário, os ajustes são feitos e devolvidos ao contratante em prazos previamente alinhados e, portanto, sem surpresas, nem atrasos, nem dor de cabeça.

2- Service Level Agreement (SLAs)

A sigla SLA é a definição de um nível mínimo de qualidade a ser respeitado nas passagens de bastão. Existe para garantir que cada parte se responsabilizará pelos seus resultados e que estes não sejam baseados apenas na percepção individual.

Eles devem ser documentados e transparentes, com o intuito que não haja dúvidas quanto às expectativas em cada etapa da produção de conteúdo para Inbound Marketing.

Aqui na Gummy muitos clientes possuem SLAs definidos e formalmente registrados desde o início do projeto, o que garante mais segurança ao contratante.

3- Fluxo de comunicação

A comunicação é a base de qualquer trabalho em equipe. Especialmente, quando envolve duas empresas diferentes.

Para uma terceirização de conteúdo para Inbound Marketing mais confiável, estabeleça canais de comunicação para garantir a eficiência no acompanhamento por parte dos times elencados e na passagem de bastão.

O mecanismo básico, naturalmente, é o e-mail. Porém, ele não é o único! É possível utiliza ferramentas para gestão de projetos, grupos de Whatsapp, entre outros, desde que tudo possa ser registrado e documentado.

Um bom exemplo disso é o Trello, plataforma frequentemente utilizada na rotina de trabalho da Gummy.

Importante: nunca deixa de registrar mensagens todos os pontos de contato. Somente o registro concreto de informações funcionará como argumento sólido no caso de algo não sair exatamente conforme o combinado.

4- Feedbacks e relacionamento com o cliente

Por fim, estabeleça uma relação sincera e duradoura com o seu parceiro. Tanto a produtora quanto a empresa contratante devem comunicar como foi a recepção das entregas.

  • Estão de acordo com os SLAs?
  • O que ainda pode ser melhorado?
  • O que vale a pena ser replicado?

Procure terceirizar com empresas com as quais você possa manter um canal aberto, tanto para cobranças, quanto para propostas de melhoria.

Fazer este processo de avaliação conjunta regularmente fortalece as relações de confiança, cria agilidade e favorecer a qualidade da produção de conteúdo.

Além disso, registre os learnings dessa interação.

Na ativação de um novo cliente pela Gummy, por exemplo, utilizamos um ferramenta interna que chamamos “Brainbox”. Nela, registramos todos os feedbacks e acordos já efetuados. Também estão inclusos neste processo manuais de redação, detalhamento de personas e orientações atualizadas a cada avaliação. Trata-se de um banco de conhecimento facilmente acessível por qualquer envolvido no projeto e alimentado continuamente com informações relevantes para o bom desempenho da produção.

O resultado são entregas mais consistentes, a diminuição do riscos de erros e ajustes e a melhoria contínua da qualidade das entregas.

Gostou das dicas? A terceirização pode ser uma mão na roda para quem precisa focar no planejamento estratégico e operacional. Não é necessário perder tempo com a produção de conteúdo para Inbound Marketing se você tiver um parceiro de confiança que o faça!

Agora, caso você trabalhe em agência e deseje aprimorar o seu processo, clique aqui! Esta leitura vai ajudá-lo(a) a sanar as suas dúvidas e aprimorar os métodos já empregados. 🙂

Página 1 de 3123

Contato