O que o mercado B2B pode aprender com a Black Friday?

O que o mercado B2B pode aprender com a Black Friday?

Estamos chegando perto de um dos eventos mais controversos do mercado B2C. Trata-se da Black Friday, famosa por todos os alvoroços causados durante esse período. São lojas com filas quilométricas de clientes, disputando por produtos com descontos generosos.

Por outro lado, é conhecida também por representar boas oportunidades de compra a quem se programa e garante a promoção que tanto espera.

Seja qual for a sua perspectiva, acontece que modelos de negócio B2B sentem-se do lado de fora desta festa – como se não houvesse espaço para eles. Na verdade, é o contrário!

Quer descobrir como a Black Friday funciona para B2B? Continue a leitura que a gente te conta! 🙂

Você vai ler sobre:

  • Quais são as principais táticas de venda B2B para uma estratégia
  • Como fazer uma Black Friday B2B e aproveitar a data para vendas
  • Como inovar e criar ações fantásticas para essa data

O diferencial entre a Black Friday B2B e B2C

Claro que não é tão simples obter os mesmos efeitos de vendas B2C na Black Friday B2B. Afinal, são lógicas distintas que regem estas duas jornadas do consumidor.

Ao passo em que o B2C é movido por impulsos mais emotivos e sensações de escassez, causadas por uma oferta extremamente limitada, o B2B atua de maneira diferente.

No Marketing B2B, as vendas são caracterizadas por processos mais longos e complexos. Isso acontece porque a cadeia de decisão envolve profissionais distintos até que a compra seja aprovada.

Além disso, o ticket médio também costuma ser mais alto. Tal fato, por si só, já é bastante preventivo de decisões antecipadas e pouco estratégicas. Quanto maior for o investimento, maior a preocupação em verificar todos os detalhes do fechamento de um negócio.

Baseado nesses dois itens, já dá para saber que a criação da Black Friday B2B não é uma aplicação idêntica à B2C. Entretanto, listamos 5 lições para você aprender com esse evento e utilizar na melhoria das estratégias de Marketing B2B.

5 ações para organizar uma Black Friday no mercado B2B

1- Projete expectativas

A Black Friday não é um evento que acontece da noite para o dia. Pelo contrário, ela possui data fixa no calendário e um histórico de promoções notáveis.

Esses dois fatos aliados são o suficiente para deixar as pessoas na expectativa do evento, permitindo com que elas cultivem a sensação de valor atribuído.Em uma estratégia voltada para as empresas, você pode utilizar dos mesmos princípios para obter resultados similares em sua Black Friday B2B.

Caso sua empresa tenha um nome consagrado no setor e um produto de vendas regulares, estabelecer uma data fixa anual pode ser ótimo. Caso contrário, é preciso preparar o lead através dos fluxos de comunicação e conteúdo.

Envie anúncios via e-mail, divulgando a promoção que ocorrerá em breve. Aplicar banners virtuais no meio dos conteúdos Inbound também é uma forma de divulgá-la.

Naturalmente, isso deve ser feito com uma certa antecedência. Aproximadamente 3 meses é um bom período para que os leads possam organizar suas finanças e criar expectativas sobre o grande evento que está sendo organizado.

2- Estabeleça deadlines

Uma campanha que dura para sempre não é uma promoção – mas, sim, uma diminuição no custo do produto. Apesar de um bom preço ser tentador, sabemos que há gatilhos mentais, que servem para dar um empurrãozinho no momento da venda.

Um deles é o senso de urgência, o qual é despertado quando nos deparamos com uma oferta limitada. Quando sabemos que essa oportunidade é única e não se repetirá tão cedo, sentimo-nos pressionados e motivados a acelerar o processo de decisão.

Em sua estratégia de Marketing B2B, quando estiver mais próximo da data da promoção, acrescente a sua duração. Faltando 1 mês para o evento, já é hora de chamar a atenção do lead, privilegiando esta informação nos conteúdos veiculados.

3- Crie a sensação de escassez

Outro gatilho mental muito utilizado na Black Friday é a escassez. Todos sabem que a oferta é limitada. Por isso, sentem que é necessário agir rápido. É o momento em que estratégias, como as abaixo, funcionam bem:

  • “Oferta especial para as 100 primeiras compras do dia”;
  • “Oferta enquanto durarem os estoques de produtos à pronta entrega”.

As condições tentadoras fazem o lead acreditar que está competindo com os outros – sendo que estes pensam da mesma forma -, impulsionando-os a comprar rapidamente.

4- Ofereça incentivos

A promoção, por si só, já um atrativo. Mas, pode ficar ainda melhor! Uma vez que o cenário é favorável para convencer o lead sobre o fechamento do negócio, oferecer algo a mais é o diferencial que falta.

É comum que as marcas estabeleçam parcerias para eventos como a Black Friday. Estas fazem isso quando oferecem preços mais convidativos, caso o cliente decida por vendas casadas.

Na Black Friday B2B, também é possível fazer o mesmo: buscar parcerias com empresas que ofereçam soluções sincronizadas à sua. É possível fornecer um período promocional de produção de conteúdo digital junto a um software de automação de marketing, por exemplo.

Isso vai com as possibilidades e as relações que você é capaz de criar.

5- Personalize suas ofertas

O cliente de hoje quer sentir-se especial. Ele têm as suas próprias necessidades e sente-se acolhido por empresas que demonstram conhecê-las profundamente, oferecendo propostas direcionadas nesse sentido.

A personalização de conteúdos e ofertas é uma realidade com o avanço das tecnologias e as estratégias de uso de dados no Marketing.

Hoje, podemos segmentar os leads de formas diversas, o que permite direcionar conteúdos conforme, entre outros fatores:

  • Idade;
  • Faturamento;
  • Dores de mercado;
  • Setor de atuação etc.

Não há limites para as possibilidades de segmentação. Basta conhecer as suas personas e identificar o melhor para cada uma delas.

A Black Friday pode ser uma ótima ocasião para enviar oferta personalizada. Ao contrário da avalanche de e-mail que o lead estará recebendo de fornecedores B2C, nos canais B2B a concorrência pode ser menor. E um approach personalizado pode fazer com que você se diferencie ainda mais. 

Ao invés de nutrir com conteúdos de topo e meio de funil, pense em ofertas diretas. Caso seja possível, entre em contato direto através de um fluxo de e-mail ou cold call 2.0, tomando o cuidado de tornar a cadência ou e-mail o mais pessoal possível.

Seja qual for o serviço ou oferta que deseja faz, o importante é fazer com que o lead não se sinta dentro de uma automação de marketing e sinta com que aquela oferta irresistível foi enviada por alguém que realmente se importa com o seu negócio e conhece a fundo as suas dores.

Assim, você será capaz de criar uma promoção irresistível e dedicada, despertando no lead um senso de responsabilidade em aderir à oferta. Afinal, ela foi feita especialmente para ele!

E aí, já conhecia alguma dessas técnicas? Você faz uso de alguma no seu dia-a-dia? Divida as suas experiências, nos comentários! Queremos saber o que funciona na sua empresa.

Agora que você sabe o que é a Black Friday B2B, falta compreender as melhores práticas para materiais de altíssima qualidade. Leia esse post e aprenda sobre a personalização de conteúdos e outras tendências do Inbound Marketing. Boa leitura!

Como Marketing de Conteúdo e Marketing de Influência podem trabalhar juntos?

Como Marketing de Conteúdo e Marketing de Influência podem trabalhar juntos?

Se existe um fenômeno perceptível com a popularização da Internet, este é a ascensão dos digital influencers e seu impacto sobre o mercado consumidor. E é aqui onde nasce a ideia do Marketing de Influência.

Afinal, eles reúnem multidões de seguidores em seus perfis e têm a confiança deles, que os acompanham diariamente e consomem os conteúdos produzidos.

Hoje com forte adesão, o Marketing de Influência tornou-se um diferencial competitivo para marcas que executam campanhas digitais, inclusive aquelas que já trabalham com marketing de conteúdo.

Juntas, as duas táticas têm se mostrado muito efetiva para construção de awareness e autoridade de marca e até mesmo para aumentar o potencial de alcance de conteúdos.

Quer saber como marketing de conteúdo e marketing de podem influência juntos? Leia este conteúdo até o final e surpreenda-se!

Você vai ler sobre:

  • Qual a importância e de que maneira funciona o Marketing de Influência
  • Afinidades entre ações de Marketing de Influência e Marketing de Conteúdo
  • Métodos para utilizar Marketing de Influência e Marketing de Conteúdo juntos

 

 

Afinal, quanto é preciso investir para uma ação de Marketing de Influência?

Primeiramente, é bom lembrar: o Marketing de Influência existe há um bom tempo – e já foi muito caro. O motivo do alto custo é que, há alguns anos atrás, a técnica era mais focada em personalidades televisivas e da grande mídia.

Hoje, temos uma democratização da voz popular, favorecendo pessoas “comuns” a ganhar visibilidade diante das massas. Para isso, é preciso ter bons equipamentos, ideias criativas e uma dose de magnetismo pessoal, a fim de angariar milhares de admiradores nas redes.

Investir em celebridades da Internet é uma boa forma de obter alcance. Porém, com custos quase sempre menores.

Enquanto um artista consagrado em meios mais tradicionais pode exigir altos cachês para participar de uma campanha, os influenciadores digitais podem, em muitos casos, aceitar produtos e serviços, em troca de artigos ou vídeos divulgando-os e agradecendo à marca que os ofereceu – é a chamada permuta.

O pagamento em dinheiro também é uma opção e varia de acordo com a popularidade do influenciador. Cabe à empresa analisar e escolher qual oferece mais benefícios.

Além de estarem contato com audiências específicas – favorecendo o alcance de nichos –  os influenciadores oferecem a vantagem de abordar os temas de forma natural e descontraída, utilizando a linguagem mais próxima do público que os acompanha.

A naturalidade para lidar com o público é importante, dado que o uso de AdBlockers cresce a cada dia e dificulta ainda mais o trabalho de quem prioriza anúncios pagos. O consumidor está mais resistente a campanhas tradicionais, engajando-se conforme a identificação com os propagadores da marca em questão.

Apenas para exemplificar e deixar claro que não estamos falando de algo irreal, vamos aos números! Pesquisas respeitadas internacionalmente mostram que, a cada 1 dólar investido em Marketing de Influência, há um retorno de U$6,50 para a empresa. Ou seja, aqui há um Retorno Sobre o Investimento (ROI) invejável à qualquer estratégia de crescimento dos negócios.

Portanto, o Marketing de Influência é uma técnica acessível e que traz excelente retorno, justificando rapidamente o investimento feito sobre a estratégia.

 

Como unir as ações de Marketing de Influência e Marketing de Conteúdo?

Se pararmos para pensar, o próprio trabalho dos influenciadores já é baseado em algumas técnicas de Marketing de Influência e Marketing de Conteúdo. Isso porque produzem um conteúdo digital altamente personalizado e voltado para seu público-alvo, divulgando-o em canais de amplo acesso.

O mais comum é a produção de conteúdo audiovisual. Em sua maioria, os vídeos instrutivos e/ou descontraídos arrecadam milhares de reações e inspiram compartilhamentos por quem se identifica. E o mais interessante é a que a grande maioria das pessoas inicia na carreira por conta própria, sem o auxílio de publicitários em um primeiro momento.

É ou não é uma ação de Marketing de Influência e Marketing de Conteúdo muito bem executada? No fundo, o que precisamos é aprender com estes quase colegas de profissão e desenvolver parcerias para um crescimento mútuo. Com este objetivo, podemos:

  • Convidar influenciadores para produzirem guest posts no site da empresa;
  • Produzir conteúdo para o público do influenciador e estabelecer uma parceria, onde ele compartilha o material.

Essa é a idéia por trás da junção destas duas técnicas. Agora, vejamos como implementar isso de uma maneira prática.

Implementando Marketing de Influência dentro da estratégia de conteúdo

Veja algumas ações que podem ser tomadas para adicionar esta técnica ao seu trabalho.

1- Identifique os influenciadores das suas personas

Obviamente, nem todo influenciador é adequado para divulgar o seu produto. Considerando que buscamos a personalização de estratégias de Marketing de Influência e Marketing de Conteúdo, o influenciador precisa ser alguém inspirador e que gere identidade junto ao seu público.

É importante que tenha práticas alinhadas com os valores definidos para a sua marca e não esteja envolvido com comportamentos negativos aos olhos das suas personas. Escolher um influenciador errado pode resultar em boicotes e churn aos negócios. Por isso, estude-os muito bem antes de fechar parcerias.

Sob esse filtro, faça um levantamento dos mais atuantes e registre-os em tabela, contendo nome, contato, canal de comunicação, número de seguidores e estratégias de interação.

 

2- Engaje-se com os influenciadores e seus seguidores

Quanto mais engajado(a) estiver com eles, maior será a percepção do público de que você faz parte daquela comunidade. Consequentemente, eles irá sentir-se convidado a interagir com sua marca e terá acesso aos conteúdos com frequência.

Por isso, comente nas postagens dos influenciadores e interaja com os seguidores deles. Siga-os e tente engajá-los dentro de sua própria estratégia de conteúdo. Afinal, vocês têm interesses em comum! Mostre isso.

 

3- Peça que os influenciadores interajam com seus conteúdos

Quando conseguir boas parcerias com digital influencers, certifique-se de acordar que esta atenção seja uma mão dupla. Assim como você interage e aumenta a relevância dele em suas redes, ele também deve aumentar a sua.

Peça aos influenciadores que comentem, compartilhem e promovam os seus conteúdos. Se possível, que utilizem também seus produtos e soluções em público.

Concluindo, os influenciadores digitais são aliados poderosos que devem ser trazidos para perto no mercado. Sempre considere que, caso ele resolva aliar-se ao seu concorrente, isso pode representar problemas.

Fique esperto(a) e seja ágil! Utilize nossas dicas e implemente o Marketing de Influência agora mesmo em seus negócios.

De todo modo, o elemento mais importante continua sendo um conteúdo de qualidade. Por maior que seja o alcance do influenciador, se o conteúdo não for relevante, de nada adianta.

É uma estratégia eficiente, mas não miraculosa! Por isso, não descuide do seu processo de produção de conteúdos e nem terceirize a responsabilidade de gerar bom engajamento. O Marketing de Influência traz visibilidade para conteúdos incríveis.

Quer mais dicas sobre como produzir conteúdos de qualidade? Leia este post e conheça os nossos métodos para garantir um efeito WOW! :O

O segredo para criar conteúdo de alta performance

O segredo para criar conteúdo de alta performance

Quando o desejo é de que a empresa cresça cada vez mais, também é preciso ser exigente com os resultados! Entretanto, às vezes, parece que não importa o quanto de energia esteja sendo dedicada: o trabalho simplesmente não rende. E é aí que entra a real importância do conteúdo de alta performance.

Mesmo que você dê o seu melhor, planejando uma estratégia de marketing com tudo para dar certo, a soma tem gerado um baixo engajamento, poucas visitas e taxas de conversão quase irrelevantes?

Infelizmente, muitos gestores de conteúdo e líderes de negócios enfrentam este verdadeiro pesadelo no seu dia a dia organizacional. Nesse caso, a pergunta que não quer calar é: como sair desta situação? Felizmente, nós temos algumas respostas!

Produzir conteúdo de alta performance é possível! Muitas vezes, tudo o que você precisa fazer é um ajuste ou outro na estratégia atual, a fim de que possa decolar. Descubra quais são elas neste post!

Você vai ler sobre:

  • Como criar conteúdo de alta performance
  • Hacks importantes para aplicar na sua estratégia de SEO
  • Aplicação de Growth Hacking ao Marketing de Conteúdo

O que define um conteúdo de alta performance?

Que o Inbound Marketing funciona, todos nós já sabemos!

Ainda assim, alguns  indicadores podem parecer preocupantes.

Uma pesquisa chamada “How Good You Are at Inbound Marketing?” mostra que 55% dos profissionais da área acreditam que não adquirem o melhor Retorno Sobre o Investimento (ROI) possível com Inbound Marketing.

Como se isso já não bastasse, 48% ainda se diz insatisfeito com o volume de leads gerados pelas atividades Inbound.

Mas por quê?

Para responder a esta questão, partimos do princípio de que muitos iniciam no Marketing de Conteúdo sem os conhecimentos necessários para definir e executar estratégias sólidas.

Sem profissionais qualificados e nem a terceirização adequada dos serviços de marketing, algumas empresas acabam literalmente se aventurando no Inbound Marketing e produção de conteúdo e, assim, muitas vezes não obtém os resultados almejados.

Por outro lado, muitas dominam o básico do Marketing de Conteúdo, mas ainda não entendem o que é necessário para elevá-lo ao next level.

 

Vamos contar aqui: o segredo é apostar em conteúdo de alta performance.

Um conteúdo de alta performance não é fruto apenas da criatividade, mas também do resultado de pesquisas objetivas e análises direcionadas. É mais ciência do que arte, pois segue uma fórmula adequada às necessidades de seu próprio mercado.

Na prática, isso significa que é:

O que podemos aprender com estes 3 itens é que, para um conteúdo de alta performance ser considerado como tal, ele deve ser personalizado. A fim de engajar a persona e torná-la sua cliente, hoje em dia, é importante que sinta-se especial.

Com uma estratégia totalmente desenvolvida para os interesses e necessidades do cliente, os resultados tendem a ser incríveis.

Como criar conteúdo de alta performance

Listamos algumas ações possíveis para alcançar a personalização e criar conteúdos de alta performance.

Escolha palavras-chave de acordo com as buscas da persona

O conteúdo de alta performance recebe esse nome, pois as personas têm facilidade para acessá-lo. Ele é planejado de tal forma que sempre encontra um caminho para chegar até o leitor alvejado. Ainda que o leitor não esteja procurando de modo específico por aquilo, os principais caminhos levam até ele!

Isto somente é possível através dos estudos de comportamento de cada persona, junto aos mecanismos de busca. Os buscadores dividem-se em, basicamente, 3 categorias:

  1. Informacionais: pesquisam informações pontuais, a fim de descobrir a resposta para uma questão ou problema. Ex: “como aumentar o tráfego de blogs?”;
  2. Investigativos: buscam comparar dados sobre produtos para tomadas de decisões futuras. Ex: “marketing 4.0 preços”;
  3. Transacionais: estão prontos para comprar e pesquisam por termos completamente objetivos. Ex:”contato gummy digital”.

Além do estudo destes perfis, também é válido:

  • Verificar, em sites, a concorrência sobre cada palavra-chave (ex: Google AdWords);
  • Analisar, na barra de pesquisas do Google, sugestões cauda longa para keywords;
  • Procurar temas da atualidade que sejam relevantes para o setor das personas.

Personalize o conteúdo para corresponder ao desejo do leitor

Como dissemos acima, a personalização é a dica do momento. Quando você conhece suas personas e seu comportamento junto aos mecanismos de busca, basta reposicionar-se.

Faça com o que o conteúdo produzido seja exatamente aquilo que o usuário deseja ler. É claro, considerando o posicionamento dele na jornada de compra.

Aprenda mais sobre Growth Hacking e saiba como trilhar este caminho rumo ao sucesso.

Coloque-se no mesmo cenário do seu perfil de cliente ideal

Quando você opta por exercitar a empatia, qualquer ação interpessoal torna-se mais fácil. O Marketing é justamente sobre isso: comunicação entre pessoas de modo direto e eficiente.

Analise os seus próprios conteúdos com olhar crítico, buscando pensar da mesma forma que o lead. Questione-se:

  • “Se eu fosse minha persona, gostaria de ler isto?”
  • “Se eu tivesse esse problema, tal resposta seria o que preciso?”
  • “Se eu comprasse um produto ao encontrá-lo, ficaria satisfeito(a)?”

Este exercício pode render bons insights para lidar com este público e também aprimorar a estratégia Inbound.

Respeite o tempo e as etapas da jornada de compra do lead

Algo que você deve levar consigo é o fato de que nem todo lead está pronto para comprar.

Naturalmente, há um processo de maturação pelo qual o leitor passa até converter-se em vendas. Compreender cada etapa é a chave para produzir conteúdos que sejam altamente engajadores, independente da ocasião.

Como este tema demanda mais atenção para ser compreendido, sugerimos a leitura de um post. Nele, falamos especialmente sobre como produzir o conteúdo de alta performance ideal para cada etapa da jornada de compra.

 

Em suma, produzir um conteúdo de alta performance é assegurar que ele reflita bons indicadores e que, ao mesmo tempo, impacte positivamente na jornada de compra do lead.

Quer se aprofundar mais na questão conteúdo x performance?  Confira dicas sobre como aplicar Growth Hacking no Marketing de Conteúdo baixando nosso e-book!

 

Até a próxima! 🙂

Conteúdo para empresas de tecnologia: como criar uma estratégia infalível

Conteúdo para empresas de tecnologia: como criar uma estratégia infalível

A essa altura do campeonato, não há mais como ignorar a efetividade do Marketing de Conteúdo para empresas de tecnologia. Ou existe prova social maior do que os 68% de empresas satisfeitas com suas estratégias de Inbound Marketing? Isso é muito mais do que uma tendência: é o caminho certo a ser seguido para quem deseja manter-se no mercado, em um ambiente cada vez mais digital.

Especialmente, para quem atua no ramo das startups e está diretamente ligado(a) às suas personas, este é um fator que deve ser observado de perto e com máxima atenção.

Porém, não se desespere! Conhecemos as suas dores e temos as dicas certas para uma estratégia infalível de marketing de conteúdo para empresas de tecnologia.

Confira, neste guia:

  • Como produzir conteúdo para as diferentes etapas do funil de vendas;
  • Como atrair e nutrir leads captados com conteúdo para empresas de tecnologia;
  • Como identificar os objetivos das personas (e porque isso faz toda a diferença na hora de criar sua estratégia).

Acompanhe a leitura para implementar as táticas de Marketing de Conteúdo de uma forma rentável e eficaz.

Insatisfeito com a performance do seu site nos mecanismos de busca? Nós temos a solução! Clique aqui e descubra como.

Montando uma estratégia de conteúdo para empresas de tecnologia

Ganhar visibilidade e autoridade para sua marca pode ser um forte diferencial no momento de decisão do lead. Isso significa que quanto mais fácil o possível cliente for capaz de lhe encontrar, maiores são as chances de optar pela sua solução e advogar em seu nome.

Acontece que, para ser notada pelo público-alvo, é preciso mais do que boas ideias, bons produtos/serviços e um belo site. No meio do caminho, existe o mecanismo de busca e, na outra ponta, está o lead com todas as suas particularidades. A fim de percorrer esse trajeto sem tropeços, você deve acordar a visão estratégica e planejar cada passo.

Por consequência, atente-se a esses dois pontos:

  1. Entender a atuação das ferramentas de pesquisa para um rankeamento privilegiado;
  2. Compreender o lead para preparar um conteúdo irresistível e ganhar o seu clique.

De fato, o que esse conhecimento irá trazer para você é assertividade. Com base em dados como estes, sua empresa é capaz de planejar uma poderosa estratégia de conteúdo para empresas de tecnologia.

Trouxemos alguns exemplos de aplicação destas informações, com o intuito de otimizar o processo comercial por inteiro. Descubra quais são eles, a seguir:

Identifique as personas

A compreensão aprofundada da realidade do lead é o ingrediente básico de uma estratégia Inbound de sucesso. Afinal, 71% das empresas que excederam suas metas de geração de leads e ROI pesquisaram as personas previamente.

A fim de que o uso de conteúdo funcione promissoramente, você deve entrar na mente do lead. Conheça-o de tal modo que saiba dizer até quais palavras ele utilizaria para buscar determinadas respostas.

Sob o mesmo ponto de vista, é de extrema importância prever seus problemas e desejos.

De nada adianta, por exemplo, produzir conteúdos sobre a eficiência das novas tecnologias oferecidas quando, na verdade, seus leads estão preocupados a respeito de segurança. Quando é feita uma imersão sobre os pensamentos dele, você é capaz de identificar estas demandas e posicionar-se estrategicamente para captá-los durante a jornada do cliente.

Juntando todos estes dados, você chegará ao chamado Ideal Customer Profile (ICP).

Para isso, uma ação prática, barata e eficiente é utilizar de entrevistas qualitativas. O envio de um e-mail simples no Pós-vendas, contendo perguntas para a avaliação de serviços e expectativas, pode realizar milagres!

Atraia os leads

Conforme já mencionamos, a produção de conteúdo para empresas de tecnologia deve ser adequada para as diferentes etapas do funil de vendas. Isso requer atenção a alguns detalhes que precisam ser respeitados para que haja o sucesso da estratégia.

Inicialmente, temos a fase da atração de leads (ou topo de funil). Aqui, a dica de ouro é ter regularidade. Manter o fôlego de postagens uma a duas vezes na semana é uma boa média para obter visibilidade, sem spammear.

Logo em seguida, escolha temas relevantes para o seu ICP. Identifique conjuntos temáticos e derive palavras-chave a partir deste grupo. Dessa forma, você abordará objetivos centrais e também outras pesquisas relacionadas que possam ser de interesse do lead.

Neste momento, não é interessante divulgar o serviço da empresa. O foco é disponibilizar conhecimento para quem tem dúvidas e está navegando atrás de autoridades e formadores de opinião em relação ao assunto.

Alguns dos conteúdos eficientes neste período, são:

  • Posts introdutórios e explicativos;
  • Vídeos curtos e objetivos (preferencialmente, de design amigável e bom humor);
  • Infográficos.

Aos poucos, você vai montando um arsenal de conteúdos que podem ser utilizados para nutrir leads ao longo da jornada de compra. Eles servem para que profissionais de vendas ganhem autoridade na negociação. Como ao identificar uma necessidade, por exemplo.

Imagine que o lead entre em contato com o vendedor e demonstre uma certa preocupação com a segurança de seus dados ao aderir um novo software de gestão. Uma vez que você tenha um conteúdo pronto sobre o assunto, o colaborador pode encaminhá-lo. Dessa forma, o consumidor se sentirá escutado e avançará mais um passo do momento da decisão pela sua oferta.

Ademais, os fluxos de nutrição mantém clientes antigos próximos e aquece os leads mais frios. Uma ferramenta prática que você pode adotar, entre tantas outras, é um software de automação de marketing, como RD Station, Pipz Automation ou Bulldesk. Esse tipo de sistema permite instalar rotas a partir de critérios diversos, de modo que é possível configurá-las para melhor atender suas necessidades.

Muitos leads e quase nada de conversão? Você está precisando qualificá-los melhor. Aprenda mais, aqui.

Segmente os leads

Já na produção de conteúdo para empresas de tecnologia do meio para o fundo do funil, é o momento de focar nas dores, tornar claras suas implicações caso não sejam resolvidas e apresentar soluções – no caso, a sua.

Acima de tudo, é preciso entender as necessidades das personas e ter um bom controle de onde cada lead se encaixa nos níveis da jornada. Isso modifica o tom e o direcionamento do conteúdo.

Nos conteúdos de meio de funil, trabalharemos mais intensamente com os dois primeiros itens citados anteriormente, despertando a sensação de urgência em resolver o problema já verificado. Nessa etapa, indica-se utilizar de materiais aprofundados, tais como e-books e webinars.

Bem como nos conteúdos de fundo, o foco está em apresentar soluções possíveis e expor para o lead o motivo pelo qual a sua oferta pode responder às necessidades dele. Portanto, aqui você trabalhará com blogspots argumentativos acerca das próprias funcionalidades tecnológicas, consultorias e demonstrações de produto e/ou serviço.

Essas demonstrações podem ser versões demo de programas ou até  vídeos mostrando a solução na prática, a fim de que o lead tenha uma ideia concreta do seu funcionamento.

Acompanhe métricas

Não existe uma boa gestão sem métricas! Mesmo no departamento de Marketing, monitorar os números e quantificar os resultados é importantíssimo para ser bem sucedido(a).

Por isso, acompanhe, dentre outras métricas:

  • Click Through Rate (CTR);
  • Taxa de abertura de e-mails;
  • Tráfego e tempo de permanência no site;
  • Performance individual de cada conteúdo.

Selecione as mais relevantes para o seu trabalho e fique de olho! São elas que irão ditar se você deve seguir no mesmo caminho ou mudar drasticamente.

Assim, seguindo estes passos, você estará rumo a uma estratégia de conteúdo para empresas de tecnologia altamente eficaz. Porém, mesmo diante de todas as dificuldades enfrentadas pelo Marketing em seu cotidiano, não se desespere! Até porque estabelecer parcerias e trabalhar com agências capacitadas a lhe dar suporte no planejamento é uma ótima possibilidade.

Na Gummy, fazemos o serviço completo: damos aquela mãozinha no planejamento e ainda produzimos conteúdos WOW! Que saltam aos olhos do lead e convertem muito mais. Se precisar de ajuda, pode contar conosco! 😉

Quer saber como podemos ajudar? Entre em contato pelo formulário abaixo!

Content Hacking: como aplicar Growth Hacking ao marketing de conteúdo

Content Hacking: como aplicar Growth Hacking ao marketing de conteúdo

Você já ouviu falar sobre Growth Hacking? Esse conceito está transformando empresas de todos os setores. É a prova real de que pequenas mudanças na forma de operação são capazes de trazer grandes resultados no crescimento de uma empresa. Mas e sobre Growth Hacking no Marketing de Conteúdo? O que é esse tal de “Content Hacking”? Vamos explicar!

O termo “Growth Hacking” foi criado por Sean Ellis e, nas palavras do próprio autor, este significa “marketing orientado a experimentos”. Podemos dizer que o objetivo da técnica é alcançar objetivos rápidos e minuciosos. Para isso, o foco está em encontrar hacks para crescimento.

Com a identificação clara destas oportunidades, é possível criar estratégias adequadas para se chegar aos efeitos desejados.

Entretanto, você já sabe como aplicar os requisitos do Growth Hacking no Marketing de Conteúdo? Afinal, diversas empresas podem se beneficiar deste modelo. E é para te mostrar exatamente como este método funciona que criamos o post de hoje.

Desvende os mistérios do Growth Hacking no Marketing de conteúdo e utilize estes princípios no em sua estratégia de crescimento. Leia mais sobre o assunto!

 

Growth Hacking no Marketing de Conteúdo: o que é bom, ainda pode melhorar!

Apesar de ser bastante popularizado, o Growth Hacking no Marketing de Conteúdo ainda gera confusão no entendimento de muitos. Isso acontece pois, muitas vezes, o enxergamos como uma técnica a ser aplicada no estilo “receitas de bolo”. Contudo, não é bem assim.

O Growth Hacking no Marketing de Conteúdo é mais do que uma fórmula pronta: é uma forma de operação.

Posto que a ferramenta envolve o estabelecimento de um processo de ações, voltadas para alcançar um objetivo determinado, ela casa-se perfeitamente com a estratégia de Inbound Marketing. Uma vez que, quando aplicada, é capaz de aumentar a atração e conversão de leads.

Como podemos ver, não trata-se de desenvolver “uma nova metodologia”. Certamente, o modelo que você já vem aplicando em sua agência traz resultados positivos. Até porque, se tivéssemos de começar tudo do zero, seria uma perda de tempo. Mais do que isso! Um verdadeiro desperdício de todo o trabalho investido para chegarmos até aqui.

A aplicação de Growth Hacking no Marketing de Conteúdo é um upgrade no modelo já implementado, focando em potencializar o que ele tem de melhor.

Trata-se de um estudo detalhado das atividades em relação às metas previstas. Analisando a performance de diferentes materiais e reconhecendo forças que elas têm em comum, é possível chegar a um modelo de sucesso.

Uma vez que profissionais B2B direcionam 28% do seu orçamento total para o Marketing de Conteúdo, é preciso ter certeza de um retorno satisfatório. Todavia, conforme os dados do Content Marketing Institute, apenas 30% dos colaboradores acreditam que os esforços em conteúdo da empresa são eficientes. As pesquisas ainda revelam que 55% não fazem ideia de como uma estratégia bem sucedida deve funcionar.

Claramente, o que falta para as instituições se destacarem em seus nichos de mercado é Growth Hacking no Marketing de Conteúdo. Apenas com testes e informações validadas se torna possível chegar a um modelo seguro e escalável.

Agora, vejamos como implementar este conceito dentro da sua própria agência!

 

Growth Hacking no Marketing de Conteúdo

O Growth Hacking no Marketing de Conteúdo atua com um procedimento semelhante ao método científico de construção do conhecimento.

Todavia, nem sempre uma agência tem o privilégio de contar com tempo e recursos para investigar hipóteses. Assim como abordagens que utilizam o sistema de tentativa e erro, até encontrar uma forma adequada de reproduzir a tática em questão. Geralmente, as startups precisam fazer o caminho inverso, operando por meio de de indução.

Na prática, isso significa:

  1. Fazer um levantamento dos conteúdos que performam melhor nas redes;
  2. Encontrar similaridades, como o uso de gifs e emojis que costumam performar bem;
  3. Calcular a probabilidade de sucesso do padrão identificado em resultados exatos;
  4. Transformar dados em informação útil, revelando a linguagem que o público aprecia;
  5. Criar testes para colocar suas hipóteses à prova, sendo repetidos e escalados.

Com os resultados desse checklist, você terá em mãos tudo o que precisa. Ao encontrar o modelo correto para sua agência, basta replicá-lo quantas vezes forem necessárias.

 

`Práticas de Growth Hacking no Marketing de Conteúdo

Para finalizar nosso aprendizado, listamos 3 exemplos de práticas de Growth Hacking no Marketing de Conteúdo. Estes já são amplamente conhecidos por sua eficiência. Veja só:

Headlines

O Marketing de Conteúdo está em um relacionamento sério com as técnicas de SEO. É por esse motivo que cerca de 60% dos profissionais de agências de marketing concordam que a otimização para buscadores deve ser a prioridade de qualquer estratégia Inbound.

Afinal, o Google recebe mais de 100 bilhões de pesquisas por mês! Em meio a quantidade de conteúdos disponíveis, ter o título atraente é um diferencial para garantir seus cliques.

Por conseguinte, invista tempo na criação de boas headlines. Realize testes A/B, a fim de descobrir quais call-to-actions e formas de linguagem funcionam melhor. Algumas empresas chegam a considerar mais de 25 possibilidades antes de tomar sua última decisão.

Quer saber sobre SEO para sites? Clique aqui e descubra os melhores hacks!

Meta Description

Esta é uma pequena descrição do seu site ou conteúdo, que pode atrair o lead diretamente para a página indicada. Como aparece logo abaixo ao título nos resultados, é fundamental que contenha a palavra-chave e seja sedutora para despertar a curiosidade do usuário.

Também é válido lembrar que, recentemente, o Google voltou a alterar o número limite de caracteres para a meta description. Com isso, a medida caiu de 320 para 160. Mantenha-se atento(a) para não ultrapassar a máxima permitida!

Infográficos

Outra ferramenta eficiente para Growth Hacking no Marketing de Conteúdo é o uso de materiais gráficos para divulgar informações.

Infográficos são bastante populares, uma vez que podem ser compartilhados facilmente e permitem uma compreensão mais intuitiva de dados complexos. Não apenas por isso! Um design diferenciado também torna-se atraente aos olhos. E, portanto, rende mais acessos.

Para obter um bom retorno com esse tipo de material, busque dialogar com o público-alvo. Utilize elementos visuais instigantes, crie relações entre os dados apresentados e os fatores relevantes para seu lead.

Dessa forma, ele irá se envolver com o conteúdo, discernir bem a informação e sentir-se motivado a compartilhá-la com seus contatos.

Estes são apenas alguns dentre tantos exemplos que poderíamos citar. É válido pesquisar, também, estratégias de Growth Hacking no Marketing de Conteúdo que obtiveram êxito. Mas, principalmente, encontre seu próprio caminho!

Aplique o método indutivo, reconheça sua força e mostre para o que veio. Temos certeza que você é capaz de alcançar objetivos ainda maiores. Depois, conte para nós quais foram os resultados!

 

Ficou interessado em saber mais?

Sabemos que o assunto rende muito. Então, em parceria com a Growth Office e a Content Hackers, resolvemos lançar um E-book só sobre “Como Aplicar Growth Marketing no Conteúdo”.

Baixe agora nosso e-book “Content Hacking: como aplicar Growth Hacking no Marketing de Conteúdo” e descubra como utilizar táticas de Growth para potencializar seus resultados com estratégias Inbound.

Como aplicar Growth Hacking no Marketing de Conteúdo

Clique para baixar

Que tal indicar este conteúdo para aquele amigo(a) que precisa de ajuda? Compartilhe!

 

Página 1 de 41234

Contato